"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

domingo, 18 de março de 2018

Parasitas...

Parasitas - Guerra Junqueiro

No meio duma feira, uns poucos de palhaços
Andavam a mostrar, em cima dum jumento
Um aborto infeliz, sem mãos, sem pés, sem braços,
Aborto que lhes dava um grande rendimento.
Os magros histriões, hipócritas, devassos,
Exploravam assim a flor do sentimento,
E o monstro arregalava os grandes olhos baços,
Uns olhos sem calor e sem entendimento.
E toda a gente deu esmola aos tais ciganos:
Deram esmola até mendigos quase nus.
E eu, ao ver este quadro, apóstolos romanos,
Eu lembrei-me de vós, funâmbulos (roedores) da Cruz, 
Que andais pelo universo há mil e tantos anos, 
Exibindo, explorando o corpo de Jesus.

Um comentário:

  1. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2018/03/19/interna_cidadesdf,666997/lideres-de-igrejas-do-entorno-sao-presos-em-operacao-do-mp.shtml

    ResponderExcluir