"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Galileu teria se equivocado? Ainda é o sol que gira ao redor da terra?...


Para ouvir a música...



"Les superstitions paraissent absurdes seulement à ceux qui n'en possèdent pas les clefs".
(argumento dos ocultistas, citado por Bertrand Solet in: Superstitions et fausses sciences)

No Brasil, Brasília é uma das capitais muito bem servidas não apenas de comida "natural" (macrobiótica, indiana, vegetariana, vegana e etc), mas principalmente de superstições. São inúmeros os restaurantes por aí. Claro que muitos dos frequentadores, além do arroz integral, do azuki, do grão de bico, da bardana, do ginseng e etc, também apreciam uma costela de leitoa, um quilo de cupim ou até umas pombas no espeto acompanhadas de uns tragos de cachaça.. 
Mas o que existe de mais fascinante nesses restaurantes é o mural onde a seita e a tribo prega suas propagandas: cursos, receitas, retiros, descobertas, técnicas respiratórias, posições do Kama Sutra, posições meditativas, técnicas de cinestesia, de jejum, cursos de Tarot, de búzios, de alquimia, de parapsicologia, vidas passadas, baralho cigano, ocultismos, a sabedoria malandra do OSHO, o sal do himalaia, os gatos pretos, o I Ching,  (prefaciado por Jung), shiatsu, Reik, mapa astral, amuletos, Sabbhat nas montanhas pedregosas de Goias Velho, diagnóstico através da iris, fotógrafos da aura, cartomantes, urinoterapia, transmutações espirituais, o mapa da Pedra Filosofal e da Atlantida perdida, a leitura do Alquimista sentados sobre um cupinzeiro. As similitudes entre Brasília e uma das pirâmide do Egito. Juscelino como um faraó. A música de Beethoven como antidepressivo, a reconstrução de hímens, mesmerismo, lavagens intestinais, chá de ibisco, e, claro, recados do além, enviados tanto por Xico Xavier, como por George Ozawa e por Madame Blavatsky a respeito dos truques e dos segredos para atingir a paz interior e claro, a universal. Um verdadeiro mercado de ilusões e um quase cardápio de pré-loucura. 
No almoço de hoje dediquei uns dez minutos para atualizar-me e fiquei fascinado com este anuncio de um curso que "será oferecido em breve para os interessados": FACES DO SAGRADO FEMININO: (Reconectando-se aos arquétipos da donzela, Mãe e anciã).
De imediato pensei em minha passagem, só de ida, para Pasárgada ou para qualquer outro lugar do planeta, mas em seguida, caí na real e lembrei que também no Egito (berço principal da astrologia) em épocas distantes e provavelmente até hoje, os adivinhos previam o futuro das elites, dos reis e faraós, analisando os movimentos de um cachorro... E que em Roma, o faziam analisando o voo de um pássaro sagrado... A respeito da astrologia, (lembrava-me um demônio provocador), foi toda baseada ainda na idéia de que era o sol que girava ao redor da terra... E que, em 1474, num outro país, um galo foi condenado à morte e queimado vivo por ter colocado um ovo...
Bah! Que miséria!
Definitivamente, Je ne suis pas ton frère...

Nenhum comentário:

Postar um comentário