"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

terça-feira, 30 de maio de 2017

Os fumadores de crack de São Paulo, a policia médica... e os Gulags da Sibéria...

Parece não ter mais fim as discussões sobre a pertinência  ou não de se  internar compulsoriamente aos viciados em crack que atemorizam as ricas avenidas de São Paulo. Se para uns isto seria um ato de caridade greco-romano-judáico-cristã, para outros seria uma recaída na impostura e na tirania dos tempos da "policia médica" e das internações nos Gulags da Sibéria.  Médicos, psicólogos, antropólogos, padres, jornalistas, coroinhas, advogados, donas de casa, astrólogos, enfermeiras, profissionais das mucosas, juízes, chefes de polícia, astrólogos, traficantes e até filósofos (uns oriundos da USP, da PUC ou da Mackenzie) opinam sem respirar, cada um, evidentemente, defendendo sua seita, seu moralismo e seu negócio. E os fodidos que estão lá em frente ao Teatro Municipal e nas sombras das ruelas adjacentes há décadas, vivendo de humilhações, de sarcasmos e de vícios assistem a tudo agarrados a seus trapos, a suas pulgas e a seus cachimbos improvisados, sem conseguirem lembrar a seus carcereiros e impostores que cada um deles, se ainda não queima uma pedra de crack, pelo menos de vez em quando, engole algumas gotas ou algumas drágeas de  clonazepam, sem falar, evidentemente, das chulapadas matinais de cachaça, porque viver no seco é um ofício pra lá de complicado. 
 Tudo bem, mas o que fazer com essa gente agora? Me pergunta com agressividade um dos referidos doutores. Agora?  - lhe respondo - Agora é tarde. Não há mais reza ou demagogia que resolva e nem solução para eles.  Estão com os ossos, os pulmões e os neurônios destruídos... A sociedade terá que suportá-los e esperar... Esperar até que o crack cumpra o que, secretamente, as elites "trabalhadoras", "sóbrias" e "honestas" sempre  esperaram dele. E depois? Ora!, depois mandar os camburões recolher as ossadas...
___________________________
EM TEMPO:   e se esses burocratas, depois de internarem compulsoriamente os fumadores de crack resolverem internar também os que tenham taxas elevadas de colesterol?, os histéricos, os mentirosos, os que tenham algum  transtorno de personalidade? Os empresários milionários que vão à missa todos os domingos e que sabem harmonizar a hóstia com a síndrome de Korsakoff?
 Internar? Ora! Internar aonde? Tentem internar alguém (que tenha um transtorno psiquiátrico passageiro ou um problema psíquico qualquer) de uma ponta a outra do país, para ver se conseguem. E quando isto, por "milagre", venha acontecer, será sempre em ambientes que não se diferem em nada daqueles dos manicômios franceses que Pinel conseguiu interditar ainda em 1800, onde os doentes eram tratados como loucos e endemoniados...

8 comentários:

  1. https://www.youtube.com/watch?v=Q3tk13DS7Q0

    ResponderExcluir
  2. eja.abril.com.br/brasil/tirado-da-cracolandia-irmao-de-suzane-von-richthofen-e-internado/

    ResponderExcluir
  3. http://brasil.elpais.com/brasil/2017/05/26/politica/1495830499_134676.html

    ResponderExcluir
  4. http://veja.abril.com.br/brasil/drauzio-varella-desmente-secretario-de-alckmin-e-descarta-comite/

    ResponderExcluir
  5. http://super.abril.com.br/blog/alexandre-versignassi/caso-richthofen-na-cracolandia-e-uma-aula-de-fake-news/

    ResponderExcluir
  6. http://veja.abril.com.br/blog/maquiavel/nova-secretaria-de-doria-anunciou-fim-da-cracolandia-em-2012/

    ResponderExcluir
  7. https://www.youtube.com/watch?v=8kb6JtVE2Ik

    ResponderExcluir
  8. https://www.youtube.com/watch?v=PUSWKtBrXqk

    ResponderExcluir