quinta-feira, 31 de outubro de 2019

Da Transiberiana à Transbrasiliana...

" Só quem nunca viajou desconhece o prazer infinito de sentir que a Vida é muito mais do que comer para digerir e que o mundo é um pouco maior do que ir de casa para a repartição e da paróquia para casa..."
Albino Forjaz de Sampaio
(IN: Cosmopólia, pp 136/137)

Na semana passada, quando o Bolsonaro iniciou sua viagem à Ásia, fiquei na expectativa de que, finalmente, em sua volta, se daria início à construção da ferrovia Brasiliana que cruzará o Brasil de ponta a ponta. Que decepção e que fracasso!
Não se deu um pio por lá a respeito. Lá no meio dos japoneses e dos chineses, cujos países estão abarrotados de ferrovias e das mais velozes, seguras e luxuosas não se deu uma palavra sobre o assunto, pelo contrário, se ficou falando de bobagens ordinárias e de bagatelas fúteis, entre elas da falácia ilusória e subdesenvolvida que é o Pré-sal.  
E na Arabia Saudita? Se ficou falando de quê? Nas artimanhas da Sherazade? Nos contos das Mil e Uma noites?
Os árabes, apesar de se vestirem daquele jeito, não são burros! A civilização deve a eles quase tudo o que se tem atualmente de mais sofisticado. Se não fosse por eles e seus sábios, por exemplo, até as obras de Ptolomeu e de Galeno teriam se perdido... Por isso, e só por isso, vão investir 10 bilhões no Brasil... 
Dez bilhões? Tudo bem, mas em quê? 
No carnaval? Na reabilitação da rua da Lapa? No candomblé? Em Centros Espíritas? Em gabinetes de tatuadores? Em estádios de futebol? Em recitais de poesia nos coretos das vilas? Em altares contemplativos? Em hospícios? Nos energúmenos da música country ou gospel? Apesar de que, para eles, isso não tem a menor importância. Conhecem os segredos do Rei Midas e tudo o que tocam se transforma em ouro. Sabem de antemão que esses 10 bilhões, em cinco anos serão transformados em 80... Um negócio das arábias!

Qual é, afinal, o problema com as estradas de ferro neste país? Se até a Bolivia, o Peru e outros países sul americanos com um PIB inferior ao de nossos clubes de futebol, têm as suas e que funcionam. Claro, vão como tartarugas Andes acima, mas vão. Frequentemente há descarrilhamentos no meio da neve e na beira dos precipícios, mas todo mundo desce, segue a pé para seus destinos, mascando coca e numa boa... y 'no pasa nada'!. 
Dinheiro? Ora! Com apenas a metade do que os governos anteriores roubaram daria e sobraria. 
Falta de mão de obra? Ora o que fazem os mais de 500 mil soldados em nossos quartéis? E nossos mais de 700 mil presos em nossas masmorras?
Repito: um povo e um país que não tem ferrovias esta condenado a ser um povo afetiva e intelectualmente burro, místico, esotérico, delirante e subserviente. Normalmente é um povo que não tem 'subjetividade', que confunde sintomas hormonais com manifestações espirituais e que ainda não saiu da cultura oral. Ou, como diria Julio  Dantas: uma Ilíada de toupeiras!


O mendigo K e o petróleo nos mares nordestinos...

Acabo de encontrar o  Mendigo K ali na padaria da esquina. Comia uma tapioca com peito de peru e sem manteiga com dois de seus colegas de profissão. Entre uma mordida e outra dava uns goles barulhentos numa xícara de café de bule. Estavam  eufóricos  porque ouviram dizer que já se sabe quem são os responsáveis pelo derramamento de petróleo nos mares nordestinos.
Dirigindo-se aos colegas e em especial a mim, bradou: Exigimos que o navio que protagonizou esse desastre (tenha sido por negligência ou como um ato deliberado de agressão ao país) seja dinamitado. 
E, quanto aos responsáveis por essa ignomínia, sejam eles do pedigree que for, nós os perdoamos, mas só depois de vê-los boiando no mar ou sendo devorados pelas piranhas do Rio Amazonas...  
Tudo isso, evidentemente, com muita paz e com muito amor no coração...
Oxalá as tartarugas, os caranguejos e os tubarões consigam, a seu tempo, superar essa infâmia...

Antes que eu me retirasse ele concluiu: E que isto sirva para nos fazer lembrar que é hora de livrar-nos desse material fossilizado  e nojento que é o petróleo. Depender dessa nojeira para locomover-se é um atraso estúpido que nos empurra para uma segunda Idade Média. 
Já é tempo de fazer com que uma pilha, dessas comuns, de rádio, consiga colocar em marcha um transatlântico ou um trem de doze vagões durante um ano...

Foto publicada no Libération/31/10/2019

quarta-feira, 30 de outubro de 2019

Enquanto isso... Lá no outro lado da cordilheira...

As labaredas de todos os anos na California...

As labaredas chegaram na California. E com uma fúria parecida com a de quando  passaram pela Amazônia recentemente. 
A California também é um "pulmão do mundo" ou, pelo menos, um ventrículo e, curiosamente, como todo mundo tem cu, ninguém acusa o governo de lá de ser um terrorista ecológico. De estar, por negligência, deixando queimar parte do planeta e etc. Não é verdade?A não ser que o Macron ainda resolva dar um esporro no Trump...
Apesar de haver uma preocupação com a Biblioteca Ronald Regan, que fica por aqueles lados e que corre o risco de ter o mesmo destino da Biblioteca da Alexandria, a preocupação mais sentida nos pelegos da mídia planetária (principalmente do Terceiro Mundo) é com as Mansões dos Artistas. Com o gueto dos milionários! Com aqueles que fazem o mundo "vibrar" "rir" ou "chorar"! Se emocionam quando falam das beldades que vivem por lá e cacarejam de joelhos e com submissão a respeito das mais variadas confrarias que podem virar pó. E até se emocionam quando noticiam que a mansão tal, de 45 milhões de dólares pode virar cinzas se os ventos prosseguirem nessa rota. E se casualmente tiverem que lembrar e falar alguma coisa do camaleão Michael Joseph Jackson e de seus pupilos são capazes derramar até algumas lágrimas. Nada é mais abominável do que uma cultura que é comandada, gerenciada e noticiada por pés de chinelo...




terça-feira, 29 de outubro de 2019

E o que pensariam as hienas???

Aos vencedores as chaves dos cofres e das cadeias...

"Cada um arrasta dentro de si sua miséria..."
Sienckiewiz

Como nesta semana aconteceram eleições presidenciais em vários países latino-americanos, dediquei horas para observar esse circo. É evidente que as massas, o populacho, os rebanhos, os eleitores têm um déficit mental e tratam todas as coisas do cotidiano (como a política) com a mesma cegueira e alienação que dedicam às religiões, ao animismo, ao esoterismo, ao horóscopo e a outras misérias existenciais. 
Na Argentina, por exemplo, (veja-se também o Uruguai, a Colombia, a Bolivia e outros feudos aqui dos trópicos) que conheço deste que tinha 14 anos, é bizarro ver aquela euforia no bando dos "vencedores", aqueles gritos, aqueles abraços, aqueles sorrisos, aquela devoção, aquela fé... a mesma que estão representando desde a época de Bernardino Rivadavia e de Evita, mesmo com o país vindo desde todos esses anos num ziguezague de fazer dó e de uma legião de vivaldinos virem se sucedendo no poder. Cinco anos uma turma. Cinco anos outra turma. Cinco anos a turma descendente da primeira turma. Cinco anos descendentes da segunda turma. E mesmo quando estão em posições (partidos) contrárias prometem e dizem as mesmas coisas ao populacho que só tem ouvidos para as próprias tripas. Quer ter um cargo, estabilidade, exibir-se, ser um cidadão, amigo ou pelo menos lacaio do rei... E no meio do caminho se decepcionam. Gritam. Esperneiam, passam para o outro lado. Bradam por democracia, por liberdade, por igualdade, por ética. Decoram chavões marxistas, peronistas, papistas e saem riscando as paredes... Sim, essa gente fala em ética. Observem. E quando não lhes vem a palavra ética a substituem por moral. Acham que é a mesma coisa! É inacreditável essa estagnação e essa neurose de repetição. Como é que a burrice se espalhou tão radicalmente pelo mundo? E aparecem o mais rápido possivel lá nos tronos ao lado de suas jararacas fazendo o sinal de Vitória. Caralho! E os malandros da Bolsa de valores aproveitam para subir ou descer os índices, o que para as manadas da no mesmo. Deslocam capitais de uma roubalheira a outra. Da noite para o dia são acionistas de outros conglomerados de bandidos. E recebem telefonemas de todos rincões do mundo, de seus aliados e sócios... E a turma "religiosa"e fanática, carente de um pai e de um chefe, briga entre si para defendê-los. Pagam jornalistas para idolatrá-los e vão a Paris cumprir a promessa que fizeram a suas "esposas": SE FOR ELEITO, SE O POVO CONFIAR EM MIM NOVAMENTE vamos passar uma noitada nos melhores hotéis do mundo dos quais, aliás têm ações secretas, e trocam juras de amor. Juram que são felizes. Que um deve o que é ao outro. E já estão com cartões corporativos na bolsa. Ela não vê a hora que o dia nasça para ir a Champs Élysee. Quer comprar 4 novos pares de sapato e marcar um encontro em Londres com suas amigas de solteira. Pegou o número 1 do país. Quer  exibir-se. A emoção é tanta que até o desejo sexual desapareceu, mas para quê?
 -Que meu marido, o Presidente da república, trepe com quem quiser, uma vez que não a engravide. 
-Que minha mulher, a esposa do Presidente da Republica trepe com quem quiser, só não pode se apaixonar... 
E os palhaços entram no picadeiro com suas trombetas... As hienas das boutiques começam a ligar-lhe para dar noticias sobre a última moda. Um soutien que deixa as tetas levantadas pode custar até 900 euros. Meu Deus! 900? Foda-se! Agora é o Estado que paga. Meu marido já fez tanto para nosso país!
Cinco anos de verborragia, de reuniões, comissões, demagogias, putaria política e social. E depois tudo se repete. Os que já se locupletaram e estão exaustos se afastam da politica. Não fizeram nada pelo estúpido populacho. (Que tal uma cesta básica? Uma cova coletiva? Um salário para que não morram de fome?) Afundaram na merda suas pátrias... e para ficarem fora do alcance dos invejosos e da polícias, doam três ou quatro terrenos às igrejas que, em nome de deus os apoiaram e vão viver em outro país... Mas antes disso passam a dar conferências pelo mundo a outros larápios. Imaginem: o que é que um merda desses pode ensinar a alguém mundo a fora? A não ser o Mapa das minas, os pontos frágeis da economia, das leis tributárias e das taras de seus eleitores e de sua pátria? Alem de divulgar segredos de Estado? E sempre sob a simulação de estar combatendo o imperialismo(!)
E o ciclo miserável das eleições se repete, se repete, se repete... 
Viva a Res-pública!
Viva a democracia! 
Viva o direito ao voto! 
Mas que fazer? 
Como disse o polaco Sienckiewiz, ganhador do Prêmio Nobel de 1905: "Cada um arrasta dentro de si sua miséria...

