quinta-feira, 27 de setembro de 2018

E la nave va...

No llores por mi, Argentina...




Um helicóptero cruza por entre as nuvens como um gafanhoto e com o sol ricocheteando em suas hélices... Quê tipo de ilegalidade estaria transportando? me pergunta o mendigo K encostado numa parada de taxi ruminando um pacote de Damasco turco. 
A cidade parece ansiosa. Seriam as eleições? Os agentes estatais acabam de remover o féretro de um ex governador. O Lula está na cadeia; o Bolsonaro ainda está hospitalizado; faltam vagas nas prisões e nos hospícios... o Ciro teve que fazer uma intervenção de emergência na próstata,... a decadência parece geral!, como se algo estivesse tentando colocar um ponto final na compulsão social pela repetição e pelos traumas pré-históricos... E por falar em próstata, para que servem afinal, a próstata e um presidente da república? 
Muitos neologismos no ar! 
O Ziraldo teve um AVC! O calor de 35 graus é gerontocida... 
Um homem tentou fazer incesto com a filha de 13 anos. Não confie em ninguém com menos de quinze e nem com mais de setenta... 
O Euro disparou. Tanto o lupemproletariado, como os medianamente fodidos e até a classe média alta prometem votar no Bolsonaro. Se elegerá? Com ele Deus estará a salvo! Por enquanto, Bolsonaro e o cabo Daciolo têm feito por Deus bem mais do que Deus tem feito por eles. Isto já se dizia de Bach, com suas músicas e suas choradeiras sacras nas catedrais... 
Mas os ateus estão inquietos. 
Toda teocracia é abominável! Resmungam... 
Os cachorros da policia encontraram uma mulher de 21 anos crivada de balas ali num parque que posso ver da janela de minha casa. Para onde vai a alma de um morto? Perguntaram a Buda. Resposta: Para o mesmo lugar que vai a chama quando a vela acaba!
O mundo ficou mudo e se colocou de quatro e quase catatonicamente a espera de Godot. 
Dois mil e tantos anos a espera de Godot! Quê teria acontecido com o calendário de Godot?
Deixamos nosso cachorrinho num hostal de luxo com uma coleira nova a prova de mosquitos... Ficou visivelmente feliz ao reencontrar uma linda e delicada cadelinha do passado. Lambeu-lhe os olhos e, em reciprocidade, cheirou-lhe o corpo inteiro... Quando nos despedimos e viu os olhos marejados de sua dona, latiu com ritmo e afeto como se estivesse cantarolando: O mundo é um circo! No llores por mi Argentina...

Enquanto isso...

Para entender minimamente o presente... (Giambattista Della Porta... -1535-1615)











terça-feira, 25 de setembro de 2018

Dizem que o Ciro acusou o sul de ser nazista... Bella Ciao, Bella Ciao... Bella Ciao...


Entre todas as polemicas que as eleições estão provocando, surgiu mais uma, e esta, com um poder de explosão considerável: dizem que o candidato Ciro Gomes numa de suas falas lá pelo sul fez referência à região como sendo nazista. Mesmo as donas de casa e os churrasqueiros de aluguel que nem sabem o que isto quer dizer, estão indignados. Nazistas não! 
É  bem provável que a intenção do Ciro tenha sido dizer fascista mas, por uma armadilha do inconsciente, deixou escapar a palavra  nazista. A propósito, estas duas palavras (a primeira é até mais light, tem um certo romantismo...) têm estado na pauta de quase todo mundo hoje em dia, tanto na dos que se dizem de direita como nos que se dizem de esquerda, o que nos da a impressão de que Hitler e Mussolini estão mais presentes do que nunca! Pelo menos no imaginário de nossos ilustres candidatos e de nossos abobalhados eleitores...
O sul do país, todo mundo sabe, é basicamente habitado por imigrantes, russos, ucranianos, poloneses, alemães, italianos e etc... (que atravessaram os mares em velhas embarcações ouvindo Paganini ou tocando realejo) e que não é e nem pretende ser um paraíso ou um shangri-la de buona gente! Mas... 
Nascido e criado por lá, ao ouvir a noticia, fiz de imediato uma breve reflexão e não lembro de na minha infância, pelo menos, ter recebido nenhuma cartilha nazi ou fasci. Inclusive meus amigos de escola, a grande maioria alemães, acho que não levavam suásticas em suas mochilas e nem o My kampf em baixo do braço. Também nunca ouvi meus parentes, em posição de sentido, cantarolando o hino do fascismo, pelo contrário, de vez em quando, depois de um barril de vinho e de uma tábua de polenta só se ouvia a italianada dançando e cantando Bella Ciao, Bella Ciao... Havia, é verdade, uma sutil admiração pelo Duce, mas uma admiração bem mais por sua elegância, por ele ter proibido buzinas em Roma e pelo charme de sua última amante, Clareta Petassi, do que por outra coisa. 
Ao invés dos sulistas ficarem histéricos com essa declaração, deveriam aproveitar para estudar mais o processo de imigração, saber mais sobre os partigiani, sobre o que foi o nazismo e o fascismo e até mesmo admitir a hipótese de convidar o Ciro para demonstrar sua tese... Afinal, isto não é grave! É apenas mais uma bobagem... Bella Ciao... Bella Ciao.... Bella Ciao...

https://www.youtube.com/watch?v=SbcUniHu7iA&t=615s


Marcha da família em Recife... Do ódio entre gêneros.. De uma espécie que não deu certo e que não consegue sair do abismo... (ouça, traduza e prepare as malas...)

segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Católicos & comunistas! Cristo & Mao Tsé Tung... E la nave va...




