"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 8 de julho de 2010

Jezabel, Elisa e os Rottweilers...

Enquanto a policia confinava os Rottweilers e procurava pelos ossos de Elisa, dizem que o goleiro do flamengo, já preso, pediu uma bíblia e fez uma oração antes de repousar. O que existiria nesse livro que todos os condenados e os encarcerados pedem imediatamente um exemplar? E mais, como é que os carcereiros sempre arranjam um por lá e com tanta rapidez? Duvido que se pedissem 120 dias de Sodoma ou A Cabala – por exemplo - suas demandas seriam atendidas com tanta presteza. No caso desse crime, dá até para desconfiar que a bíblia tenha servido como inspiração aos assassinos, já que numa de suas estórias Jezabel (princesa fenícia) também é assassinada, defenestrada e comida pelos cachorros. O autor, lamentavelmente, não faz nenhuma referencia ao pedegree dos animais.

Obs: No que se refere a crimes hediondos, aqueles que quiserem se manter atualizados devem andar sempre com o Velho Testamento em baixo do braço.

 Ezio Flavio Bazzo

2 comentários:

  1. Pois é meu caro, agora bandido quando vai preso faz uma oração na frente da TV ou pede algum objeto religioso. Sempre haverá uma salvação no berço de alguma religião hipócrita para esses assassinos.

    ResponderExcluir
  2. Prezado Bazzo

    A bíblia, livro literário antes de tudo, é como se quem lesse limpasse sua moralidade. A religião é como um serasa da moralidade. É só espetáculo nessa imundície toda.

    ResponderExcluir