"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

E Brasília tenta emancipar-se...

Nesta segunda-feira, numa espécie de surto primaveril, Brasília tentou deixar de ser um vilarejo suburbano para exibir-se como metrópole: protagonizou um incêndio de "grandes proporções" que ainda está fumegando e até um sequestro. Sim, um sequestro! O sequestrador roubou a cena durante oito horas. Período em que a mídia não conseguiu falar sobre outra coisa. Evacuaram os duzentos e tantos hóspedes do Hotel San Peter! Atenção: evacuaram do hotel e não no hotel! Depois de todo o circo as polícias especializadas descobriram que tanto as "bananas de dinamite" como a pistola do sequestrador eram de "mentirinha". 
Mas até um sequestro falsificado! Não bastam os remédios, a gasolina os dólares e os alimentos???
Não adianta... a vocação, a tradição e o amor desta cidade pela falsificação e pelo blefe é insuperável. 
Agora que a normalidade já retornou, que todo mundo já destrancou as portas, que o sequestrador/terrorista está engaiolado e o refém cercado de enfermeiros, impossível não lembrar da frase de Cioran: "Sou um terrorista fracassado, ainda não coloquei uma bomba na minha alma!"

Nenhum comentário:

Postar um comentário