“A bosta de boi é mais útil que os dogmas; serve para fazer estrume.” 
Mao Tsé Tung



Os católicos mais paranóides estão confusos e angustiados com as recentes negociações entre o Papa Argentino e o governo comunista da China. Acreditam que a partir de agora, quem ditará as regras do jogo sagrado por lá serão os mandarins do Partido... Será curioso ver nas imensas construções, nos faraônicos palácios chineses e nos templos elevados ao proletariado fotos de Cristo e de São Paulo ao lado das de Ho chi Minh e de Mao Tsé Tung... Será transcendente ver, lado a lado, competindo, exegetas do Calvário e exegetas da Grande Marcha... Ou então poemas de São Francisco de Assis ao lado dos de Chou-En-lai... Existirá algum nexo entre estas duas religiões? E Buda? Ficou fora dessa negociata por quê? Quem matou mais ao longo da história? A inquisição católica ou o comunismo chinês? E a acusação de Marx, de que a religião era o ópio do povo? Curiosamente, no passado era a Inglaterra que ia à China basicamente para buscar ópio e agora... é a China que o estaria importando???
Enfim, se isolados, tanto os padres como os comunistas já eram acusados de comer criancinhas... agora, então... com este pacto....

https://br.reuters.com/article/worldNews/idBRKCN1M30TU-OBRWD

A grande viagem de Duchaussois... (e que não é para amadores...)


"... È così che scopro la leggendaria ospitalità araba. Ospitalità che non ritroverò mai più, né in Afghanistan, né in India, né nel Nepal..." P. 18



domingo, 23 de setembro de 2018

Os ciganos na Roma antiga - E se nossos nonnos também eram??? E se nossos DNAs também são???




...ZOOCIDE - Com o slogan: "A carne é um assassinato!", "Sistema zoófago!" e "Açougueiro não é um trabalho", franceses declaram guerra aos açougues e aos açougueiros...

«La viande est un meurtre»: des dizaines d'actions antispécistes organisées devant des boucheries



Une militante antispéciste du groupe «Boucherie abolition» avec un porcelet mort devant une boucherie à Paris le 22 septembre.
Des militants antispécistes ont organisé samedi des happenings pacifiques devant des boucheries en France pour dénoncer le «zoocide» que représentent, selon eux, l’élevage, le commerce et la consommation de viande, alors que les dégradations de vitrines de boucheries se sont multipliées ces derniers mois. «Boucherie Abolition», qui organisait les happenings avec d’autres mouvements tel que 269 Life France, dénonce le «système zoophage». Les antispécistes s’opposent à toute hiérarchie entre espèces, notamment entre l’être humain et les animaux.
Dans le XVIème arrondissement de Paris, Vincent Aubry et Alizée Denis du mouvement «Boucherie Abolition» portaient un cochonnet mort qu’ils ont exhibé devant des boucheries pendant quelques minutes pour dénoncer ces commerces qui «vendent du meurtre». «Démembrer un corps, ça n’est pas un métier», scandait Alizée Denis.
Une trentaine d’actions similaires ont eu lieu, selon les organisateurs, dans d’autres villes de France, notamment à Toulouse. Craignant des dégradations dans le cadre de cette journée d’actions, le président des bouchers du Nord a fait appel à une société de sécurité privée pour sécuriser les enseignes de la région, dont plusieurs ont été vandalisées ces derniers mois. Six personnes ont récemment été interpellées dans le cadre d’une enquête sur des actes de vandalisme contre neuf commerces, dont des boucheries ou des poissonneries, dans la métropole de Lille, par des militants vegan.

«Honteuse campagne de victimisation des bouchers»

«De quel droit se permet-on de faire naître dans le but de faire mourir ?», s’interrogeait Alizée Denis, dos tourné à la vitrine d’un boucher, tenant le corps du cochonnet dans ses bras. Piqué au vif, le propriétaire est alors sorti de son magasin en traitant les deux militants de «connards». Leur happening «peut interpeller sur la maltraitance animale, mais ça doit rester non violent», a commenté une passante, Florence, 75 ans. «Moi, je suis d’une génération qui mangeait de la viande», a-t-elle dit.
«Boucherie Abolition», qui existe depuis 2016, a fait parler d’elle l’an dernier lorsque ses membres ont enlevé une vingtaine de lapins sur un site de l’Institut national de la recherche agronomique (INRA) au sud de Toulouse et badigeonné de faux sang son enseigne. L’INRA a porté plainte. Interrogé au sujet des dégradations de vitrines, Vincent Aubry n’en a revendiqué aucune mais jugé qu'«on assiste à une honteuse campagne de victimisation des bouchers».
Depuis le début de l’année, la Confédération française de la boucherie, boucherie-charcuterie, traiteurs (CFBCT) a recensé en France «douze cas de commerces alimentaires caillassés avec tags de revendications antispécistes» et «plusieurs dizaines» de cas de détériorations, avec du «faux sang versé» ou de la «pose d’autocollants revendicatifs».
AFP

À margem da sociedade, como a filosofia...

sábado, 22 de setembro de 2018

Da Losna, do Absinto... e de outras feitiçarias...




Acabo de encontrar o Mendigo K. numa chácara aqui nos arredores da cidade onde são cultivadas ervas, das mais ingênuas às mais malditas. Fomos caminhando entre os canteiros e ele, ao lado de uma velhinha da Cochinchina, (atual Saigon) ia me dizendo: isto aqui é Endro, isto é Nira, isto é Shitake, isto é Shimeji, isto é Okazunori, aquilo ali é Wakame, este é chá Yakon, isto é Umeboshi e aquilo ali é pó de Psyllium... Bardana... Mandrágora... Datura stramonium,  Uns cinquenta metros mais adiante colocou-se de cócoras ao lado de uma toceira e indicou: esta é a famosa Losna. Conhece Losna? - É com esta erva que é feito o Absinto. Losna e absinto é a mesma coisa. E, ainda lá, de cócoras, foi fazendo associação livre: lembro que na minha adolescência, minhas irmãs tomavam chá dessa erva para suas cólicas menstruais. Cada casa tinha lá nos fundos uma toceira destas. Ninguém imaginava que era com ela que era feita a bebida que embriagava e que enlouquecia os intelectuais, poetas, pintores, músicos e etc do século XIX... principalmente em Paris... E pode enlouquecer mesmo! Dizem que Van Gog quando se cortou fora uma orelha estava sob seu efeito e que no hospital da Salpetrière havia enfermarias praticamente só para bebedores crônicos de absinto... Já bebeu absinto? 90% de álcool. Foi proibido no Brasil, mas agora esta novamente liberado. Quem não tem absinto planta losna nos fundos de casa... explodiu numa gargalhada...
Voltando para a cidade, por pura curiosidade, passei numa casa especializada em ervas exóticas. A vendedora já havia ouvido falar de Losna, mas não tinha para vendê-la. Mandou-me atravessar a rua e entrar numa casa onde, naquele momento queimavam um incenso a alguma divindade africana. Havia Losna, mas seca, para chá. Menos de 5 reais um pacotinho. O vendedor trouxe-me um livro, uma espécie de vade mecum de bruxaria, para que eu soubesse como usá-la...

