"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

A medicina, como fábrica e mercado de angústia

E aí? Já tomou suas vacinas? Já checou seu colesterol? A glicose? Os triglicerídios?

Cuidado com a tireóide! O fígado, os rins, os intestinos, a bílis negra, os corrimentos, as veias do reto. Tantos por cento morrem com câncer nas tripas! Cuidado! As piores doenças são silenciosas! Vá regularmente ao dentista. Um dente podre pode afetar seu coração! Existem mil tipos de aritmias! E os olhos? Cheque frequentemente a pressão de seus olhos. Olha o glaucoma aí gente! Todo mundo é diabético! Há uma propensão ao alcoolismo e à depressão na espécie. A depressão será o Grande Mal do Mundo! Comece a tomar remédio desde já. Vá verificar o estado de seus ossos. Lembre que você não é uma minhoca. Os exames que eram qüinqüenais passaram a ser semestrais. O status médico não pode ir para o buraco! Não dá para ficar com equipamentos parados. Vamos fazer exames, passar a vida fazendo exames até encontrar as raízes da morte em nossas entranhas. Ninguém o curará de nada, mas pelo menos você ficou sabendo. Apalpe seu corpo, você pode descobrir alguma anomalia: um caroço, uma espinha, uma veia pulsante, um chip. Mesmo que não seja nada grave, pelo menos lhe dará a experiência da angústia e a angústia, você sabe, é sinal de que você está vivo. Lambuze-se diariamente com protetor solar. O mais caro é sempre o melhor. E a próstata? Olha lá! Olha lá! A próstata é uma glândula de fácil desarranjo, como praticamente todo o corpo, foi um erro estúpido na evolução, mas os médicos, por dez ou doze mil poderão remediar ou mesmo extirpar esse mal. Vá ao geriatra. Mantenha-se lúcido como uma pantera até aos noventa anos! Não dê ouvidos àqueles que acham que a longevidade é um projeto tolo da burguesia e um truque das multinacionais dos medicamentos. Arraste-se pela vida, nem que seja como um verme, até o FIM. Mas resista. Esteja sempre entre as caravanas que vão mensalmente à Aparecida ou a Juazeiro do norte! Se sua aposentadoria não for suficiente para comprar remédios, vá ao banco, faça empréstimos. Quase sempre os banqueiros, que são acionistas também dos planos de saúde e das importadoras de medicamentos, transbordam de compaixão para com os da quinta idade. E as tetas? A indústria da mamografia só não cresceu mais que a indústria imobiliária e a indústria da cocaína. Comece a fazer seus exames a partir dos vinte anos. Você só tem quinze? Vá assim mesmo. Se você não quer parar de comer suas afrodisíacas feijoadas com cachaça e leite condensado, faça redução de estômago. Corte-se! Quanto mais cicatriz tiver, mais dará a impressão de ter vivido. Seja um homem ou uma mulher de seu tempo, pois tanto as vidas, como as guerras, acabarão sempre no cemitério.

Ezio Flavio Bazzo

5 comentários:

  1. Esta crônica genial tem que ser lida por muita gente. Parabéns, Ezio Bazzo, por sua lígua afiadíssima, lúcida, necessária neste tempos de pura barbarie científica e tecnológica.

    ResponderExcluir
  2. Ézio, o senhor deveria escrever um livro sobre o mundo médico.

    1) Vc sabia que os médicos dos grandes hospitais como Albert Einstein ou Sirio Libanes ganham por paciente internado? Tem médicos que fazem de tudo para internar mesmo sem necessidade os pacientes que podem pagar.
    2) Vc sabia que um médico-chefe ganha uma porcentagem das consultas feitas por outros médicos-lacaios? Em teoria, os pacientes são do chefe e os lacaios apenas vassalos do chefe. Cada seção de um hospital pode ser considerado um feudo.
    3) Vc sabia que como o médico clínico é explorado pelos planos de saúde, a solução encontrada pelo médico é explorar o paciente dando mais consultas em menos tempo? Qualidade cai, quantidade aumenta, quem paga no final é o paciente.
    4) E as porcentagens que o cirurgião ganha das empresas de próteses, válvulas cardíacas etc? E os presentes das empresas farmacêuticas, as porcentagens dadas em grana por cada remédio receitado? O médico é um prostituto, e como todo puto nunca poderá ser honesto.

    Eu sou um estudante de medicina, e vejo diariamente os estudantes doidos para publicar um paper, encostar em um médico importante para fazer uma inicição científica na esperança de se tornar vassalo dele. Vejo os estudantes se prostituindo na graduação procurando substitutos paternos diante da insegurança de uma graduação que ensina mal os alunos.

