"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

E... naquela Paris de 1460...

No livro de Andrew Hussey A HISTÓRIA SECRETA DE PARIS (como ladrões, vigaristas, cruzados, santas, prostitutas, déspotas, anarquistas, poetas e sonhadores transformaram um povoado gaulês na cidade
luz da Europa), livro que todo sujeito (mesmo os burros incuráveis que pensam que saber a história de Paris é conhecer a história do croissant) tem obrigação de ler, há 
em uma de suas 580 páginas, uma citação atribuída a François Villon que é estupenda e que, com um pouco de ceticismo e de imaginação, pode até ser adaptada para nossos dias. Diz ele: "Paris é a cidade da alegria, onde os ingênuos são agarrados pelo pescoço e queimados no cadafalso e onde vilões dominam tudo. Afaste-se dos grossos muros da cidade o mais rápido que puder! Cortadores de bolsas e homens com facas o espreitam no escuro. Cuidado com a forca!"
http://www.revistaprosaversoearte.com/francois-villon-poemas/

Nenhum comentário:

Postar um comentário