E na Itália, um hotel 5 estrelas para gatos...





Pavia, l’hotel a 5 stelle da aristogatti: cibo da chef e ogni tipo di comfort

Sala divertimenti, suite, villette personali e menù gourmet per gatti. A Pavia, una casa azzurra a pochi passi dal Naviglio ospita LeFusa, un hotel a cinque stelle per gli amici felini che potranno trascorrere giornate all’insegna di lusso e coccole. L’idea di aprire una struttura a misura di gatto, con tutti i comfort di un relais da nababbi, è venuta a Karolina e Fabio Savorini, giovani sposini gattari che hanno trasformato la loro passione in lavoro. L’hotel è stato inaugurato due mesi fa e la stagione estiva ormai al termine è stata un vero successo, ma si studiano già le novità per l’autunno.
Otto gli ospiti che stanno concludendo le vacanze tra le «cucce-suite» e i giochi di LeFusa, e c’è chi si prenota per i prossimi ponti festivi: «Questo sogno ha iniziato a prendere forma sul finire del cammino di Santiago de Compostela — racconta Fabio —. Eravamo camminanti soli, io da Pavia e Karolina dalla Polonia, e ci siamo incontrati per caso. Abbiamo iniziato a parlare dell’amore per i gatti che ci accomuna e da quel momento non ci siamo più separati: ci siamo sposati e abbiamo concretizzato il progetto dell’hotel che tanto ci stava a cuore». Tre camere tematiche dalle pareti color pastello arredate con enormi castelli tira graffi, cuscini, giochi, e una cuccia in legno su due piani per ogni micio con area cibo appartata ed un soffice lettino al piano superiore; per i gatti più sensibili, che desiderano maggiore privacy, i padroni potranno riservare un’intera suite di 20 metri quadrati solo per il loro amico. Il prezzo è low cost: 15 euro al giorno tutto compreso, anche i pasti. Un servizio ben lontano dalle classiche pensioni dove i gatti spesso restano chiusi in gabbiette di metallo senza particolari attenzioni e premure. Nei mesi di luglio e agosto l’hotel ha registrato il tutto esaurito e le prenotazioni sono arrivate anche da fuori provincia: «I nostri clienti portano i loro gatti quando partono per le vacanze, in caso di traslochi, ristrutturazioni di casa o viaggi di lavoro. Cerchiamo di soddisfare qualsiasi esigenza e siamo sempre presenti per ogni evenienza. Siamo molto soddisfatti: molti ospiti li rivedremo presto, i loro padroni hanno già riservato per il prossimo inverno». Nell’area giochi di LeFusa la gattina Bianca si diverte in compagnia di Olivia, mentre Jackson, uno splendido Maine Coon di 12 kg, si concede una beauty routine con Fabio che si prende cura del suo morbido manto. «I gatti dal pelo molto lungo come il Maine Coon, il Persiano e il Ragdoll necessitano quotidianamente di una spazzolata dolce per lucidare il pelo ed eliminare nodi che potrebbero ingerire». I più piccoli saltano da una scaletta all’altra, e qualcuno decide di evadere nel giardino felino, chiuso e sicuro con morbide reti di protezione, ma quando Karolina apre l’armadietto delle provviste tutti tornano magicamente sull’attenti.
«Pranzi e cene qui sono da chef stellati, e il menù di prelibate scatolette prevede una lista di abbinamenti ricercati: tonnetto con papaya, filetti di pollo alle mele, salmone con salsa al kiwi, crocchette gluten free e piatti bio o studiati in base ad eventuali intolleranze. Poche e semplici regole ed un check-in preciso: «I gatti vengono presi dai tre-quattro mesi, fino a quelli molto anziani. Devono essere domestici, vaccinati e controllati regolarmente dal veterinario per la sicurezza di tutti gli ospiti — spiega Karolina —. I proprietari compilano una scheda indicando caratteristiche e disturbi dell’animale, intolleranze ed eventuali medicinali da somministrare. I gatti devono sentirsi come a casa, senza strappi o cambi di abitudini». L’estate è stata vivace, ma la coppia pensa già al futuro: «Sarebbe bello poter tenere corsi di pet therapy: le fusa di questi gattini riescono a far tornare il sorriso». (Corriere della sera)

quinta-feira, 20 de setembro de 2018

O voto transferencial...O suposto 'pai bom' e o suposto 'pai perverso'... E la nave va...

"O sistema de partidos é, portanto (e bem de fato) o mecanismo da ditadura moderna. É uma ditadura sem máscara, que o mundo ainda não ultrapassou, é realmente a ditadura da época contemporânea..."
Muammar Al Qathafi
(In: O livro verde, p. 15)

Nesta zona e neste caos político tenho recebido diariamente dezenas de e-mails, 50% pró Lula e 50% pró Bolsonaro, cada um deles com uns argumentos mais fajutos e mais metafísicos do que os outros. E de gente que não é de esquerda e nem de direita. Todos delirantes e ambidestros... Nem sombra de consciência e de ideologia política. Mais fé e animismo do que outra coisa! 
Curiosa e surrealisticamente, os candidatos em questão, um está na cadeia e o outro numa UTI de hospital. Um preso por prevaricação e o outro esfaqueado pelo exotismo de sua idiossincrasia. 
O quê dirão de nossa sanidade mental os estrangeiros? 
A fragilidade psíquica dos eleitores e a precária saúde social esta evidente nas missivas... Apesar dos surtos, dos sapateios e das difamações mútuas, ninguém sabe muito bem o que esta dizendo e nem mesmo que suas supostas escolhas estão sendo feitas à sombra de uma escolha (bem mais pensada) que já foi feita por grupos que eles nem têm idéia... Além disso, trata-se de uma militância que parece não ter nenhuma soberania de pensamento e nenhuma  consciência política...  e que esta relacionada bem mais ao estômago e bem mais àquela neurose que em psicanálise se conhece por transferência: qual dos candidatos identifico como um "pai bom" ou um "pai perverso". Em outras palavras, uma militância infantil e alienada, fundamentada em traumas.
Neste contexto, ter que escolher entre um e outro, é mais ou menos como ir à feira e ter que optar por uma das duas únicas marcas de sabonete: da Colgate ou da Gessy? e sair de lá convicto de que fez uma boa escolha e que uma é bem mais asséptica e melhor do que a outra... No fundo, na essência dessa subserviência o que existem são neuroses secretas que disfarçam a controvérsia quase primitiva já mencionada por Orwell: mentir é desejável ou não? E é verdadeiramente impressionante deparar-se, lá na feira, diante da prateleira de sabonetes, com pessoas que fariam um escândalo se vissem alguém falsificando um mísero compêndio científico e que não vêem nada de errado em falsificar um dado histórico (Orwell) .
Enfim, esse dualismo porra louca, funesto, pobre e infantil, (dê no que der) ao invés de prometer e de asseverar-nos uma era de sensatez e de razão, prenuncia descaradamente uma era de frouxidão e de esquizofrenia...
Que miséria e que vergonha!
Abaixo a república!
E la nave va...

