"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Calça culote, paletó e almofadinha...

Tentaram roubar as cinzas de Freud num cemitério de Londres! Uns dizem que o interesse dos gatunos era realmente pelas cinzas do mestre, outros apostam que o que se cobiçava na verdade, era apenas  a urna, esse vaso aí ao lado, já que teria sido fabricado na Grécia, lá pelos idos de Eurípedes. Será? Há gente que aposta que não passa de uma réplica de 8 libras! Cinzas, nada más!!!
Nas civilizações antigas a cremação era uma prática comum. Só eram enterrados os criminosos, os suicidas e aqueles que haviam sido fulminados por raios, já que essa fatalidade era considerada uma sacanagem de Jupiter. No Brasil, em parte pelo lobby das funerárias e das marmorarias, ainda há poucos crematórios. Como a religião predominante ainda acredita que um dia, um belo dia, os anjos descerão das estrelas, cada um com sua flauta, entoando hinos macabros para levantar os mortos de suas covas... o enterro com calça culote, escapulário, paletó e almofadinha ainda é predominante e quase obrigatório...


Um comentário: