"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

terça-feira, 15 de abril de 2014

Em breve, nos semáforos e nos botecos da república II.




“L’art du Voyage induit une éthique ludique, une déclaration de guerre au quadrillage et au chronométrage de l’existence...”

Michel Onfray
(em Théorie du Voyage)




No passado, o objetivo das viagens era claro: apreender, ter acesso ao diferente, ao estranho, ao exótico, ao improvisado, ao fantástico, ao bizarro, ao nunca visto e até ao secreto, para assim poder cagar com mais ênfase sobre todos os tipos de cânones sociais... mas tudo isto acabou. Agora é o famoso deja vu que as rege, sejam elas à esquina de casa ou aos cafundós do Congo. Tanto pela ociosidade dos aviões como pela voracidade da indústria da cultura e do turismo as grandes máfias se apropriaram de todas as novidades e de todos os “costumes” e agora os disponibilizam parcimoniosamente e em troca de suaves prestações aos turistas, principalmente aos bandos da primeira e aos da terceira idade, quase sempre simplórios e deslumbrados.

Não sabe falar outro idioma? Não faz mal! Não atrapalha em nada! Nós lhe daremos tudo mastigado! E depois, tudo está estandardizado. Isto é uma toalha! Esta é sua senha para a internet! Aqui está o mapa de tudo o que lhe interessa e do que vale a pena conhecer. Aqui está um guia sintético em seu idioma. Já sabemos que você não é fumante, que não gosta de edredom e que odeia dar gorjetas, seja às camareiras ou aos garçons. E mais: que na infância mijava na cama e odiava polenta com lambari frito.

Não tem religião? Não importa, somos tudo o que o cliente quer que sejamos. Ah, é Cristão!? Lhe colocaremos num quarto com um imenso crucifixo pingando sangue sobre o leito.

É muçulmano? Lhe colocaremos em uma suíte com a cama em direção a Meca. É ateu? Há na gaveta do criado mudo os evangelhos segundo Miguel Bakunin.

É antissemita? Aqui estão os principais discursos de Hitler e os Protocolos dos sábios de Sion. Ah, odeia os alemães? Aqui está um CD com imagens do massacre de Dresden e com a Lista de Schindler.

Gosta de putas? Temos um book com fotos e preços.

Ah, é pederasta? São incontáveis os brasileiros desse pedigree que passam por aqui... O que está acontecendo com aquela pátria?... Somos donos de todas as saunas gays da cidade (espera aí, dizer sauna gay já não passou a ser um pleonasmo?).

Mais tarde, referindo-se ao Brasil desabafou: que país de merda esse de vocês! Que gente de merda...! Vocês são os únicos do mundo que reivindicam cidadania e dignidade por decreto! Os negros, ao invés de por meio de conhecimento dominarem a saúde e a educação do país, mendigam cotas raciais e copiam o mau caráter dos brancos! Os índios, ao invés de resgatarem a sabedoria botânica de seus bisavós e livrarem o país da tirania das multinacionais dos medicamentos, ficam bebendo cachaça e tomando aspirinas na beira das estradas e implorando clemência do Estado! Os massacrados pela ditadura chegaram a cobrar até uma indenização do governo e do exército. Ora! Um torturador tem que ser identificado e eliminado! E ponto.

Os homossexuais, ao invés de inventarem um tipo de relacionamento menos estúpido e menos cretino que o vigente ficam dando o rabo nos fundos das rodoviárias e querem casar-se com véu e grinalda como verdadeiros idiotas e mais, ainda imploram miseravelmente a tutela e a proteção dos deputados e do Estado contra os heterosexuais! que fiasco!

Estas meio brocha? Relaxe que isto é psicológico e que há Viagra a vontade no armário do banheiro.

É intelectual? Podemos agendar-lhe uma reunião com o reitor em exercício ou com algum poeta de plantão. Os poetas estão sempre sedentos por recitais e não será difícil encontrar alguém que lhe recite alguma coisa própria, de Baudelaire ou até de Clarice Lispector. “Não esquecer que por enquanto é tempo de morangos”, escreveu essa mulher judia e oriunda da Ucrânia na última linha de A hora da estrela...

Pratica esportes? Que bom! Mas não se iluda achando que isso alterará tua data de validade. Morrerás da mesma forma e quase sempre como um cachorro solitário.... Temos importantes descontos nos principais clubes.

Tem paixão pelo esoterismo? Este hotel te brinda com o famoso tarô de Marselha!

Precisas de algum milagre? Temos a chave da sacristia da Virgem de la garde, conhecida aqui por “boa mãe”.

Alcoolista? Aqui está uma garrafa do legítimo Pastis marselhês.

É narcisista/histérico? Podemos acionar qualquer TV ou jornal da cidade para uma entrevista. Ambos, como deves saber, “são arquivos de coisas canalhas, de coisas pícaras, nojentas e estupendas”. Problemas de ansiedade ou de transtorno bipolar? Não se sinta intimidado por isso, pois vivemos uma epidemia de loucuras! Além do rivotril gratuito, um psiquiatra poderá ir ao seu quarto todas as tardes, só que lhe custará 300 euros a hora.

Tens, mesmo que reprimida e inconsciente, alguma intenção ou fantasia terrorista? Infanticida ou coisa parecida? Uma vez que nos pague as diárias em dia, não vemos, não ouvimos e somos mudos. Combinado?