segunda-feira, 28 de outubro de 2019

Pacto das catacumbas e do hospício ... Quando é que DEUS conseguirá nos livrar dessa gente???...



"Eu lembrei-me de vós, funâmbulos (roedores) da Cruz, 
Que andais pelo universo há mil e tantos anos, 
Exibindo, explorando o corpo de Jesus."

Guerra Junqueiro
(IN: Parasitas)


domingo, 27 de outubro de 2019

Enquanto as labaredas não chegam ao circo...







ILUSÃO: Agora é a vez da gerontocracia feminina acreditar que salvará a Argentina... (O exército de reserva dos malandrins...)

"Los dioses tejen desventuras para los hombres para que las generaciones venideras tengan algo que cantar..."
Jorge Luis Borges
(IN: Siete Noches,  Obras Completas, V. III, página 209)





Susana, Carmen y Roberto, tres mayores de 70 que este domingo sí o sí van a votar. Foto: Lucía Merle


Susana, Carmen y Roberto, tres mayores de 70 que este domingo sí o sí van a votar. Foto: Lucía Merle
Carmen tiene 83 años y sigue un ritual: rezarle a la Virgencita del Rosario por la patria. Con su bastón marca asistencia perfecta en todas las elecciones. Recuerda que votó por primera vez en un barrio peronista de Lugano en 1983. Hija de inmigrantes, padre italiano y madre española, junto a su hermana fue la primera mujer de la casa en participar de la democracia. “Era un encuentro festivo donde te vestías con lo mejor que tenías. Se usaban camisetas blancas arremangadas y pantalones azules. Todos empujábamos para adelante”, rememora. Sus ojos se inundan de lágrimas cuando evoca aquel famoso abrazo que se dieron Balbín y Perón en el Comité de Madero en ocasión del retorno de la democracia. “Me da tristeza ver a la Argentina dividida. Tenemos que marchar todos juntos. Espero que sea el legado para mis hijos y nietos”, pondera.
“Voy a seguir votando hasta que Dios me de vida”, afirma Olga, de 75 años, quien será fiscal de mesa en la Escuela N° 17 Luis Bernandeli de la Comuna 7, en barrio Cafferata, para “cuidar los votos” y aportar un granito de arena, según cuenta. Macrista de alma, como se autodefine, también fiscalizó durante las elecciones del 83, cuando sintió libertad después de haber atravesado tantas angustias. “Tengo la esperanza de que todo salga bien”, subraya.
“Soy peronista hasta la médula. Voy a seguir votando hasta el final porque cada participación marca la esperanza de que el país cambie sin distinción de partidismo”, dice el misionero Roberto (73), quien vota en el Colegio Varela de Flores a primera hora del día para después reunirse con sus compañeros.
Con 82 años, Ana rememora sus 18 cuando votaba con el entusiasmo y compromiso de la juventud. “Mi papá era radical. Me inculcó votar por los derechos del otro y no para el bolsillo. Siento que es necesario apoyar al país que queremos construir”, manifiesta. En tanto Olga, de 70 años, cuenta que lleva su boleta preparada para evitar “líos” y que al votar en una institución grande, la Iglesia Medalla Milagrosa, no sufre el tiempo de espera. “Quiero seguir este rumbo para mejorar”, enfatiza.