    No final, a medicina é um grande negócio, uma grande venda com marca, imagem e toda sacanagem do marketing enganoso. E nenhum ser mais ignorante que o paciente. Dele, o médico busca arrancar o máximo de grana, aproveitando-se da ignorancia e do medo dele.

    Não importa mais o paciente, ele é só um anônimo. Quem tem os pacientes ricos são os chefes, os professores titulares. O resto sofre trabalhando nas UBSs para o escárnio do resto da elite médica.

    Enfim... como em todas as formas de produção de riqueza atuais, a exploração está presente. Nessa sociedade dos espertos, todos querem vencer, a boa vontade morreu, o lucro venceu e aprisionou o amor a ponto dele ser agora um valor que ninguém mais sente além do interesse.

    A solução? Não ficar doente, não ser gordo, hipertenso e evitar doces e o sedentarismo. Só isso economizaria muito. Mas é claro, é sempre melhor condenar o populacho ao trabalho excessivo, à falta de lazer, e o fim na bebida e nos doces e naquela ilusão de que um dia todos seremos ricos pelo trabalho.

    O médico nunca foi um profissional liberal. Como todo trabalho, ele é explorado. Depois que ele acumula alguns cargos importantes, junta a confiança de uns pacientes ricos, ele arranja o direito de explorar os outros médicos. Nenhum grande médico realmente trabalha nos projetos científicos, na maioria das vezes ele deixa o estudante fazer boa parte do trabalho, mas claro, na publicação ele sai como autor do trabalho e o estudante se beneficia talvez um dia conseguindo um ou outra indicação do chefe dele para algum subcargo ou paciente particular.

    É triste, no final as ilhas de excelência ficam lá longe, para todo mundo olhar e admirar. Mas o que ninguém percebe é que gente importante e rica fica sempre lá longe, e os médicos mal e mal propagam o conhecimento que adquirem por medo de concorrência.

    O resultado é sempre essa mediocridade do brasileiro. E em vez de culparem a elite médica de seu isolamente e má vontade em ensinar, culpa-se sempre o ignorante por sua ignorancia. Quem cuida de pobre é o médico pobre, mal ensinado, que tem que se virar mal e mal na graduação. Médico rico tem o papai, o tio ou o padrinho mafioso, tem áreas da cirurgia que são verdadeiras dinastias. Ninguém nunca falou disso, existe há decadas, há centenas em todos os países, afeta toda a saúde da sociedade, mas não, ainda insistimos no mito de que o médico é um santo.

    Pessoal, o médico é um proletário, que a qualquer momento vai fazer de tudo para explorar o outro. Quando ele falha em ser importante, em ser tubarão, ele é considerado um médico de merda, e fica trabalhando na UBS ganhando mal e tratando dos pacientes semi-insanos da periferia.

    ResponderExcluir
  3. "Parpalaid: Você pode pensar que sou um defensor exagerado de padrões morais, mas será que seu método não subordina o interesse do paciente ao do médico?
    Knock: Dr. Parpalaid, o senhor está esquecendo que existe um interesse maior do que o dos dois.
    Parpalaid: E que interesse é esse?
    Knock: O interesse da Medicina. Sirvo a esse interesse e apenas a ele (...) O senhor me deu uma cidade habitada por vários milhares de indivíduos neutros, indivíduos sem orientação. Minha função é orientá-los, conduzi-los para uma vida de Medicina. Eu os coloco na cama para ver o que pode ser feito com eles: tuberculose, neurastenia, arteriosclerose, o que quer que o senhor queira, mas alguma coisa, pelo amor de Deus. Nada me torna tão nervoso quanto essa nulidade indefinida denominada um homem sadio."
    Jules Romain; Knock

    "Transformar problemas e contingências comuns da vida, como o envelhecimento, a timidez, a menopausa, a tristeza ou a solidão, em doenças que podem ser tratadas com medicamentos é uma das argúcias utilizadas pela indústria farmacêutica para vender melhor seus produtos. Mas não é a única."
    Leia mais em http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=38976&tid=158728

    ResponderExcluir
  4. E aí, Ézzio? Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come...
    Gostaria de saber se vc está atendendo, locais e condições.
    Grata,
    Yashud
    yashud@ig.com.br

    ResponderExcluir
  5. como já estou com quase 50 anos, fui ao medico, ele , após a batelada de exames, disse que tecnicamente era pra eu estar morto pois o meu colesterol está pra lá de alto, meu coração está fodido, meus dentes em petição de miséria,estou com começo de impotência, enfim, sou um zumbi, era pra estar morto mas não estou. O médico disse para eu me cuidar mais, sai dali resmungando eu não vou me cuidar porra nenhuma. A vida era esta merda toda então? Dane-se tudo.

    ResponderExcluir