sábado, 17 de agosto de 2019

desobedecendo...

[... Os animais podem ser devotados, mas o homem jamais conseguirá transmitir-lhes a lepra da adulação...] 
H. de Balzac


que 

sexta-feira, 16 de agosto de 2019

E quando tudo aquilo for um deserto, os descendentes dos idiotas de turno colocarão a culpa na invenção da motoserra...

{... Esse privilégio de estar à vontade em todos os lugares é exclusivo aos reis, às prostitutas e aos ladrões...}
H. de Balzac

Quem ainda esta com os tímpanos funcionando já esta de saco cheio de ouvir falar em desmatamento e em preservação da Amazonia
E já foram trinta anos do blábláblá de uma Direita cabotina, depois outros trinta do blábláblá de uma Esquerda também cabotina e agora já sete/oito meses de um blábláblá igualmente cabotino. Independente da histeria e da pressão internacional, é evidente que ver um analfabeto ignorante derrubando uma árvore de 500 anos, para vendê-la a outro analfabeto ignorante, é muito mais do que um crime, é uma idiotice. Uma burrice! Uma visão canalha de si mesmo! Um suicídio cretino! E pior ainda, quando a justificativa é limpar o terreno para plantar soja para a criação de porcos de países vizinhos ou da China ou para criar vacas... Uma vergonha!
E não adianta ficar fazendo novenas para que os desmatadores se regenerem, toquem fogo em suas madeireiras & serrarias e se convertam milagrosamente em adoradores das Sumaúmas, das Embaúbas, dos Piquiás, dos Jatobás e das Castanheiras... e nem ficar discutindo quais instrumentos são mais eficientes e precisos para medir o desastre. Inclusive, porque todo mundo sabe que nesse caso os dois melhores instrumentos para barrar essa voluptuosidade suja são: o chicote e a Winchester 44. 
E não digo isso por nenhum romantismo místico ou babaca com a floresta, mas porque uma árvore de 500 anos não pode, em hipótese nenhuma, ser derrubada, muito menos por um idiota que, se tiver sorte, viverá míseros 75, nem mesmo que com ela se pretenda construir as caravelas de um violino ou uma nova Torre de Babel para, através de suas escadarias circulares, cair fora deste inferno de mediocridades...
E la nave va...

E já que falei da Jacobina Lentz vou falar da Santa Dica e de sua República dos Anjos... Conhece?

"Después vi que es absurdo imaginar que hombres que no llegaram a la palabra lleguen a la escrita"...
J.L.Borges


Para começar a entender a bipolaridade nacional tanto na política, como na religião e como na psique da população, é fundamental rever e analisar as loucuras messiânicas que tiveram (e ainda têm) lugar por aqui, e nem precisa voltar muito atrás, basta que se analise as loucuras do século XVIII, XIX, XX, tipo Canudos (BA-18821897)); Joazeiro (CE- 18721934); Contestado (SC - 1893- 1916); Mucker (RS - 1868-1898) e uma das mais recentes, a da Santa Dica (foto) de 1923 a 1925, aqui no interior de Goiás. 
Além do que você pode encontrar disponível na internet sobre o assunto (artigos, videos, filmes e etc)  existe um livro de Lauro de Vasconcelos, que vale a pena ler, com o título: SANTA DICA: encantamento do mundo ou coisa do povo. Também na Biblioteca da UNB há uma dissertação de mestrado/história, produzida em 1992 por Eleonora Zicari Costa de Brito,  sobre o mesmo tema, com o titulo: A construção de uma marginalidade através do discurso e da imagem: Santa Dica e a corte dos anjos.
Na primeira página dessa dissertação a autora colocou esta enigmática epígrafe retirada de um livro de Philippe Joutard: "Uma história excessivamente clara, sem rasuras, nem hesitações, com uma cronologia correta e sem confusão é um pouco suspeita..." Vale a pena ler.

Um show digno da Idade Média e povoado de jagunços, capangas, milagres, romarias, fanáticos e desvairados mentais... Um show que ainda esta em cartaz, presente e ainda intoxicando o imaginário de nossas esquerdas e de nossas direitas triunfantes... E que insiste em passar-nos um melancólico recado: não se iluda! Não haverá solução antes de mil anos...

Enquanto isso...