Un grupo de jubiladas en el centro de día N° 28. Aunque no tienen la obligación, este domingo irán a votar. Foto: Maxi Failla
Un grupo de jubiladas en el centro de día N° 28. Aunque no tienen la obligación, este domingo irán a votar. Foto: Maxi Failla
Susana (76), apuesta por una Argentina inclusiva. “Siento la ilusión y emoción de una piba de 15 ante el entusiasmo que me genera seguir participando de elecciones democráticas”. Hija de un peronista de ley, según cuenta, se emociona al hablar sobre el año 73, cuando, embarazada de ocho meses, viajó hasta Ezeiza para asistir a un momento histórico: recibir a Perón luego del exilio.
“Primero el voto, después el almuerzo”, dice María (88), quien se alista con entusiasmo para votar en Parque Chacabuco, acompañada de su nieta. “Esperanza, justicia y libertad”, es lo que espera Marta (71),  quien lleva su boleta preparada por temor a equivocarse ante la ansiedad que le genera el momento del cuarto oscuro.
Lo cierto es que más allá de las expectativas por el recuento de votos, desde una y otra ideología, todos tienen un paradigma en común: participar en la historia para construir una Argentina unida que empuje hacia adelante.
https://www.clarin.com/sociedad/elecciones-2019-ley-obliga-mayores-70-listos-votar-pueden-influir-eleccion_0_KhVqxwGv.html










sábado, 26 de outubro de 2019

A sociedade dos comerciantes estelionatários...

Se você é como 98% da população brasileira que não consegue ler mais de meia página de um livro, trate ele do assunto que for, e se esta interessado em saber o que é e como se caracteriza a tal doutrina político-econômica conhecida por LIBERALISMO (livre concorrência), quando passares pelo Brasília Shopping vá tomar um chocolate na cafeteria que fica quase em frente a única livraria que há lá. A xícara é do tamanho da xícara de um café expresso e como é preparado por uma simples dona de casa, sem a mínima idéia do que é um chocolate, lhe é servido pastoso como o óleo que esta chegando às praias nordestinas e acompanhado por uma colher de plástico. Até aí, ainda vai. A noção do que é "livre concorrência"você terá na hora de pagar essa porcaria que ficou impregnada em teus dentes e ao longo de teu esôfago: R$; 15,40 (quinze reais e quarenta centavos).
Mas isto é um assalto! Grito à moça que sem arma nenhuma em punho (a não ser o Alvará pregado lá na parede) está me extorquindo. 
Quem é o gerente dessa merda?
Sou eu mesma!
Broxei e paguei!
Quinze reais e quarenta centavos! Três dólares e meio!
Não tem sentido! É ridículo! É uma idiotice!
Isso é uma prostituição sem sexo!
Para manter seu emprego a senhora esta sendo cúmplice de um estelionatário!!! A senhora pagaria isto por esta porcaria? Ela me olha tímida, bem dentro dos olhos e resmunga que não para em seguida agregar: mas é a livre concorrência! É o capitalismo!
Livre concorrência um caralho! 
Capitalismo um caralho!
E o Alvará esta lá na parede me mandando calar a boca... e há câmeras por todos os lados, e os cães de fila do mesmo Estado que expediu a licença para esta merda funcionar caminham de um lado a outro do Shopping, prontos para, eles também, cumprirem ordens. 
É curioso que todo mundo, nesta sociedade de comerciantes de bosta e de estelionatários cumpre ordens. Umas econômicas e outras metafísicas... Que miséria!
Como já lhes disse outras vezes, sempre que isto me acontece,  (e é mais do que frequente), corro para casa e releio romântica e pela milionésima vez, toda minha literatura anarquista...




Os rebanhos, dos dois lados da cerca, estão cansados...

"Quer em terra, quer no mar, quer perto da miséria, quer junto do milhão, só o inferno é que é verdade. O céu, esse é uma utopia, uma ilusão, uma bebedeira..."
Albino Forjaz de Sampaio
IN:  Cosmopólia, página 42


quinta-feira, 24 de outubro de 2019

Prisão em segunda instância? Presunção de inocência? O quê é isso? Que porra é essa?


 "A mi me asombra que una llave pueda abrir una puerta..."

J.L.Borges

Nesta tarde quase chuvosa encontrei o mendigo K no mercado da esquina comprando tâmaras de Israel.
Chamou-me de lado e confessou-me um pouco exaltado: achei excelente o VOTO e as devidas justificativas que deu para tal o Ministro Luis FUX, la no STF. 
Foi um dos poucos que nesta tarde teve um olhar lúcido, meio antropológico e meio sociológico a respeito da malandragem oficializada, da cadeia e do assunto. E até o ponto que vi sua declaração não caiu na tentação e na asneira de sustentar seu pensamento em poetas, e muito menos em poetas do tipo e do pedigree do egípcio/grego, Kaváfis, como o fez a senhora Rosa Weber. (seria parente do burocrata Max Weber?)
Konstantinos Kaváfis! Aquele que sempre que era tomado pelo Sentimento Oceânico, colocava as mãos nos quadris, batia os calcanhares na poeira da antiga Alexandria, virava os olhos para os lados da biblioteca que foi incendiada e suspirava: Que será de nós se os bárbaros não mais visitarem nossas alcovas? 
Aliás, quem já o viu sabe que é a cara do Fernando Pessoa... 
Presunção de Inocência!
Inocentes?
Mas como?, Se esta mais do que evidente que somos todos refinadíssimos e descarados malandrins?
E  admirei a fala do FUX - me dizia em voz mais baixa do que o normal - principalmente porque não o vi como um beato de joelhos diante da Constituição, da pobre Constituição que todos sabemos como e por quem foi engendrada... como se ela fosse a última palavra sobre a existência. Ora!, com bárbaros ou sem bárbaros chegará o dia em que ela terá que ser adulterada da primeira à última linha. Para depois ser adulterada outra e outra vez, novamente e novamente, independente dos gemidos e dos suspiros dos poetas obnubilados, delirantes e presunçosos, até que realmente ela possa representar o pouco de dignidade que, oxalá, ainda resida no DNA de nossa espécie...