quarta-feira, 19 de setembro de 2018

Bolsonaro & as urnas sagradas?...& o tabernáculo laico... & o Santo Graal... & a Arca de Noé...

[...Che i dodici dei, oltre a Diana e a Giove, i migliori e i più grandi, maledicano chiunque osi pisciare o cacare in questo luogo...]
Escrito nos muros de Pompeia

A frase do Bolsonaro dita anteontem lá numa cama de hospital a respeito das urnas eletrônicas e da possibilidade de fraude na contagem dos votos, não para de causar estupefação... 
É impressionante como a população em geral, inclusive os letrados, têm dificuldades para suportar uma opinião diferente da sua! Até jornalistas que estão há quase um século testemunhando e relatando os mais inacreditáveis casos de estelionato país a fora, estão tendo tremeliques quase religiosos diante da heresia do Bolsonaro, como se ele, levantando suspeitas sobre as URNAS estivesse profanando o Santo Graal ou algum tabernáculo!... A velhinha do mercado - aquela do rosário no pescoço - chegou até a levantar a hipótese do Bolsonaro estar virando ateu! A urna é sagrada! - resmungava ela -Como é que ele pode pensar uma coisa destas?
Ateu o Bolsonaro? Logo ele, que não consegue falar duas frases sem invocar a cumplicidade divina???...
É evidente que na essência deste comportamento cretino há uma engrenagem psíquica contaminada de misticismo, de patriotismo cabotino e de religiosidade. A pátria! A mãe! A fé! A urna  como mais um símbolo pátrio, mais ou menos como o Santo Graal. Mais uma miserabilidade eleitoral de falastrões que, apesar de ter uma breve existência já esta sendo consagrada... É evidente que não é paranóica e que procede a inquietação do Bolsonaro... e que se até agora - como diz uma ministra - não se evidenciou nenhuma fraude no uso delas, isto não significa que não tenhamos, até aqui, vindo fazendo o papel de babacas úteis.
Este teclado - por exemplo - através do qual estou engendrando este texto, quando aperto a tecla G aparece na tela a letra M. Em outras vezes, quando eu teclava a letra D aparecia no papel a letra U. Entendem? E isto nem precisou ser artimanha da CIA, da Ku Klux Kan, da KGB ou de alguém de outro mundo... é apenas a malandragem de uma criança de oito anos. 
Então, no caso das urnas, por que é que não se pode imaginar que, por malandragem de alguém mais cretino e mais adulto, ao teclar o nome de Marina apareça o do cabo Daciolo? Ao teclar o nome do Ciro a máquina registre o do Alvaro Dias? ou o do Eymael? que o nome de Eymael seria computado para o lacaniano Boulos o de Bolsonaro acionaria o de Haddad ou o da Vera do PSTU? e que o de Alvaro Dias iria para Alckmin, aquele que ele acusa de estar querendo reconstruir a Arca de Noé??? 
Tudo isto é completamente possível, principalmente naquele ambiente  com aura de sacristia onde é realizada a votação, lá onde só se fala em voz baixa, onde se pisa leve, onde não se pode nem coçar o saco e onde esta tudo dominado pelo Estado, por seus guardas e por seus lacaios... Ora! E depois, nestes tempos, mais do que nunca, tem sempre no ar e no imaginário de todo subdesenvolvido a frase do Stálin: Quem ganha uma eleição é sempre quem conta os votos...
Portanto, ao invés de tentar sufocar as suspeitas do candidato, seria bem mais respeitável que, no momento oportuno, o STE, os mandarins da mídia e da universidade o convocassem para falar mais e exaustivamente sobre o assunto..
Por hora, ao invés de ficar resmungando lá do hospital sobre essas bagatelas Bolsonaro deveria estar mais preocupado com seus intestinos. 
__________________________________
Em tempo:  Esqueci de lembrar que as urnas são apenas um sintoma do problema e que o problema se chama república. Esse sistema falido e falacioso engendrado por um grego num momento de crise e no meio de toda aquela viadagem que se conhece. E fazem uns dois, três mil anos! Se nesse tempo não se conseguiu pensar outra forma de adestrar e de harmonizar o rebanho, então é melhor pendurar as chuteiras...

Mientras...










segunda-feira, 17 de setembro de 2018

Duas páginas do Manual para turbinar seu masoquismo... (e suas desgraças...)



"Faz muito tempo que você, masoquista ordinário, procura expiar suas culpas através de meios aleatórios. Faz muito tempo que para conseguir auto-punir-se você tem tido que contentar-se com angústias mal concebidas, com punições hesitantes e com torturas inoperantes, isto porque neste domínio até a ciência oficial ainda esta num estágio amador.
Pois bem, os tempos da ignorância acabaram! Eis aqui, finalmente, um manual que te atenderá plenamente. A primeira pesquisa sistemática da arte de torturar-se e de humilhar a si mesmo. Desejamos modesta mas vivamente, que através destas páginas você possa encontrar a inspiração e os instrumentos indispensáveis para levar uma vida verdadeiramente massacrante, miserável e desprovida de sentidos..."
Dan Greenburg

ÍNDICE PRINCIPAL
1. Técnica de base para se torturar;
2. Sete situações clássicas geradoras de angústia; 
3. A procura do sofrimento: no passado, no presente e no futuro;
4. Como perder seus amigos e levar o mundo às costas;
5. Como perder seu trabalho;
6. Como evitar verdadeiras relações amorosas;
7. Como destruir uma verdadeira relação amorosa;
8. Como perder os poucos amigos que lhe restam.

