"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Argentina e Brasil rivalizam e disputam também em corrupção...



Para ler o texto ouvindo a música clique no canto esquerdo da faixa





"A misantropia pode tomar aspecto de caridade; deixar a vida aos outros, para um misantropo, é realmente aborrecê-los. (Machado de Assis em: A igreja do diabo, p. 369)
Imaginem a performance: um executivo (Ex secretário de obras da Argentina) com um fuzil às costas fazendo uma cova no interior do mosteiro de uma pequena cidade, para nela enterrar clandestinamente uma mochila com 8 milhões de dólares. Atenção: 8 milhões de dólares não é igual a 8 milhões de pesos argentinos! Não há cineasta que não babe diante de tão sugestivos signos e imagens... E o fato causou mais curiosidade do que indignação àquele povo tão acostumado às  leituras lacanianas intercaladas com as de Melanie Klein... 
Seria um convento beneditino? Um refugio de eremitas? Um refúgio budista? Um bunker anônimo? Um Ashram zen de monjas virginais? De eunucos? Algo em homenagem a Santo Atanásio, ou ao Papa Francisco? Uma filial do Hospício Borda, de Buenos aires? E a estética coreografica e mórbida de um coveiro?! Se o fato aconteceu depois da meia noite... então... Coisa realmente de Secretário de Obras. Mas porque num mosteiro? Por que não fazem como os lusitanos daqui e levam logo tudo para os bancos do Panamá ou da  Suíça? 
E a escolha daquele local teria a cumplicidade da comunidade monástica? Quanto os padres levariam nessa? Parte iria para as tais ações misericordiosas? Para o gerente do mosteiro central? Mas logo num lugar que normalmente é repleto de celas e que tem uma escandalosa semelhança arquitetônica com os presídios! Como tudo isso deve ter sido angustiante e persecutório para aquele homem... Até quando aquele dinheiro ficaria lá? E quem o resgataria? Além do executivo, quem mais teria o mapa da mina? E se nesse tempo a dolarização do mundo descambasse para eurização e todas aquelas notas enterradas virassem lixo? 
Como normalmente esses mosteiros têm uma igreja nos fundos, com santas missas semanais, será que o ex secretário compareceria lá, de vez em quando, de braços dados com a "esposa" e cercado pelos filhos para, além de checar o local, mortificar-se um pouco, ouvir as palavras de deus, cheirar um pouco de incenso e deglutir uma hóstia?
Enfim, em corrupção, erudição e empanadas, como em cinema e leituras de Lacan, eles nos dão de dez a zero!
____________________________________________
Nota: a música é de Piazzolla e a ilustração de Van Gog.




4 comentários:

  1. http://g1.globo.com/mundo/noticia/2016/06/ex-secretario-de-obras-publicas-da-argentina-e-preso-enterrando-dinheiro-20160614120003622360.html

    ResponderExcluir
  2. Vejam a foto do ex secretário de obras da Argentina.
    Parece personagem do filme O incrível exército de Brancaleone!!!
    http://brasil.elpais.com/brasil/2016/06/15/internacional/1466017761_684620.html

    ResponderExcluir
  3. Ezio, segue mais um capitulo da comédia do ex secretário de obras da Argentina.
    http://brasil.elpais.com/brasil/2016/06/18/internacional/1466267395_134261.html

    ResponderExcluir
  4. http://www.clarin.com/politica/monja-declaro-esperaban-Lopez-convento_0_1618038271.html

    ResponderExcluir