_______________________________
A pintura acima é de David Dalla Venezia

OFÍCIOS ANÁLOGOS?...



IMAGEM MERAMENTE ILUSTRATIVA (FOTO: MINERVINO JUNIOR/CB/D.A PRESS) 

Professora recebe salário de concursada e decide ser prostituta para pagar contas

Publicado em Magistério

O baixo salário de professora, mesmo concursada, foi o motivo apontado por Celine (nome fictício) para se tornar prostituta, em São Paulo. Numa quinta-feira de 2018, quando recebeu os R$ 2 mil mensais, a professora, que hoje tem 35 anos e é mãe solteira de uma criança autista, afirmou que viu que o dinheiro não daria para cobrir as contas. Pensou uma, duas, três vezes. Até, finalmente, tomar a decisão.
Depois da escola, a professora foi para casa, tomou banho, vestiu a melhor roupa, usou um bom perfume e seguiu para a noite na Rua Augusta, no centro da cidade. Numa casa noturna, ela pediu uma bebida, puxou conversa com o gerente e conseguiu os primeiros programas, que lhe renderam cerca de R$ 600.
“Não tive medo nem pudor de ser prostituta. Se professor é profissão, por que puta não pode ser. […] Eu não estava arrependida. Tinha certeza do que faria a partir daquele instante. O único problema é que eu me sentia suja. Muito suja,” contou ao Yahoo! Notícias.
Ao voltar para casa, correu para o banheiro e tomou um longo banho. Usou shampoo, sabonete e até detergente. Pegou uma esponja para limpar o corpo e esfregou a pele até sair sangue. Chorou em silêncio para não acordar os pais e o filho.

Dupla jornada

Hoje, Celine vive uma dupla jornada. Professora concursada de uma escola da rede estadual de ensino de São Paulo de dia, e à noite é garota de programa. “Ganho aproximadamente R$ 2 mil por mês. Não consigo manter a minha família. Sou mãe solteira com um filho autista, de seis anos. Tenho que pagar escola, plano de saúde e as contas da casa. O salário de professor é uma miséria,” explica Celine.
A professora diz que as duas realidades não se misturam. Na sala de aula, é linha dura com os alunos, de 15 a 18 anos. Não permite baderna e exige respeito no ambiente escolar. “Às vezes, fico muito cansada. Mesmo assim, nunca faltei ao trabalho. Sou uma mulher responsável,” diz.
A professora, que é apaixonada pelo ofício, sabe que ensinar, no Brasil, é uma tarefa difícil. Para ela, além do baixo salário, o docente tem de enfrentar a falta de infraestrutura nas unidades de ensino e a violência, tão frequente na sala de aula.
Mas a crise econômica também chegou ao novo ramo de Celine. A clientela diminuiu nos últimos anos e a região ficou decadente, o que fez com que as prostitutas tivessem que rever o preço dos programas. “Muitos homens falam que estão sem dinheiro, que perderam o emprego ou tiveram o salário reduzido. E a gente é quem sofre as conseqüências.” Atualmente ela cobra R$ 150 por uma hora de encontro. (Correio Brasiliense de hoje)


quarta-feira, 23 de outubro de 2019

A decadência dos Carcaras...

"A uns trezentos ou quatrocentos metros da pirâmide me inclinei, peguei um punhado de areia e o deixei cair silenciosamente um pouco mais adiante e disse em voz baixa: Estou modificando o Sahara..."
Jorge Luis Borges
(IN: El desierto)



Confesso que sinto uma imensa decepção e até uma certa tristeza ao ver os Carcaras tornando-se tão domésticos como frangos aqui no meio urbano e nas quadras repletas de restos de comida e de pacotes que os mendigos jogam diante das casas...
Eu que desci da nascente do Rio São Francisco (Serra da Canastra, em Minas Gerais) até sua desembocadura no Atlântico (Piaçabuçu, Alagoas), praticamente só para fazer uma homenagem e um elogio  a essas aves que considerava ferozes e indomáveis, vejo estupefato, todas as manhãs, que no meio de pombos, de urubus e até de galinhas, estão por aí miseravelmente revirando lixeiras em busca de migalhas e de porcarias que a cidade rejeita e joga naqueles latões de lixo. 
O que teria acontecido para tamanha decadência? 
Hoje pela manhã, inclusive, assisti a um passarinho menor que um sabiá, praticamente só penas e bico, dando um cacete imenso em dois Carcaras. Repito: em dois. Ouvi que gemiam com a penugem preta da cabeça arrepiada enquanto tentavam fugir do pequeno agressor, num gesto de covardia inaceitável. Que miséria e que decadência...




segunda-feira, 21 de outubro de 2019

VIVA CHILE! Mierda!...

