terça-feira, 11 de abril de 2017

Frigidez VERSUS impotência.. (Ou: oito mil anos de monólogos...)

"Repare, pois, em que mãos se encontram a honra, a vida, a fortuna e a reputação de um cidadão. A baixeza, a ambição e a avareza começam a fazer a nossa ruína e a imbecilidade acaba por concluí-la. Miseráveis criaturas, lançadas por um momento sobre a superfície desta bola de lodo..."
Marques de Sade

E o conflito entre homens e mulheres se amplia. Por todos os lados há mulheres, umas até cretinas, confessando que foram assediadas, abusadas, olhadas com profundidade, acossadas sexualmente.., e por todos os lados há homens tarados, estupidos e boquiabertos sem saber o quê e como fazer para continuarem tendo acesso ao objeto de sua tara e de seu desejo. (objeto, aqui, no sentido psicanalitico).  E tudo isso anuncia tanto o fomento da paranóia (visitem um hospício), como o fim da sedução (na qual as mulheres são iniciadas desde que nascem) e o fim do dom Juanismo e do mau-caráter (fontes principais da auto-estima masculina). Finalmente, viveremos todos, a partir de agora, como verdadeiros fratelos, regidos pelos protocolos da fraternidade: Eu não te toco e tu não me tocas! Eu não te olho abaixo do pescoço e tu não me olhas abaixo do umbigo! não te desejo e não te lambo e tu não me desejas e não me lambes! Caso tenhamos alguma intimidade e alguma cumplicidade fortuitas, que sejam apenas no âmbito burocrático ou matrimonial. Nada de tirar calcinhas ou de  abrir braguilhas nestes dias estupendos de outono! Aliás, há tanta filantropia ainda por se fazer neste mundo! Não é verdade irmã? Ah, e chega de luxurias e de licenciosidades! Como diziam os jesuítas e os lacaios do frade Savanarola aos nossos pobres índios: o sexo fede! Mas que, apesar disso, paradoxalmente, o corpo era um tabernáculo. Sim, é dentro dele que repousa exausta, envergonhada e cheia de peçonha, nossa alma. Não é verdade, irmã em Cristo? 
Enfim, Como diria Marx, entre um furúnculo e outro: “Os homens fazem sua própria história, mas não a fazem como querem; não a fazem sob circunstâncias de sua escolha e sim sob aquelas com que se defrontam diretamente, legadas e transmitidas pelo passado” ...

Um comentário:

  1. http://veja.abril.com.br/entretenimento/casos-de-jose-mayer-e-marcos-viram-noticia-no-new-york-times/

    ResponderExcluir