Queres conhecer a história real ou a história fantasiosa das coisas? O mesmo agente poderá oferecer-lhe tanto uma como a outra, e pelo mesmo valor. Se sentes prazer cristão e sádico em dar esmolas, lhe prevenimos que os dois supostos mendigos que ficam ali, um na esquina sul e outro na esquina norte, pertencem a nossa organização... Eutanásia para si ou para algum familiar? Temos especialistas na Suíça. Tudo sob o maior sigilo e disfarçado de morte natural...

Desculpe a indiscrição: Daqui, vais para a Alexandria? Para o Cazaquistão? Ou para outro lugar? Ah, segues para Frankfurt!? Que bom! Mas fazer o que naquela terra de porcos? Temos lá também nossos representantes, que vendem desde salsichas até pedras preciosas. Não sabes falar alemão? Não importa. Essa língua bárbara ainda desaparecerá do planeta. Hoje em dia temos pequenas máquinas que traduzem tudo na hora e depois, você sabendo dizer auvidessem e tankchem, está tudo resolvido. Qualquer coisa, chame a polícia. Apesar do discurso estatal, ela só existe para garantir a ordem de nossos negócios. Somos uma rede internacional, monsieur! Não temos ideologia, nem filosofia, nem idiossincrasia alguma. Talvez sejamos até libertarianistas. Só idolatramos verdadeiramente uma coisa: o dinheiro. Isto sim! Nossos sentimentos são apenas reflexos de nossos bolsos e nossa simpatia é movida a moedas, a cartão de crédito e a notas de cem euros.

Hoje em dia (e não se engane, foi sempre assim!,) tudo é movido a dinheiro de corrupção. Podes voltar a ler Marx, Kissinger ou Kropotkin para ver que nas entrelinhas, até eles já previam esse futuro para o mundo... Não existe riqueza nem poder sem corrupção! E ela é útil, pois retira dinheiro do estado e o devolve a algumas famílias... Neste planeta globalizado, todo o dinheiro roubado na corrupção é aplicado preferencialmente na mídia e no mercado negro de hotelaria mundo a fora. Sei que parece bizarro dizer que hotéis de luxo em Paris e Londres, resorts nas ilhas gregas e spas nos Alpes, todos para o sossego e o deleite das elites, tenham sido construídos com dinheiro sujo dos miseráveis da Bolívia, do Brasil, dos EEUU, da África, dos países árabes, América latina em geral.., mas o mundo é assim... Existe uma máquina demoníaca fazendo o populacho acreditar que as coisas supérfluas são coisas necessárias! Tente saber o nome de seus sócios. Não saberás... Concordo contigo que uma sociedade que tolera as chamadas Sociedades Anônimas é descaradamente, uma sociedade porca, mafiosa e bandida... mas, fazer o quê? Resta-nos o consolo de saber que toda essa gente vem sendo devorada pelos micróbios da insensatez...

Bom.., e em caso de infarto ou congestão que resulte em morte, temos um crematório no subsolo ou podemos conseguir-lhe um enterro aqui no Saint Pierre ou lá no Père-Lachaise, acompanhado pelo arcebispo de Paris e, inclusive, uma tumba ao lado da de Chopin. Ah, você não gosta de música! Então lhe arranjaremos uma bela lápide ao lado de Robespierre ou até mesmo ali na Rue des art’s, no Memorial da Marseillaise... ( pp 61 66).

9 comentários:

  1. Porra! repetindo texto...já tinha lido isso teu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como lhe responderia o mendigo K: Não sou eu que estou "repetindo texto", mas você que está "repetindo leituras!!!
      E como lhe responderia meu amigo baiano: " E vá foder outro!"

      Excluir
    2. Ezio, sem evasivas! você entendeu muito bem o meu comentário e penso que os leitores desse blog( os comentários deles revelam que também conheciam o texto mas sabemos, o que mais tem é vaselina ); repetiu sim! e em que sentido...plagiou a si mesmo ( o que é pior ); e se ainda não ficou claro minha "critica" que fique, se você não tinha o que escrever de "novo", não escrevesse; uma música que tal!!? ela "pode" ser repetida, as palavras não ( como você mesmo pontuou aqui...enfadonho! Quanto ao " E vá foder outro!" pergunto sem "medo" : Qual o seu receio com minha "critica informal"( diga-se de passagem)?...

      Excluir
    3. Companheiro, o anonimato é a pior das misérias! e como escreveu o defunto Garcia Marquez na página 76 de seu "Memórias de minhas putas tristes": - não se engane os loucos mansos se antecipam ao porvir...

      Excluir
  2. Desagradável, desesperançoso, subversivo, sarcástico, iconoclasta: tudo em prol da máxima lucidez!!!

    ResponderExcluir
  3. Quero um exemplar original! O excerto demonstra, mais uma vez, que se trata de texto extremamente ácido, incendiário, visceral, divertido, no qual o escárnio e a zombaria são mais que pertinentes...Fiquei com vontade de reler outra obra excepcional do Bazzo: A Arte de Cuspir...

    ResponderExcluir
  4. Vou querer um exemplar tb. Bazzo, tem previsão de mais exemplares do "Para antes que a gente vire pó"?

    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Bazzo, qual é o jeito mais fácil de adquirir os seus livros mais recentes?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem o link da livraria das absurdidades. Comprei 2 lá.

      Excluir