"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Biblioteca interditada no DF

















"É preciso, pois, se sentir culpado. Eis-nos arrastados ao confessionário laico, o pior de todos..."
A. Camus
(em écrits polítiques)



A população que frequentava a Biblioteca Demonstrativa do DF está furiosa com sua interdição pela Defesa Civil. 
Amanheceu fechada com um lacre, igual a um cinema pornográfico há uns dez anos atrás que havia lá no CONIC... Sem nenhum romantismo babaca, é evidente que o fechamento de uma biblioteca na capital da república e pelas causas relacionadas abaixo

é sempre um sintoma de decadência irreversível... Ou não?   Ou será a mesma coisa que fechar uma boca de fumo ou um boteco de periferia? 
E a Biblioteca Nacional, que a administra, ainda fica descaradamente mandando e-mails à população apelando para que esta a ajude a salvá-la. Ora! será que querem ver nossa Declaração de IR? 
E o pior de tudo, é que já deve haver algum malandro pronto para  querer transformar aquele espaço num "templo"...  Outro templo de vigarices!
Vários autores que conheço estão decididos a passar lá amanhã para resgatar os livros que doaram e que agora correm o risco de irem para o lixo. Aliás, um cartaz nas vidraças lembra que Biblioteca não é lixo, etc.







E mesmo assim daqui a uns dias não faltarão idiotas e cretinos para do alto de algum trio elétrico ficarem gritando que uma nação só se muda com cultura e com livros...

5 comentários:

  1. Enquanto isso milhões pra fazer estádios e pra Fifa, milhões pra espertalhões se locupletarem com esse esporte idiota. Nas cidades do interior está bem pior, aqui na minha cidadezinha a biblioteca pública só abre de tarde, só tem uma funcionária pra antender. Ganha 800 reais por mês,perguntei pra ela como ela, com filhos e marido desempregado, sobrevive com essa miséria. A gente vai vivendo, ela disse com olhar tristonho e envergonhado.

    ResponderExcluir
  2. Deixar uma biblioteca chegar a este estado, e uma biblioteca como esta, é a maior prova de descaso, de descompromisso, de omissão por parte dos governantes para com a poplulação, para com o país. Trata-se de um bem público de inestimável valor. Isto me lembra um filme muito interessante chamado "montanhas azuis" que conta a história da decadência do povo russo , mas que na verdade, é a história de decadência de qualçquer sociedade supostamente organizada, onde todos tornam-se sistematicamente cegos, incapazes de ver e de agir...

    ResponderExcluir
  3. Quanto menos bibliotecas disponíveis, mais fácil para manipular o povão ...

    ResponderExcluir
  4. Medo, ódio, soberba, intolerância e sede de poder foi o que sempre motivou os destruidores de livros, cuja intenção na verdade nunca foi destruir o objeto em si, mas o que este representava - o vínculo com a memória, o patrimônio de idéias de toda uma civilização. Este livro oferece uma visão aterradora da devastação, que se inicia no Mundo Antigo, passando pela Inquisição e pelos tempos das conquistas, até a catástrofe mais recente - a destruição de um milhão de livros no Iraque, como conseqüência de uma guerra absurda.

    ResponderExcluir
  5. Houve um tempo em que ela fervilhava em encontros culturais. Mérito não de um governo, mas de uma direção. Trago com orgulho três exposições feitas naquele outrora dinâmico espaço.
    Muito bom ter você sempre atento às ocorrências deste estranho mundo...

    ResponderExcluir