Para quem estava destinada a maleta do africano da Guiné Equatorial???... E aquele relógio cravejado de diamantes???


"Porque la pobretería no tiene sus parajes ni sitios propios. Y porque la pobretería vive a expensas de la locura y esta a costa de aquélla..."
J. Moreno Villa


A curiosidade é geral. 
Todo mundo movido ou por instintos antropológicos, ou pela ganância, ou pela inveja, esta querendo saber a quem estava destinada a mala do vice-presidente da Guiné Equatorial, recheada de dólares e de outras preciosidades que foi apreendida ontem pela policia no aeroporto de São Paulo...  E a curiosidade maior da população esta voltada para um dos relógios do ilustre senhor, relógio que, segundo a polícia, esta cravejado de diamantes. Observem como o valor do relógio (ou de outras merdas) que o sujeito leva no braço ou no pescoço é sempre proporcional à sua pequenez e à sua imbecilidade... 
Viria financiar a campanha de alguém? Caixa 1? Caixa 2? Caixa 3? Seria uma das últimas parcelas à Beija-Flor? 
Pensava-se em comprar uma meia dúzia de Habeas Corpus?, ou o cara seria apenas mais um maníaco? Um novo rico delirante? E que estava disposto a simplesmente gastar tudo por aí em noitadas tropicais com duas ou três de nossas cristãs e cordiais senhoritas no colo?  Seja o que for, apesar de seu pai ser o chefão daquele país, é provável que sua volta para lá não tenha sido muito tranquila. Ao invés de Malabo, deve ter feito um pouso emergencial no Gabão... (Abaixo, a música da Beija-flor, com seus mendigos e seu 'humanismo', bancada com a penúria e o dinheiro de la Mama Africa) 
E la nave va... 

sábado, 15 de setembro de 2018

Realmente, a estupidez é um transtorno de caráter...




Todos se lembram que nas duas últimas semanas de agosto aconteceu aqui em Brasília, a 4a. Bienal do livro e da Leitura e que os organizadores, a polícia e outras forças transcendentais, por pura burrice, não permitiam que se estacionasse na avenida que fica em frente ao local do evento, causando um transtorno incompreensível aos visitantes e um prejuízo imenso ao evento. Pois bem, hoje foi a vez da abertura do 51 Festival de Cinema de Brasília, ali no Cine Brasília, EQS 106/107.
Quem tentou chegar lá para assistir o filme das 21:00 horas (Los silencios), não conseguiu, a não ser que tenha ido a pé ou a cavalo. 
O motivo? Impossível estacionar. 
Tudo por lá está em reforma e interditado. 
Quatro burocratas engravatados orientavam os motoristas a irem estacionar na 902 (Colégio Dom Bosco a uns vinte minutos dali) e que de lá para o Cine Brasília seriam transportados gratuitamente por um carro do governo. E que depois do filme, seriam gentilmente levados de volta para onde estavam seus respectivos carros ou suas respectivas carruagens... Acredite! Faça um esforço para acreditar! Isto não é literatura barata é a mais descarada comprovação de que a burrice foi além do previsível e que agora chega a se confundir com um transtorno de caráter... 
Como não sou lá um grande admirador dessa arte, (tudo nela me parece falsificado e ordenado 'texto, imagens e música' apenas para hipnotizar e atordoar o rebanho lá na media-luz no fundo da sala e louco para ser iludido enquanto se atraca com um saco de pipocas) voltei para casa enfurecido.., sim, enfurecido.., mas não o suficiente para deixar de querer saber o que aconteceu com essa gente? Por que fazem de tudo para prejudicar a si e a seus projetos? 
Seria uma pandemia de masoquismo? O que fizeram com o bom senso e com a estética instintiva? Não querem pensar? Ou não conseguem pensar? Estariam necrosados? Fumaram, beberam ou comeram demais? Quê porra é essa?
Se na semana passada, com aquela idiotice na Bienal do livro eu me questionava se os livros teriam servido para alguma coisa, agora, diante de estupidez semelhante, é inevitável me questionar se o cinema (por mais revolucionário que se considere), tem realmente servido para algo? Bah!!! 
Desse jeito corremos seriamente o risco de nos assemelharmos a aquele esbirro de Hitler que dizia: 'quando ouço falar em cultura, vou logo sacando minha arma!"
E la nave va...





sexta-feira, 14 de setembro de 2018

Wendy McNeill...

As eleições, o bagual de Dario I... e o bem supremo...

Neste período cômico e de fraudes que antecede as eleições para presidente da república, quando se deve assistir diariamente a um show de metamorfoses, de imposturas, de falsificações, de pantomimas, de estulticia, de rapozices, de teatro amador e de tudo o mais, é relaxante lembrar com que truque Dario I, lá pelos anos 550 a.C conseguiu se eleger Imperador da Pérsia.
Às vésperas das eleições - diz a história - os seis ou sete candidatos daquele fim de mundo se reuniram e combinaram que o eleito seria aquele cujo cavalo relincharia primeiro. Um servo de Dario ao ouvir o combinado, correu umedecer as mãos nos genitais de uma égua em cio e, na hora marcada, friccionou os dedos nas narinas do bagual de seu patrão e candidato que não apenas começou a relinchar, mas que saltou para fora do 'estábulo' e etc. Dario, conforme o combinado, foi empossado imperador...
Não lhes parece um bom método, ético e justo para eleger também o nosso pseudo imperador? Um método que, além de poupar a população dessa babaquice toda e de lhe proporcionar um toque erótico, ainda garantiria às massas a ilusão de estar ardentemente colaborando com o summum bonum... da politicagem e da existência...

Podolatria, parafilia, fetiche... Ou quase um orgasmo... (Ah, esses argentinos!!!)



https://veja.abril.com.br/blog/mundialista/igreja-em-crise-apocalipse-fim-dos-tempos-onze-de-setembro/

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Do calor, dos urubus e de Manaus...

