"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

terça-feira, 17 de abril de 2018

O mendigo K e os garimpos...


"A beleza provoca o ladrão mais do que o ouro..."
Shakespeare

Desde às sete da manhã o mendigo K está sentado em frente ao STF, esperando o resultado da votação que, provavelmente, mandará o neto do quase presidente Tancredo Neves para o cárcere. Desse jeito, com todos esses malandrins sendo enviados para a cadeia, - me dizia - logo logo começará haver uma luta de classes também no interior dos presídios... 
Contou-me, em breves palavras, que antes de vir para Brasília, trabalhou num garimpo lá na Guiana francesa e também no Pará. E que ficou admirado com a relação dos garimpeiros com as prostitutas que por lá aportavam vindas de todos os cantos do Brasil, da Bolivia, do Peru, da França e até da Africa.... 
Aqueles pobres homens, sempre com uma cruz ou um patuá amarrado ao pescoço passavam meses para garimpar uma pequena lasca de ouro e quando o conseguiam, iam diretamente para os bordéis improvisados onde as mulheres, cinco ou seis, caiam sobre eles como abutres e até lhes juravam amor eterno. Passava lá uma semana, dormia com praticamente todas, o pedaço de oro desaparecia e ele voltava, magro, com uma boa carga de sífilis e mais ou menos feliz para o pântano do garimpo. Fez uma breve pausa e me perguntou com um tom solene: Quê escravidão é pior, a do ouro ou a do sexo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário