"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Em Brasília, a longa espera do demônio


A parada de ônibus onde um anônimo pintou o demônio (da foto ao lado) fica a uns trezentos metros do local onde funciona uma seita (ou uma nova igreja?) nomeada A Cova de Jacó. Fui à Bíblia - por pura curiosidade - e vi que esse personagem (Jacó) é uma das principais estrelas do Gênesis. Posso estar distorcendo os fatos, mas depois que apareceu esse desenho ali, a parada está sempre vazia. Os frentistas do posto que fica ao lado passaram a levar um patuá ao pescoço e se benzem antes de encostar as mãos na gasolina. Os lixeiros baixam os olhos quando passam pelo local e as velhinhas da quadra só saem de casa para comprar pão e remédios, e ainda assim, sempre com um vidrinho de água benta ou com um escapulário na bolsa. Todo mundodos arredores está ansioso para saber se o governador irá, finalmente, despachar um assessor, a tropa de choque ou os bombeiros para apagar aquela imagem. Mas como todo mundo é esotérico por aqui e todo mundo tem cu, vão deixando o Demo lá, olhando soberbamente para a desgraça cotidiana, certo de que Ele sim é o Cara.

É compreensível que o resto do país pense que Brasília é uma urbe da estepe e naturalmente ateísta, mas não há engano maior. Aqui, em cada esquina existe uma seita, uma congregação, um Centro, uma paróquia, algum retirante iluminado que construiu um barracão e passou a vender ingressos para o Reino Dos Céus. Até nos fundos, nas garagens, nos gabinetes, nos banheiros etc., do Congresso Nacional sempre se pode encontrar grupos de oito ou dez pessoas de mãos dadas, em círculo, rezando em voz alta ou dizendo bobagens incompreensíveis uns para os outros. Na Lista Telefônica desta cidade, da página 270 até 272 - para que se veja - são só telefones de igrejas, e cada uma com nomes mais lunáticos e incríveis que as outras. Vejam algumas com nomes mais significativos: Congregação dos Religiosos Terciários; Vale da Benção; Manancial de vida; Evangelho Quadrangular; Vale do Amanhecer; Exército de Salvação; Igreja Santo Cura D’ars; Igreja da Vinha; Perfect Liberty; Lectorium Rosicrucianum; Lumen Dei; Ministério Cristão da Restauração; Mitra arquidiocesana; Movimento Eureka; Oratório Soldado; Padres Estigmatinos; Nossa Senhora Consolata; Sukyo Mahikari; Pronto Socorro Espiritual; Igreja Maanaim; Menino Jesus de Praga; Centro Espírita Cantinho da Fé; Santos dos Últimos Dias; Comunidade Evangélica Boa Semente; Nossa Senhora das Dores; Nova Canaã; Maranata; Sociedade Maçônica Filhos de Salomão; Sindicato dos teólogos confederativos; Shalon; Amor sem fronteiras; Sarca Ardente; Assembléia dos primogênitos; Nossa Senhora da Medalha Milagrosa; Apocalipse Pentecostal; Sara nossa terra; Centro Budista Tibetano; Bom Jesus dos migrantes; Maná Novo; Mil vezes Imaculada etc etc etc.

Parece evidente que se houvesse alguma alternativa depois da morte, qualquer sujeito lúcido apostaria todas suas fichas e suas esperanças no inferno para não correr o risco de ter que cruzar novamente com esses dementes em outro mundo.

Ezio Flavio Bazzo

Recomendo vídeo no endereço:
http://www.youtube.com/watch?v=CF1-IS0yDCs

2 comentários:

  1. Os pregadores querem dominar o mundo.
    Bom texto!

    ResponderExcluir
  2. sim, somente uma mente diabólica arquiteta o horror de viver, o dever de obediência ao trabalho e o pavor de morrer. deliciosas almas temperadas para as barrigas dos monstros de vidro, aço e concreto. tudo isso para a digestão do ser todo-poderoso: a esfinge da miséria - "decifra-me ou te devoro". eis brasília de dom bosco, em sua longa espera! poder infernal da paixão nostálgica da revolta luciferina da inquisição. ciúme feroz da cristandade: com um deus morto e um messias que jamais voltará, resta ao demônio esperar sua vez de morrer.

    ResponderExcluir