"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

As maravilhas de Barcelona...

Barcelona é uma Babilônia!
Mais gente nas ruas só em Beijing.
Acreditar que os espanhóis estão em crise econômica é uma ingenuidade que beira à demência! Vivem num frenesi e num auge de riquezas e de cultura invejável. Seus investimentos na pobre e miserável América Latina lhes garante a siesta de todos os dias, o luxo dos azeites, dos vinhos, das paellas, dos museus e das ramblas...
Um tiro na madrugada. Gritos. As gaivotas acordam e rosnam no telhados dos prédios. Alguém vai à janela. São 4:47. Dois homens de uns 35 anos, o cabelo cortado à militar se empurram, se esmurram e se agridem em árabe. Um deles, depois de apanhar, olha para as janelas do quarto andar e grita por Assam. Assam! Assam!.. Mas ninguém responde. São 4:55. Passa agora a chamar por Ali. Ali! Ali!..
Um cachorro late na varanda do lado. Mais gritos em árabe. É difícil saber se se esta em Barcelona ou em Casablanca... Quatro moças atravessam a rua quase em disparada, também falando em árabe e com vestimentas que lembram os beduínos...
Miró! Por todos os lados quando não se fala em Miró se fala em Gaudi, Picasso, Dali... Há malandros para todos os gostos... Mas Barcelona é uma maravilha! Quase uma Babilônia. O mar, o vinho e as azeitonas parecem alterar os hormônios das mulheres (para melhor)... Quando olho para a Ramblas penso na juventude brasileira perdendo a vida por lá... indo do nada para o nada e sem reclamar... Como escrevia Walter Benjamin: "No escribas la conclusión de la obra en tu quarto habitual. En el no encontrarás valor para acerlo"...

Um comentário:

  1. Uma pequena lembrança ao prazeroso microtexto: não são espanhóis, são catalães! :D

    ResponderExcluir