"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

É preciso uivar com os lobos... Quem se assemelha se emparelha...

Você que está fazendo uma análise pessimista do país fundamentando todos seus argumentos nas recentes rebeliões dos presídios, relaxe, seja mais leve, mude um pouco o enfoque. Agora.., cuidado! Não salte bruscamente dos presídios para as escolas ou para os hospitais porque sua angústia haverá de aumentar... 
Pense... Vamos ver... Quê outro setor da vida cotidiana merece uma análise?
Pense nos mares! Nos coqueirais, nas noites quase encantadas quando a lua vem se refletir no copo de licor que repousa a seu lado junto das ondas... Simule estar fazendo uma reserva em algum hotel de beira-mar para passar uns dias de relax... 
 Encontrarás quase tudo contaminado. Esgotos e rios de merda desembocam em praticamente todas as nossas praias. Em todos os nossos mares... De ponta a ponta. Não acreditas? Faça um teste. O gerente, claro, te dirá que nos cem metros em frente ao seu hotel a água do mar é cristalina, (que neste momento, inclusive, está cheia de turistas argentinos), mas que a partir dali, aí sim, há merda sólida e merda líquida transitando por todos os lados, dependendo das correntes. E ele fala com tamanha convicção como se houvesse uma fronteira real entre os cem e os cento e um metros. Como se os dejetos e os excrementos chegassem nessa fronteira e dessem a volta porque descobrem que ali é "propriedade" de um hotel 4 estrelas. Impressionante. Depois você lhe pergunta se os surtos virais, as diarréias, os vômitos, as dermatites, se tudo isto está controlado e ele te dirá com a mesma convicção que tudo isso é coisa do passado. Então você liga para os postos de saúde da região (quando existem) e uma enfermeirazinha quase analfabeta te dirá que só no dia de hoje já são setenta casos... Que há relatos de pessoas que saíram do mar com infecções oculares graves e até com pedaços de merda grudados nas orelhas e etc. Será que ainda temos em nossos DNAS algumas nostalgias coprófagas???
Enfim, o que quero lhe dizer, é que as rebeliões nos presídios devem ser interpretadas também como um termômetro para avaliar todos os outros assuntos nacionais e para ter consciência de que o medievalismo entre nós é sistêmico... E depois, por que preocupar-se apenas com os motoristas de caminhões e de ônibus que estariam dirigindo dopados? E os pilotos?
E quem me confidenciou estas inquietações foi o mendigo K. que pretendia passar uns dias numa praia idílica com sua amante. Ao retirar-se, preveniu-me: É preciso uivar com os lobos! Quem se assemelha se emparelha...

Um comentário:

  1. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2017/01/16/internas_polbraeco,565629/mulher-traida-corta-cabelo-e-arrasta-rival-nua-pelas-ruas-de-cubatao.shtml

    ResponderExcluir