"... Los valores anticuados que ahora ellos rechazaban eran, después de todo, los valores que ellos mismos habían mamado de su madre..."
Fitzgerald (IN: Tierna es la noche)














quinta-feira, 17 de outubro de 2019

A cadeia. Eis aí um dos principais símbolos da miséria humana... E não importa de que lado estão os carcereiros...


"Sonho que cavalgo um dragão até o céu... Despertando, eis que volto de repente para a prisão..."
Ho Chi Minh
(IN: Diário de prisão, página 37 )

A tão esperada decisão no STF sobre a tal CONDENAÇÃO EM SEGUNDA INSTÂNCIA que esta acontecendo neste momento, surpreendeu-me lendo nada mais nada menos que O Diário de Prisão de Ho Chi Minh, uma tradução do inglês, com uma introdução de Harrisson E. Salisbury e prefácio de Phan Nhuan. Sempre me impressiono com a capacidade de discursar dos advogados e dos juristas, sejam eles de acusação ou de defesa. De onde conseguem arrancar aquela verborréia? E se exaltam. Fingem estar indignados. Introduzem de vez em quando em seus desabafos uma frase em latim, essa língua ridícula e putrefata e o fazem não para declarar alinhamento com Beccaria ou com o Direito Romano, mas com o Vaticano... (mais especificamente com o Papa Anacleto)... E falam da Constituição como se ela fosse uma espécie de Cabala e tivesse sido composta por um grupo de sábios em alguma catacumba aqui dos trópicos... E na platéia, selecionada a dedo e pela marca do paletó, a cada frase mais exaltada e conclusiva, percebe-se a gerontocracia ou seus enviados fazendo um movimento afirmativo de cabeça. Parece que daquela sessão sairá a salvação do mundo. Que as penitenciárias, os presídios, os calabouços e as cadeias, das mais singelas às mais abjetas, serão, a partir de amanhã, não apenas humanizadas, mas derrubadas. "Ninguém mais será condenado antes do transito em julgado". Cacareja um daqueles clowns. E meia hora antes dessa frase insondável, esfingética e sibilina de um dos ilustres advogados, ouve-se o tiroteio num assalto espetacular no aeroporto de Viracopos... 7 ou oito milhões de dólares que estavam sendo enviados (desviados) para o exterior. De quem para quem? Um assalto  parecido a outro, recente, o dos vigotes de ouro num outro aeroporto daquele mesmo Estado. E que até hoje ninguém sabe quem foram os assaltantes, de onde havia aparecido tanto ouro, quem eram seus verdadeiros proprietários e para onde estava sendo enviado. E as frases em latim continuam. As câmeras mostram as excelências na platéia que limpam os óculos ou que coçam as virilhas e o saco. Fico imaginando o Marcola, o Elias Maluco, o Fernandinho Beira-mar e outros presos famosos assistindo a esse espetáculo melancólico desde suas penitenciárias e lembrando o preço de cada uma daquelas excelências e de cada um dos habeas corpus... Data vênia doutor.
A velhinha de 86 anos que vende picolé e água ali na esquina, ao mesmo tempo em que passa um pano não muito limpo em seus copos, diz ironicamente a um de seus clientes: Data vênia, mas um judiciário que mantém 300 mil presos irregularmente e em prisões abomináveis, deveria ter vergonha de aparecer em público e muito mais de falar em latim... E quando seu cliente já estava se despedindo, aquela velhinha cheia de malandragens e sem 'constrangimento epistêmico' lhe cochichou: E depois, uma prova cabal de que a cadeia, alem ser um instrumento de vingança estatal  não regenera ninguém, é que o LULA anda dizendo para todo mundo que quando for solto irá casar-se novamente... Bah!, que miséria!!




HUMANO,DEMASIADO HUMANO... Ou: Mais uma das vantagens da senectude...





https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/brasil/2019/10/17/interna-brasil,798473/ladrao-beija-testa-de-idosa-ao-recusar-dinheiro-dela-durante-assalto.shtml


Enquanto isso...





quarta-feira, 16 de outubro de 2019

O MUSEU DA BÍBLIA...

