sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

O mendigo K... fingindo ser analista político...

[Ali onde Deus levanta uma igreja, o demônio sempre levanta uma capela; e se vamos ver, encontraremos sempre mais fiéis na segunda...]
Daniel Defoe
(IN: Himno a la picota,  p. 137)

O mendigo K ligou-me de um país do sudeste asiático para prevenir-me: só há uma maneira do Bolsonaro escapar do impeachment: começar imediatamente três coisas. 
PRIMEIRA: construir estradas de ferro de ponta a ponta no país. SEGUNDA: tornar as águas do rio Tietê potáveis. 
E TERCEIRA: construir uma imensa rede de esgotos subterrâneos por todo território. Mas tem que começar já, amanhã mesmo, se não quiser igualar-se e ser confundido com Marechal Deodoro, com Getúlio, com Jânio, com os governos da ditadura, com Sarney, com Itamar, com Collor, com Fernando Henrique, com Lula e com Dilma... Do contrário, vai dizer o quê em Davos?
Acredite - insistia no telefone -: um país que não tem estradas de ferro esta condenado à melancolia e à miséria! Um país que convive com um Rio como o Tietê atravessando a maior cidade com aquele meio metro de espuma, arrastando geladeiras, colchões, pneus e cadáveres, pode ser comunista, fascista, anarquista, monarquista, globalista, tribalista e etc, não terá jamais nenhum tipo de credibilidade. Pode ter as melhores escolas e os melhores professores que não servirão para nada... E  um país onde 80% do território não tem esgotos, onde a merda de 200 milhões corre a céu aberto, não pode jactar-se de nada, muito menos de ser a décima economia mundial, porque, na verdade, nem sequer ingressou verdadeiramente no processo civilizatório...
Acho que ficou incomodado com meu silêncio e com minha vergonha e desligou...  

quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

As hipocrisias e as paranóias a respeito do armamento...

"A ciência, para progredir necessita transformar o cientista em um primitivo, em um bárbaro moderno..."
José Ortega y Gasset
(Citado por Alfonso Berardinelli IN: El intelectual es un misántropo, p. 17)



O país inteiro discute hoje o Decreto assinado ontem pelo  atual presidente da república sobre armas e armamento. 
Curiosamente, há um moralismo quase doentio a respeito do assunto, como se as armas fossem, necessariamente, a antítese da vida. Mas não são. São apenas armas. As atuais, inclusive, representam uma das conquistas mais importantes do Renascimento, do iluminismo e da Revolução industrial. 
E não apenas para guerrear, para intimidar ou matar-se uns aos outros, mas inclusive como peças decorativas. 
Eu mesmo já convoquei uma arquitecta/designer para decorar minha biblioteca com um fuzil ou com uma carabina. Fico imaginando um Kalashnikov pendurado ali sobre a obra completa de Freud ou sobre os pensadores da Escola de Francfurt... Ao lado da Bíblia, do Corão, do Talmud e do Livro de Mirdad... Do livro egípcio do Mortos... Ou então uma daquelas metralhadoras super-modernas (que os guardas do Vaticano exibem enquanto os beatos do planeta se enfileram como cabras para ver o Papa argentino) pendurada na horizontal entre os livros de Bakunin, de Malatesta ou de Flores Magon... e com o cano sobre meu violino... 
Um acabamento em madeira na coronha, uma mira telescopica e três ou quatro pentes repletos de cartuchos... Quando os intelectuais com suas delicadezas sacerdotais e obsessões pela paz, ouvem falar em cartuchos pensam logo na Cartuxa de Parma.. Quê miséria!.
Apesar dos especialistas em hormônios ainda não terem compreendido, acredito que há uma relação importante entre testosterona e armas... Os psicanalistas, petimetres e urbanos, para atacar os que vão à análise armados gostam de dizer que a arma (simbolicamente) é uma compensação para aqueles que têm pau pequeno. Errado. Pertenço a um clã onde todos eram muito bem dotados e onde todos tinham em suas casas três ou quatro espingardas atrás das portas, junto aos crucifixos e ao lado de uns ramalhetes secos de arruda, sem falar das pistolas que levavam enfiadas no cinturão, sobre o umbigo e com a ponta do cano no meio dos pentelhos...  
E la nave va...

segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Césare Battisti... Extraditado e trancafiado na Sardenha, com a brisa do Mar Tirreno entrando pelas grades......

"O homem é um animal que acredita, principalmente no absurdo..."
João do Rio






Acabo de cruzar com uma velhinha aposentada ali no mercado da esquina. Trata-se de uma senhora distinta que, apesar das décadas, pinta os cabelos, usa colares e até umas roupas com decotes que lhes deixam visíveis parte das tetas. Gosta de  gabar-se de admirar guerrilheiros, revolucionários, contraventores, ladrões, traficantes, estelionatários e subversivos de todas as espécies. Jura que tem em casa, atrás da porta do quarto, junto a Santa Edvirgem, uma foto do Pablo Escobar... E diz (de maneira quase maníaca) que nos últimos meses esteve sempre rezando para que o Cesare Battisti fosse repatriado para a Itália.
Que fosse repatriado? Perguntei pensando em evidenciar-lhe uma contradição.
Sim, que fosse repatriado ou extraditado... Sabe por quê? Porque ele mesmo já me havia confessado que preferia mil vezes estar numa penitenciária na Sardenha, com a brisa do Mar Tirreno entrando pelas grades, do que ficar solto no Brasil ou na Bolívia... (Deu uma gargalhada e desapareceu).

domingo, 13 de janeiro de 2019

FORTALEZA... Todos estamos interessados em saber as razões e a justificativa dos incendiários... Que as universidades, com seus vaidosos hermeneutas, lhes deem a palavra...




"... Après avoir tout obtenu par adresse, par amour ou par violence, il faut que tu cèdes tout, que tu t'anéantisses" (D'Annunzio, in: Contemplation de la mort.)
OU
"peuvent forcer la porte du four et entrer dans le mystère du feu..."(Giono)