"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

ABAJO EL SISTEMA DE MIERDA!!!


Está em todas as Folhas Ilustradas e em todas as vitrines um novo abacaxi que já vendeu mais de vinte milhões de exemplares e que, segundo a propaganda, está fascinando as donas de casa e a entediada burguesia: Cinquenta tons de cinza, da britânica E.L. James. Dizem os leitores e os afetados resenhadores de plantão que se trata de uma “apimentada” estória de sexo e de sadomasoquismo entre uma recatada (leia-se frigida) estudante de literatura e um garanhão “bem sucedido”.  Outros até dizem ser uma excelente novela erótica para mulheres e para mamães... Depois de entupirem as mulheres com geladeiras, fogões, panelas, remédios, roupas vagabundas, secadores de cabelos, cosméticos, fraldas, bíblias e mil outras porcarias, agora investem sobre elas com erotismo barato, com a balela sexual e com sadomasoquismo... Ora!, trancadas em suas prisões domiciliares servindo ao macho, aos filhos, aos cléricos, ao Estado e aos netos, já não estão mergulhadas no sadomasoquismo há séculos??? Enfim, na semana que vem, o referido Best Seller estará, com certeza, junto aos de Paulo Coelho e aos do Padre Marcelo na primeira fila dos mais vendidos. Você que nem sabe mais o que leva entre as pernas, está intimada a comprar um exemplar... Não sei se por coincidência, neste sábado um dos jornais locais publicou aqui no DF, sob o título de A tirania do orgasmo, um interessante artigo com as declarações de um ginecologista sobre as dificuldades sexuais das mulheres. Nada novo, mas como a ignorância é epidêmica e o tema é tabu, muita gente ficou ou fingiu ficar de boca aberta diante de tal realidade. Diz o referido estudo feito pela quase sagrada USP: 35% das mulheres (leia-se 75%) sofrem com a ausência de desejo sexual, mais conhecida como frigidez. Segundo declarações de uma outra autoridade em ginecologia, contidas no mesmo artigo, são três os fatores que podem interferir no orgasmo feminino: 1. O transpessoal, isto é, os valores culturais, religião etc., do local onde a menina é criada. Por exemplo: sexo é sujo, coisa do diabo, Jesus não gosta que as meninas gozem etc.  2. O interpessoal, refere-se ao tipo de sujeito com o qual a mulher está se relacionando sexualmente. Tanto um cara estúpido e um brutamonte como aquele banana, delicado e parecido a uma mariposa encantada podem funcionar como interditantes de seu desejo. 3. O intrapessoal, diz respeito a competência ou incompetência da mulher de transitar ela própria por seu corpo e, evidentemente, de querer desfrutar dele. A mesma pesquisa afirma (e esse dado é um golpe mortal nas fantasias e nas perversões masculinas) que “92% das mulheres brasileiras (mulheres brasileiras!) não se masturbam com frequência” (leia-se, quase nunca)... Diante de todos os conhecidos,  repetitivos e chatos rituais na busca de uma remota e idealizada fornicação, não lhes parece que é realmente chegada a hora de livrar-se dessa neurose e de ir estudar harpa?...

2 comentários:

  1. Bazzo, e essas aí, será que gozammmm??????

    http://blogs.elpais.com/eros/2012/08/dónde-estan-las-lesbianas.html

    ResponderExcluir
  2. http://ela.oglobo.globo.com/moda/moda-feminina/livro-cinquenta-tons-de-cinza-vai-ganhar-linha-de-roupas-lingeries-5794265

    ResponderExcluir