sexta-feira, 18 de março de 2016

O ESTADO ESPETÁCULO...


Esta semana foi pródiga em surrealismos. Uma oportunidade para voltar a ler Bakunin, Malatesta, Kropotkin, Max Stirner, Flores Magón, e etc. Por todos os lados gritinhos de histerismo, punhos fechados, coices, palavras sem sentido, cavalaria, fotógrafos, padres, juízes, forças armadas, helicópteros, solenidades, gritos de ordem, crentes de todas as laias, perversidades intelectuais quase senis e uma devoção doentia sem objeto, sem sentido e sem razão...
Por mais absurdo que pareça, até o mendigo K. esteve ontem, ao meio dia, em frente ao Congresso Nacional levando um taco de beisebol na mão esquerda. Mas, sem conseguir diferenciar um bando do outro, voltou frustrado para debaixo de seu viaduto. Mais tarde o viram profundamente desolado rabiscando esta frase de Bakunin numa parada de ônibus:"As massas subjugadas e humilhadas contraíram o hábito fatal da obediência e a  resignação das ovelhas e se transformaram em consequência, em imensos rebanhos divididos e encurralados artificialmente para maior comodidade de seus exploradores..."
Homens de preto, de vermelho e de amarelo corriam de um lado a outro no meio da cavalaria, o nariz sangrando e as calças suadas no traseiro, sempre num fervor genuíno de seita e dispostos a morrer por um equívoco e por uma ficção qualquer. Discussões inúteis nos palácios e nos supremos, todo mundo desvairado, incapaz de raciocinar livremente, sem rumo e sem porvir, enquanto na periferia a plebe infeliz, explorada e despedaçada só queria saber mesmo era de seu naco de pão e de seu trago de cachaça... 

2 comentários:

  1. A prostituição na arte...

    http://www.corriere.it/cronache/sesso-e-amore/cards/splendori-miserie-prostitute-nell-arte/lussuria-l-illusione-vero.shtml

    ResponderExcluir