E a cidade continua uma fornalha... Bem que Niemeyer, Lucio Costa, JK e outros ideólogos deste Hades, tinham suas coberturas lá no Leblon ou arredores... 
Nos desertos, pelo menos, o sujeito se distrai com as serpentes, com as miragens e com as dunas que as ventanias vão mudando de lugar... Mas aqui é diferente... pelo que tenho  visto o populacho e mesmo a elite burocrática já está até perdendo o medo das labaredas do inferno, estão cada dia mais convictos de que por lá, ao contrário do que se diz, as coisas podem ser até mais agradáveis e frescas...
E com esse calor, até os urubus estão ficando atrevidos, menos medrosos e pousando no umbral das janelas, sobre as lápides do Campo da Esperança, sobre os carros, nas lixeiras, nas portas dos mercados...  no telhado dos hospitais e até sobre os minaretes das catedrais... Ontem um radialista explicava que a aproximação desses bichos se deve aos inúmeros vendedores de ovos que nos últimos tempos (com o desemprego) se instalaram por aí, nas esquinas. Mas ovos? Não são lagartos! Sim, ovos!, e vendidos não a dúzias mas a centenas... E as galinhas? E o colesterol? 
Os esotéricos e os supersticiosos em seu entusiasmo fanático já andam com velas, escapulários e água benta nas bolsas prontos para ludibriar algum mal, já que para eles estas aves nojentas podem ser um sinal de mau agouro
O mendigo K, entre um trocadilho e outro, relatava a uma senhorita estrangeira que quando viveu no Amazonas (época delirante dos seringais) na Rua Igarapé de Manaus, na maior penúria e no meio das mais surrealistas intempéries, dormindo em rede, comendo macarrão e carne Swift enlatada a vácuo durante meses, todas as manhãs aparecia na janela de seu cortiço um ou dois desses urubus... e que apareciam lá para saudá-lo, para resmungar um mantra, para convidá-lo a ir dar um mergulho nas águas da Ponta Negra... Grosnavam, se espreguiçavam, despejavam para dentro de seu quarto algumas penas, uma ou duas dúzias de piolhos, levantavam voo e iam planar lá por sobre as malocas dos Caruaras ou pelas beiradas do Solimões para só aparecerem novamente no outro dia, umas vezes trazendo no bico longo e preto pedaços da ossada de algum Pirarucu... outras vezes, noticias do mosquito da malária...  
Dependendo do humor,  - dizia ele - lhes colocava ao alcance a lata de macarrão.., dividia com eles os restos da carne Swift e uma ou outra migalha de pão sírio... 
A senhorita estrangeira, interessada num visto de permanência, fingia acreditar...

Pedagogia pervertida... Educar na escola, em casa... ou educar-se a si mesmo???


" Todo deseo de educar es deseo pederástico pervertido..."
Rene Scheber, p.134

"A parte superior de um livro é o lugar onde todas as
 varejeiras do mundo preferem morrer..."
George Orwell (in: Livros e cigarros, página 26)




Os ministros do Supremo fizeram o óbvio: votaram contra o reconhecimento do 'Ensino domiciliar', proposta que tem sido cada dia mais comum pela população desesperada que não vê na escola nada além de uma singela preparação de suas crianças para o prostíbulo e para a penitenciária... 
E depois, o problema, é que a família, apesar dos energúmenos de plantão que a consideram um 'projeto divino', é o ninho de todas as aberrações e que quanto antes se afaste a criança dela, melhor. E não só a família, em si, mas a própria casa, vai se parecendo cada vez mais a uma prisão e a um gerador de depressão. O humor das mulheres que passam praticamente o dia inteiro trancafiadas nelas, do tanque para o fogão, do banheiro para as janelas, do sofá e da tv para diante do espelho etc... demonstra muito bem o que digo... 
Alem disso, a respeito da educação, como querer "educar em casa" quando a imensa maioria dos pais vive na penúria afetiva, na mais desprezível ignorância, não sabe quanto é 19 dividido por 11... é neurótica, impaciente, não sabe qual é a capital do Afeganistão e nem como se resolve o problema de um pentelho encravado???...
Para quem não esta hipnotizado, fica cada dia mais evidente a falácia da família e da escola (estas duas extensões da igreja) e que no porvir, se as crianças não quiserem continuar sendo pervertidas, adestradas e colonizadas terão que educar-se a si mesmas... se elas não puderam fazê-lo, ninguém poderá fazer por elas...



quarta-feira, 12 de setembro de 2018

In colt we trust...

O atentado contra o candidato Bolsonaro colocou em evidencia, além de nosso atraso, duas questões filosóficas: a morte e a faca.
Sobre a morte tenho uma prateleira repleta de ensaios, estudos, declarações, manifestos, diários, desesperos, revoltas e horrores. Já, sobre a faca, não há quase nada publicado. Recentemente, numa fila de banco, ouvi dois senhores estrangeiros (um indiano e um armênio) falando sobre uma fábrica de facas da qual seriam gestores. E nas vitrines das casas de desportos - observem como todo mundo gosta de admirá-las - as ofertas são cada dia mais sofisticadas. Existe as para mergulhadores, as para churrasco, as para descascar laranjas, passar geléia no pão, aquelas que os sujeitos de circo lançam contra um alvo e claro, as para brigas. Umas com cabos de madeira, outras de madre pérolas, de marfim, de ferro, e de chifres... Quem foi criado na fronteira com o Paraguay sabe da fama que os paraguaios tinham de serem "bons na faca". Tive um primo, (bom de gatilho) que, numa briga lá pelos lados do lago azul de Ypacaraí, teve que descarregar duas  vezes sua pistola sobre um adversário para não ser destripado. Agora lembrei-me também da baioneta, que não deixa de ser uma faca fixada na ponta do fuzil. Um dos objetos que lamentei não ter herdado de meu clã foi um punhal que ficava estrategicamente dependurado atrás de uma porta, próximo a uma máquina de fazer espaguete... e que devia ter vindo no meio das tralhas nos baús da imigração. Tinha mais de 40 centímetros, uma lâmina enferrujada, cortante dos dois lados e com um imenso S que separava o cabo da lâmina. Havia nele algo de transcendente! Uma relíquia! Sua baínha já estava completamente desfigurada. Provavelmente não apenas pelo tempo, mas também pelas memórias... Nunca alguém foi tão corajoso para dirigir-se a ele e acusá-lo de ser apenas uma arma branca...  Um outro parente que não lembro o nome e que já havia vivido em Chicago, sempre que estava diante daquela lâmina gostava de resmungar, num inglês macarrônico: In colt we trust! Frase que mais tarde, com uma insignificante alteração, foi impressa na moeda americana...  Enfim, apesar de todas as mortes serem exdrúxulas e excêntricas a causada por uma faca pode ser uma das mais covardes e esquisitas.
E por falar em mortes, quem já frequentou uma escola (por mais vagabunda que tenha sido) deve lembrar-se de como morreu o velho dramaturgo grego Ésquilo: Passeando pela Sicília, 500 anos antes da lenda  de Cristo, foi abatido por uma tartaruga que caiu do bico de uma águia sobre seu crânio...

