"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 24 de março de 2011

SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL cospe sobre abaixo assinado da plebe e autoriza a volta de bandidos...

Com o pretexto de fazer cumprir a Constituição o último Ministro indicado para o STF votou contra a validade da Lei do Ficha Limpa para as últimas eleições. No país inteiro e mesmo aqui em Brasília ouviu-se rajadas de foguetões e espasmos de contentamento por todos os lados. Os sindicatos não deram um pio, as universidades ficaram em silêncio, as igrejas nem apagaram seus incensos, o Congresso emudeceu, a “oposição” ficou cacarejando: Dura lex sed lex e os rebanhos terminais contentaram-se novamente com mais uma feijoada e com mais um trago de cachaça. 

Ah, é para respeitar a Constituição? Ah, bom! Mas então feche-se imediatamente a grande maioria das escolas, dos hospitais, dos restaurantes, das fábricas de porcarias, das TVs e rádios dos políticos, dos presídios, dos bancos, das congregações, das construtoras, das Câmaras de deputados etc., etc. 

E olhem que o mister Obama chegou até a sugerir que poderíamos exportar nossa democracia para as arábias!!! Ou será que depois de transitar pelos bastidores da república ele não quis insinuar que deveríamos importar pelo menos um pouco da indignação dos árabes?

Bah!!! Vocês sabem que escrevo apenas por escrever, pois está na cara que nosso destino – como diz a música abaixo – é chegarmos a ser um imenso, SUPREMO e piorado Portugal.


3 comentários:

  1. Vamos já praticando uns fadinhos: " Lisboa não sejas francesa, com toda certeza não vais ser feliz"... " Oh, tempo, volta pra trás, dá-me tudo que perdi"... "Lá em cima tem um tiroliroliro, cá embaixo tem um tirolirolá...!
    Desculpe a brincadeira pois sua crônica é excelente!

    ResponderExcluir
  2. Me senti escarrado no rosto com essa decisão. Talvez as vias democráticas tenham dado o seu último suspiro. Está na hora da porrada! À rua povo brasileiro, à rua se ainda tens um pingo de vergonha na cara e dignidade.

    ResponderExcluir
  3. Justiça ou Injustiça brasileira? Qual seria a melhor denominação? Depois da minha compulsória transferência para a "Cidade Maravilhosa", RJ, resolvi procurar um lugar para morar, e fui atraída por um anúncio no Jornal de um apartamento que estava dentro das minhas miseráveis condições de pagamento, fazendo uso de FGTS, economias, e etc. O vendedor/proprietário do imóvel era um Juíz que apresentou-se pelo cargo, ao invés do nome. Assinamos um contrato de compra/venda, e paguei 10% do valor do imóvel como sinal. Passaram-se três meses, e eu não recebi a documentação do imóvel para poder fechar a negociação, e o tal JUíZ simplesmente desistiu da venda e mandou-me...procurar a justiça para reaver os "meus direitos"... Diante de tal circunstância eu enviei uma cópia do contrato, narrando o caso, para todas as instâncias jurídicas possíveis: CNJ, CORREGEDORIAS, OAB´s e as rádios e TV´s jurídicas. Adivinha qual foi o meu retorno? Um processo por DANOS MORAIS na Justiça Estadual e Federal... Ninguém vai me perguntar sobre o processo contra ele? Pois é, já tem quatro anos...Ou seja, estou há quatro anos com a minha mudança "na rua", espalhada por depósitos, e morando em uma espelunca, porque o mercado imobiliário ficou "maluco" aqui no Rio de Janeiro, devido aos eventos esportivos, e houve uma especulação que variou de 100% a 200% os valores dos imóveis... Hoje, depois de todos os golpes e falcatruas que eu sofri, talvez eu consiga adquirir uma laje no Vidigal, afinal terei a vista mais linda do Rio de Janeiro, só não sei por quanto tempo...

    ResponderExcluir