"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

A passagem do nada para o nada...


 "Dante enganou-se grosseiramente quando gravou com terrível ingenuidade na porta do seu inferno esta inscrição: [TAMBÉM A MIM O AMOR ETERNO ME CRIOU]"
F. Nietzsche, p. 41 da Genealogia da moral








Um comentário:

  1. Ao trazer alguém à vida, dá-se origem a uma pessoa que, em suma, passará da inexistência para uma breve viagem na existência, com destino certo à inexistência novamente.
    Custa a nós pensar que sejamos apenas isso, efêmeros pedaços de carne condenados à extinção e ao esquecimento. Essa compreensão chega a nós como uma realidade corrosiva, como um pesado golpe contra nosso orgulho e nosso senso de importância

    ResponderExcluir