"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Apesar do inverno,... a resistência!


[É verdade que no fundo de todo homem dorme um poeta. Isto é, que cada um de nós tem seus quinze minutos de imbecilidade...] Vargas Vila
























2 comentários:

  1. Que se fodam todos vocês que acham que sabem como o mundo deveria ser. Psicoterapeutas charlatães, pseudoanarquistas, escritores rasos, neoateus de merda, vão todos à merda. Você deveria estar na cadeia - sim, na cadeia que tanto odeia - por dizer semelhante coisa a respeito de uma das poucas belezas que o Universo nos deu - a poesia. Você é um tremendo pobre de espírito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E sobre a florada dos ipês, o que você tem a dizer poetinha de bosta!?
      E já que você finge não se convencer com a reflexão de Vargas Vila sobre os poetas, aqui vai uma outra informação para seu diário cor de rosa: Nos raros e nauseabundos soirèes poéticos onde Rimbaud marcava presença, sempre que alguém acabava de recitar um poema, saia de sua boca o mesmo resmungo: merda!

      Excluir