"Predicar em parábolas é típico de quem não quer comprometer-se..."
J.L.Borges

1. Acabo de ouvir a notícia quase infame de que a Bancada Evangélica do Congresso Nacional esta com um projeto pronto para construir em Brasília um MUSEU da BÍBLIA. Vou repetir: os parlamentares que compõem a Bancada Evangélica no Congresso Nacional (segundo a notícia) estão em vias de edificar aqui em Brasília um MUSEU DA BÍBLIA
Não precisa ser um talento e nem um ateu para achar esse projeto um tanto esdrúxulo. Imaginem se amanhã (neste país que não tem saneamento básico e nem banheiros públicos em 80% de seu território, e que recentemente deixou queimar um museu histórico por pura negligência) a Bancada da Bala lá do mesmo Congresso resolver edificar também o MUSEU DO COLT 45! Ou se, depois de amanhã, a Bancada do Agro-negócio tiver a idéia erudita de construir um MUSEU ÀS VACAS ou AOS ASNOS! E um pouco mais tarde até o MUSEU DA CESTA BÁSICA...
Não tem sentido! Isto seria o resultado de uma mentalidade pré-suburbana. E de um proselitismo caipira e bocó que acabará infestando as cidades com idiotices e com irracionalidades. Com monumentos à estupidez!
É verdade que já existem por aqui e pelo mundo a fora o MUSEU DOS ESGOTOS DE PARIS; O MUSEU DO VASO SANITÁRIO, em Nova Déli; O MUSEU DA BATATA, em Antuerpen; O MUSEU DO PÊNIS, na Islândia; O MUSEU DE CERA; O MUSEU DE CACHIMBOS; De BENGALAS; De CHAPÉUS; de CUECAS MONÁRQUICAS; de VIBRADORES USADOS POR CLEÓPATRA e etc.
Mas um MUSEU PARA A BÍBLIA? Isso é uma imoralidade, uma blasfêmia e até mesmo uma heresia!
O que pensariam os gregos dessa asneira? Eles que traduziram mal e porcamente do aramáico e de outras línguas sírias/semíticas, esses textos que foram encontrando no caminho de suas guerras?
E mais: O que pensaria o autor desse calhamaço de parábolas?
Aliás, hoje sabemos que predicar em parábolas é típico de quem não quer comprometer-se...

Enquanto isso...

domingo, 13 de outubro de 2019

O que esperar quando já não há honestidade suficiente para ser um verdadeiro revolucionário?...




[... Uma mudança total, mesmo que fosse inútil, ou uma revolução sem fé, é tudo o que ainda se pode esperar de uma época em que já ninguém tem honestidade suficiente para ser um verdadeiro revolucionário...]  criar blogE.M.Cioran

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

O atentado nos mares nordestinos...



É evidente que o derramamento de  óleo no mar e nas praias do nordeste foi um atentado político... Se da esquerda ou da direita? Isto não tem a menor relevância, já que a alienação e a ficção são as mesmas...
Um atentado sobre o qual, em duas horas, através das imagens de qualquer satélitezinho de merda, se poderia identificar tanto a bandeira do navio como as mãos que abriram os tanques...  Mas então... por que essa demora e esse silêncio abrumador? 
Claro que isto é um forte indicador de que os níveis de testosterona andam baixos...
Tudo bem, mas como explicar isso e desculpar-se perante as tartarugas? 
A elas, que talvez nos respondessem com a frase de Wittgenstein: "Ils sont pour ainsi dire tous méchants et tous innocents..." (ver livro de Patrick Declerck: Les naufragés, página 375)


segunda-feira, 7 de outubro de 2019

E la nave va...

"Vous n'êtes vraiment très très riche qu'après avoir fait votre première centaine  de millions de dollars ..."
Max Gunther
(IN: Les milliardaires)

Se as viagens já não têm o valor do século passado e se já não servem para muita coisa, se depois de conhecer Katmandu o resto passa a ser medíocre, pelo menos valem para se ter uma visão mais global das tais CORPORAÇÕES, as vinte ou trinta máfias que administram a comida, os luxos, os prazeres, os valores, o mercado editorial, a escravidão e o dinheiro no planeta....
Por mais que você se ache "experto" , "livre" e "soberano", não passas de um bobalhão e de um fantoche desses grupos, não importa o peso de teu contra-cheque e nem a lista de teus bens. Um bobalhão útil, me entendes? E a serviço dessas empresas cujos acionistas não têm nome. E como elas não podem "matar suas galinhas de ouro", te deixam obnubilado, respirando no limite e fazem sistematicamente a manutenção de tua ilusão, seja através do dinheiro, da cocaína ou das trepadas... Te deixam comprar os carros, os computadores, as motos, os celulares, os relógios, o fumo, o viagra e as comidas que eles produzem... Te deixam viajar (na terceira classe, às vezes até na executiva) daqui para ali, abrir uma conta em seus bancos, que se hospede em seus hotéis... em seus hospícios e em suas UTIs e até mesmo que sejas enterrado em seus cemitérios... Que mensalmente um coveiro passe em tua casa para recolher os tributos é apenas um ato burocrático... Tudo dominado! Até o baseado, que te deixa ainda pais passivo ou a cerveja que te deixa com uma barriga de porco são elas, as tais corporações que produzem... Elas cujo lema essencial de vida sempre foi: "Vous n'êtes vraiment très très riche qu'après avoir fait votre première centaine  de millions de dollars ..."
E a policia ou mesmo as milicias só existem para que eles não sejam assaltados pela plebe faminta e invejosa. Foram as corporações que inventaram a policia! Também os seguros de vida, de saúde, contra incêndios, contra roubos e etc... E não importa se são corporações capitalistas ou comunistas, de direita ou de esquerda, católicas ou luteranas, judaicas ou muçulmanas, pretorianas ou veganas... Não tem a menor importância se a máfia é chinesa ou russa... Todas são regidas pelas tripas, pela vulva, pelos bagos e pelos mesmos protocolos e princípios... E a mídia, de anáguas ou de cuecões-cor-de-rosa lhes da cobertura, juntamente com as igrejas e os clubes de senhoras... Até as casas de putas funcionam para a manutenção dessa gente trilhonária e mau-caráter... A madame chefe de hoje (olhe bem em seus olhos) foi a pobre punheteira de ontem... e agora não para de falar em Prosperidade. Desconfie! Desconfie de todas pessoas que ficam o tempo todo falando em Prosperidade. Prosperidade um caralho!
A moça do alto falante esta chamando. O avião para Chicago já esta com as turbinas ligadas... E pertence a mais uma das tais Corporações.
E la nave va... Oxalá não despenque sobre alguma destas estupendas montanha...
Aeroporto de Vancouver, 13:00




