terça-feira, 12 de maio de 2009

A arte de roubar, lavagem de dinheiro e a vida como ela nunca foi


Depois de assaltarem magistralmente o banco que fica dentro do Quartel General do Exército aqui em Brasília e saírem - cercados de fuzis por todos os lados - como se estivessem indo para um retiro espiritual deram um show também lá em SP com o álibi do buquê e o furto de quatro telas numa mansão. Levaram Retrato de Maria e Cangaceiro, de Portinari; Figura Azul, de Tarsila, e Crucificação de Jesus de um tal de Teruz.

Gostaria imensamente de entrevistar esses bandidos. Devem ter histórias e conceitos sobre a espécie que os simples mortais nem imaginam. Aos gatunos de Brasília – por exemplo - perguntaria objetivamente: como souberam que os generais e a soldadesca do QG dormiam em berço esplendido naquela hora do dia? Aos de SP indagaria: o que lhes fez achar que aqueles rabiscos sobre tela teriam algum valor?


Que digam por aí que as quatro obras juntas valem três milhões e tanto é ou distúrbio de personalidade ou cumplicidade com os larápios. Duvido que alguém normal, sem necessidade de lavar dinheiro, pague mais de um salário mínimo por cada uma daquelas obras. À da Tarsila, ainda, ainda, dependendo da moldura, daria para pagar um salário e meio. Mas, o que é verdadeiramente surpreendente, até mais que a habilidade dos ladrões, é ouvir a mídia (burguesa ou proletária) em geral se referindo à região onde ocorreu o furto como sendo a “Zona nobre de SP”. Zona nobre? Como assim?

Ezio Flavio Bazzo



4 comentários:

  1. iconoclastia radical. o exército e a arte chamados a responderem sobre seus delicados calcanhares. de tempos em tempo isso é realizado em nome da saudável auto-implosão. a ex-rússia começou a se desmoronar quando uma aviador amador alemão, sorrateiramente, atravessou o vigiadíssimo espaço aéreo russo, com seu teco-teco e pousou no meio do kremlim. os eua começou a ruir quando, aviadores também amadores, atravessaram o também vigiadíssimo espaço aéreo estadunidense e derrubaram suas torres gêmeas. assim, como é difícil, por essas terras, conseguir um avião, salvo deputados, senadores e outros traficantes, nossos aviadores amadores alçam outros vôos em prol do mesmo desmonte iconoclasta. que outros páris e apolo, atirem e guiem mais flechas envenenadas a outros aquiles hegemônicos da miserável civilização vigente.

    ResponderExcluir
  2. Henry Thoreau, foi para a cadeia por se negar a pagar uma taxa de apoio à guerra contra o México. Ralph Waldo Emerson, ao visitá-lo na cadeia, perguntou: “o que você está fazendo aí dentro?”. Thoreau, com as mãos nas barras da cela, atirou de volta: “a pergunta é o que você está fazendo aí fora”

    ResponderExcluir
  3. MÔNICA PRADO TORRES15 de abril de 2015 08:30

    O pior disso tudo é que todos apoiam ou se omitem diante desses fatos, Anônimo... Estou exilada dentro do meu próprio país há vinte, porque rejeitei propina em uma licitação quando trabalhei na Presidência da República... Hoje, de volta ao meu órgão de origem, a Petrobras, continuo sendo perseguida e exilada, e ninguém faz absolutamente nada, nem o dito sindicato, ao contrário... Criaram uma "rede de revolta" como se eu fosse um perigo para a Empresa porque um dia eu trabalhei, requisitada, no Governo Federal... Outros não me querem por perto porque acham que eu possa a vir "dedurar" alguma transação ilícita... Resumindo, se eu tivesse me corrompido, seria muito bem recebida... Que mundo é esse?

    ResponderExcluir
  4. MÔNICA PRADO TORRES15 de abril de 2015 08:34

    Retificando no tópico anterior: - "Estou exilada dentro do meu próprio país há vinte ANOS, porque rejeitei propina em uma licitação quando trabalhei na Presidência da República..."

    ResponderExcluir