"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 27 de abril de 2016

Ao som dos bandolins...


Clicar no canto esquerdo da faixa para ouvir a música



Jasenko Djordjevic (em madeira)
Fotografia de Dado Ruvic/Reuters


2 comentários:

  1. adoro miniaturas, acho que pra equilibrar o horror que tenho da imensidão da miséria humana!

    ResponderExcluir
  2. Quanto aos bandolins,
    na amplitude, é hino à beleza; "se julgar amada ao som dos bandolins" é a maior expressão de beleza que uma mulher pode atingir.
    No particular, um momento inesquecível!
    Vivi sim.

    ResponderExcluir