sábado, 5 de outubro de 2019

Penitenciária de animais marinhos...

[... Pour voir une chose entièrement, l'homme doit avoir deux yeux, un d'amour et un de haine..."
F. Nietzsche, 
(in: Humain, trop humain)

Da Granville St, descendo caminhando pela Georgia St, se demora uns 45 minutos para chegar ao Parque Stanley, do porte do Hyde Park e onde esta o  gigantesco aquário dos canadenses. Para os defensores dos animais, uma verdadeira penitenciária de espécies marinhas, mas mesmo assim uma maravilha. Entre os animais dos SETE mares, existe, logo na entrada, um setor dedicado à Amazônia, ao Rio Amazonas e a algumas espécies de lá. Não há dúvidas de que no dia em que aquela floresta e aquele rio deixarem de existir, eles, em 10 anos, os reproduzirão aqui, com borboletas, hoasca, Vitórias Régias e mais, sem aquele sol equatoriano terrível e sem os mosquitos da malária... Mas também (para a melancolia geral) sem os diamantes e as pedras preciosas que ainda existem enterradas por lá... E que esta todo mundo querendo garimpá-las...
__________________________________________

E é bizzarro, para não dizer outra coisa, ver que no meio da visitação, das fotos e dos gemidos de admiração, os visitantes desçam para um café/restaurante que há lá e devorem uns camarões empanados ou o clássico fish and chips, trazido pelos ingleses...
É evidente que em algum momento esses animais (marítimos ou terrestres) que turbinam nossa voracidade e nossos banquetes nos apresentarão a conta...









sexta-feira, 4 de outubro de 2019

Isto também passará...

CHOVE EM VANCOUVER!
Apesar de todos os homeless e loucos que já mencionei e que andam por aí, no mundo da lua, a Biblioteca Pública (Public Library) é algo fantástico. Sete/oito andares de livros e de pessoas do mundo inteiro, com predominancia, claro, dos chineses. Ninguém tem mais dúvidas de que isto aqui, a medio prazo, se transformará numa imensa Shangai... Para se ter uma ideia da grandeza desta biblioteca (ou da mediocridade das nossas)  as vinte mais completas daí, com acervo e etc, caberiam dentro dela. 
PERGUNTA: O que nossos professores, educadores, gestores e outros aspones ficaram fazendo durante todos esses séculos? 
Mas, curiosamente, não se vê ninguém lendo pelas ruas, cafés, parques, estações e ónibus como é comum nos países latinos. Que passa?
As montanhas ao redor da cidade ainda estão cobertas de neblina e de chuviscos . O barco, parecido a uma caixa de fósforos vai de Downtown para Granville Island praticamente no automático. Muita gente, como eu, atravessa a cidade para ir lá, no meio de velhinhos e velhinhas chinesas, indianos, latinos e outros imigrantes fodidos tomar uma sopa de 3,50 dólares. Que, aliás, é uma delícia, pois vem acompanhada por um palmo de 
pão integral...
E há muitos estrangeiros visivelmente em surto pelas ruas. Acabo de cruzar com um chinês de uns 35 anos, com um casacão marrom, chinelos de camponês e com os cabelos amarrados, de cara para um muro e dialogando em mandarim com seus fantasmas. É sabido, desde os anos 60, que o Ocidente faz mal para os orientais e vice-versa... A pesar de muita gente não acreditar, a cultura e a política, o clima e o 'movimento dos barcos' também estão na gênese das desordens mentais... 
Mas, é bom essa gente lembrar que (como diria Freud) antes de diagnosticar alguém de depressivo é importante verificar se ele não esta cercado por idiotas... ou então que, como dizia o charlatão OSHO: "isto também passará".

Enquanto isso... no Campus da University of British Columbia...