terça-feira, 11 de setembro de 2018

Como tornar-se vivos... Ou: um Vade mecum para leitores selvagens...



















"Non abbiamo tempo? E allora leggiamo in treno, in aereo, nella metro, a letto, sotto il tavolo, sotto il banco. Leggere per vivere vuol dire attingere a quell'energia che fa essere la realtà diversa da  una prigione, e dobbiamo diventare lettori selvaggi proprio ora che non abbiamo tempo".

segunda-feira, 10 de setembro de 2018

Mientras...

Um mundo de cretinos e movido a medos......


"A ditadura perfeita terá as aparências da democracia, uma prisão sem muros na qual os prisioneiros não sonharão com a fuga. Um sistema de escravatura onde, graças ao consumo e ao divertimento, os escravos terão amor à sua escravidão" 
Aldous Huxley 






1. Uma criança tem medo de um rato.

2. O rato tem medo de um cachorro

3. O cachorro tem medo de seu dono

4. O dono tem medo de sua mulher

5. Sua mulher tem medo do médico que detectou um nódulo em seu seio

7. Seu filho esta apaixonado por uma menina mas tem medo de conversar com ela

8. A menina é comediante e tem medo de esquecer o texto

9. O professor de quem ela tem medo fuma muito e tem problemas respiratórios. Vai fazer uma fibroscopia e esta com medo do resultado dos exames

10. O amigo do professor é homossexual e frequentemente se sente fatigado. Tem medo de estar com AIDS

11. Seu médico tem uma viagem marcada e tem medo de perder o avião

12. A mulher do médico tem medo de entrar no avião... etc, etc, etc, etc.... (Ver: Le livre des peurs)



sábado, 8 de setembro de 2018

E o sujeito da peixeira é pedagogo...

[... O louco é um homem vivo guiado por um morto...]
Arthur Bispo do Rosário
(Nos tempos do hospicio da Praia Vermelha)

E o drama nacional, relacionado ao atentado contra o candidato à presidência da republica continua. A cada declaração, seja da policia, dos médicos, de seus adversários políticos, de seus seguidores, da mídia ou das velhinhas carolas da feira, o surrealismo vai se agrandando. Esta até aparecendo gente que sustenta que o atentado foi perpetrado por um iluminatti da Baviera... O mendigo K dizia a outros mendigos: quatro coisas me chamam atenção nesse acontecimento. Primeira: o fato escabroso e escatológico dos médicos exibirem as entranhas do paciente ao mundo. Segunda: o fato do agressor ser pedagogo. Terceira: o fato de já ter havido outro sujeito, na história do país, com um nome parecido, lembram do Arthur Bispo do Rosário? (foto acima) Ele, com sua arte, como o esfaqueador do Bolsonaro, com sua faca, dizia cumprir um mandato divino... E Quarta, um pedaço de frase que está lá no Artigo 20 da Lei de segurânça Nacional: "atos de terrorismo por INCONFORMISMO POLITICO"Inconformismo político? Há algo nesta frase que me incomoda... - repetia. 
E a pedagogia? Teria sido lá que o Adélio Bispo aprendeu a manejar facas? A pedagogia da peixeira? Teria alunos? Como deve ter interpretado as teorias de Pestalozi, de Montessori e de Rousseau?
Como o Bispo do Rosario que, com sua loucura, com seu messianismo, com seus delírios de que era filho de São José e da Virgem Maria e com seus trapos ficou na história da psiquiatria e dos manicômios nacionais, este outro Adélio Bispo também com seu messianismo (ironicamente igual ao dos candidatos) ficará na história dos calabouços e das penitenciárias (o que, na essência, é a mesma coisa...)... E la nave va...

quinta-feira, 6 de setembro de 2018

Esfaquearam o candidato Bolsonaro... A idade média é aqui...

A desvairada tentativa de homicídio contra o deputado Bolsonaro nesta tarde, é mais uma expressão de nossa decadência social e mental. Um alerta, principalmente para os candidatos à presidência da república de que, atualmente, o país se assemelha mais a um hospício a céu aberto do que a outra coisa... 
E que sirva para lembra-los também que durante mais de meio século os políticos que os precederam não deram a menor importância para a Saúde Mental das massas e das populações abandonando e condenando os doentes dessa área ao mais estranho e irresponsável abismo. 
Não acredita? Então tente buscar apoio médico/psicológico/público para alguém com transtorno mental... 
E foi uma trágica coincidência que o insano "atentado" contra o deputado tenha acontecido a poucos quilômetros de Barbacena. Barbacena, todo mundo sabe, é uma cidade mineira onde, por mais de meio século funcionou um dos mais abomináveis hospícios do mundo. (ver video abaixo). 
E agora.., visivelmente transtornado e enjaulado, o agressor (esse sintoma de uma sociedade desvairada e esquizoide) diz ter atacado o candidato por 'inspiração divina'.
Em que sentido o Deus desse pobre coitado teria alguma coisa a ver com isso? 
É provável que depois desta funesta experiência os candidatos, final e malandramente,  incluam em seus 'programas' também as promessas de 'dar uma atenção especial à saúde mental' e de, se eleitos, 'lutarem para colocar um freio na loucura das seitas, dos fanatismos e dos charlatanismos vigentes' que envenenam a mente dos rebanhos e que têm um papel importante na desorganização mental dos mesmos...... 


As cinzas do Museu Nacional e Gaston Bachelard...

[... Et comment les Brésiliens se mettent-ils sans se brûler des charbons ardents dans la bouche?]
Ver Bachelard, página 66


quarta-feira, 5 de setembro de 2018

Aproveitando a destruição e a desolação do Museu Nacional...

Das labaredas, do mendigo K e dos sintomas...

1). A respeito do incêndio que ontem destruiu o Museu Nacional, as explicações, justificativas e desculpas que reitores, funcionários, banqueiros, bombeiros, espíritas, astrólogos, ministros e feiticeiros estão dando para a tragédia são até mais desesperadoras, mais desalentadoras e abomináveis que as próprias labaredas. Estão até considerando um milagre que o fogo tenha poupado um ou outro fragmento do chamado crânio de Luzia (ao lado). Até ele deve estar apavorado com tanta estupidez...


2). Hoje, quarta-feira, deparei-me com o mendigo K., no meio de uma multidão que esperava por uma consulta, por um exame ou até mesmo por uma pastilha qualquer, de preferência, a base de ópio... Como sei que está prestes a se aposentar perguntei-lhe: "que saberes" acumulou durante seus anos de trabalho? Depois de certificar-se que eu não estava fazendo ironia, pigarreou, tirou um livro de capa vermelha da bolsa, um livro de autoria de dois alemães e foi lendo uns trechos por ele sublinhados:

I. Do ponto de vista da psicoterapia não existe uma pessoa assim "tão saudável"que não precise com urgência de uma;

II. A psicoterapia é valiosa demais para ser destinada unicamente às pessoas doentes. O fato de nesse enfático processo também surgir bastante "lixo" não deve nos abater o ânimo. (repetiu esta frase mais de uma vez, em voz baixa, como se temesse ser ouvido por alguém);

III. A psicoterapia é um dos melhores métodos existentes para nos tornarmos mais honestos e conscientes;

IV. A psicoterapia é a única abordagem que de fato oferece uma possibilidade real da cura física;

V. Durante a psicoterapia nós nos aliamos aos sintomas do paciente e os ajudamos a alcançar seus objetivos, pois o corpo sempre tem razão. A medicina acadêmica faz o contrário: se alia ao paciente contra o sintoma. Nós ficamos sempre ao lado da sombra e ajudamos o paciente a trazê-la à luz... (interrompeu a leitura ao ouvir seu nome saindo de um pequeno alto falante e desapareceu pisando em nuvens no meio dos pacientes...)


terça-feira, 4 de setembro de 2018

Da prevenção ao suicídio e das campanhas eleitorais...

"...Lembro de uma vez que durante três horas caminhei por Luxemburgo com um engenheiro que queria suicidar-se. Por fim o convenci que não o fizesse. Lhe disse que o importante era ter concebido a idéia e saber-se livre. Eu creio que a idéia de suicídio é a única que faz suportável a vida, mas é necessário saber explorá-la, não apressar-se em arrancar dela as consequências. É uma idéia muito útil. Deveriam dar cursos sobre ela nos colégios..."
E.M.Cioran
(Em entrevista concedida a Fernando Savater e publicada no jornal espanhol EL PAIS (1990)

Como muita gente sabe Brasília costuma escolher uma determinada cor para associar a campanhas preventivas contra certas doenças. Para o câncer de mama, por exemplo, projetam luzes de cor lilás no Congresso Nacional; para o câncer de próstata, luzes azuis e etc. Atualmente, de uma semana para cá, estamos com a cor amarela colorindo o cenário, e isto para caracterizar uma campanha de prevenção ao suicídio. 
Muita gente andou se matando por aí, nos últimos meses, e isto desencadeou uma onda de paranóia na sociedade inteira, o que a fez desencadear uma cruzada contra este, que é, para muitos pensadores, o único problema filosófico sério. 
Cair fora, saltar para o nada, abandonar o barco, jogar a toalha, sair do circo voluntariamente só porque a peça não está agradando. Ora, isto não parece ser um bom negócio... não é verdade?
Apesar de todas as restrições que tenho a esse tipo de catequese, entendo que esta campanha veio num momento propício e certo, exatamente quando estamos num período de eleições e quando os Zés Manés (candidatos) estão o tempo todo nos meios de comunicação nos intoxicando com suas parpalhices, nos fazendo tomar consciência de seus transtornos e de que a miséria é geral e secular.
Acabo de ouvir uma candidata pedindo votos com o seguinte argumento: sou mulher, casada, fiel, com filhos, cristã e trabalhadora! Ora! Quem seria louco o suficiente para votar numa mulher casada, fiel, com filhos, cristã e trabalhadora? Outra diz que é negra, pastora, também casada, também cristã, que também tem filhos e que também quer salvar a pátria. E a família? Todos falam dela como se fosse uma maravilha. Um dom! Uma graça! Uma cachimbada de crack! Quê hipocrisia! Não precisa nem ter estudado a Ronald Laing para saber que é nela que são engendradas todas as psicopatologias... Um sujeito diz que é educador há 25 anos, que veio para cá na maior miséria, que venceu, que se tornou empresário e professor e que quer dedicar sua vida ao próximo. Empresário? E está solto? Educador? Com o analfabetismo generalizado, com os adolescentes e seus pais que não sabem quanto é 6 mais 8, como é que tem coragem de dizer que é professor e ainda pedir votos por isso? Outro se vangloria de saber onde está escondido o Santo Graal e de ser pobre. Ora, quem é que votaria num pobre? Se não soube administrar nem seu próprio dinheiro, como é que quer ter acesso aos cofres do tesouro? Vários (até de partidos diferentes) afirmam que foram incumbidos por Deus para esta missão... Estariam tomando os remédios em doses equivocadas?
Curiosamente, ninguém diz que quer ser governador, senador, deputado ou presidente porque conhece profundamente o movimento dos astros, porque domina a física quântica, porque sabe como produzir pimentões e tomates sem ter que enchê-los de venenos; porque sabe de matemática até mais que Poincaré, que tem uma nova formula para evitar que as pessoas engordem como antas, que mandará executar todo e qualquer tipo de impostores e etc...
Enfim, a campanha de prevenção ao suicídio veio numa hora certa. Não é fácil para ninguém digerir o cocô que esses desvairados lançam sobre nossas cabeças e para dentro de nossas casas...