"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sábado, 30 de dezembro de 2017

Hoje a festa é sua.., hoje a festa é nossa... é de quem quiser....

Como dizia um pensador anônimo: "Quem quiser ter certeza de alguma coisa neste hospício, que feche os olhos e que caminhe tateando na escuridão..."


...E o populacho, animista, bobalhão, vaidoso e ignorante, toma uns tragos, compra dois ou três rojões dos mais perigosos, daqueles que podem estourar-lhe os tímpanos e arrancar-lhe uma das mãos, pendura os trapos nas janelas e, acreditando que tem alguma coisa a ver com esse embuste festivo das rebarbas monárquicas, mesmo sabendo que o ANO QUE TERMINA foi uma desgraceira sem fim fica gritando para quem passa: Feliz ANO NOVO! 
Sim, é cultural! Sim, é universal! Sim, é civilizatório! Sim, é fraternal! Sim, é para unir a família! Sim, é cristão e ocidental! Sim, as palavras são como cortesãs! Não querem dizer nada! São só um vício! Uma transação entre náufragos! Uma espécie de mugido! Feliz Ano novo! E com prosperidade! resmungam os beatos da Sheicho-no-ie e os do Reino de Deus! Sim, eles que só se hospedam no Hilton. Aliás, quem nunca se hospedou num Hilton ou num Sheraton não sabe nada de nada, muito menos de luta de classes e pensará e terá sempre uma visão enviesada das coisas e do mundo...
Feliz Ano Novo! A frase escapa pelas janelas das mansões e cai sobre a plebe da rua ou dos cortiços como uma esperança! Uma promessa da Casa Grande sobre a miserável senzala, sem voz e travestida de luzinhas e de abraços... a geladeira, comprada em 178 prestações, vazia e transformada num minúsculo armário... Saravá! 
Feliz Ano Novo!? Mas... o número de homicídios no mês de natal triplicou! As estradas estão repletas de carros despedaçados e de cadáveres! Ontem mesmo esfaquearam uma adolescente. Enforcaram uma velha! Metralharam um morador de rua! Encontraram sete ou oito bebês nas lixeiras. As filas desta manhã nos pronto-socorros, quem as viu, pensou que o país estivesse em guerra. A padaria da esquina faliu! O Museu do Divino, em Pirinópolis teve que ser transformado em cadeia para abrigar de emergência novos hóspedes! Os agricultores, mesmo os que estão na faixa da miséria e que vão comungar-se todos os domingos, continuam turbinando seus pimentões, tomates e até o mamão com inseticidas mortais! As mesmas máfias, não apenas do ano que passa mas das décadas anteriores estarão de volta também no ANO NOVO.  De quê felicidade e de quê prosperidade se está falando afinal? Como ser cúmplice dessa fraude e dessa farsa?
Feliz ano novo! Me deseja um velhinho esfarrapado que há 50 anos caminha sem rumo e em desespero aqui pela cidade. Seguramente não estará mais por aqui no ano que vem. E por falar em velhinhos, aquele do Parkinson avançado continua ali na rodoviária balançando descontroladamente os braços. Nem consegue segurar as moedas que algum farsante, para aplacar sua própria culpa, tenta depositar-lhe nas mãos... O circo é geral! A espécie estrebucha! Busca a qualquer preço uma alívio, um engano, um ópio, uma mentira para seguir adiante... E isto sempre me lembra a frase que ouvia quase obsessivamente lá na minha infância: povera gente!
FELIZ ANO NOVO! Vamos beber uma taça em homenagem a todos os canalhas e cantar, todos juntos, otimistas, de mãos dadas, histéricos e felizes: "Hoje a festa é sua... hoje a festa é nossa... é de quem quiser!!!" 
Bah! Que cinismo e que miséria!

4 comentários:

  1. Gostei muito do post!

    ResponderExcluir
  2. Bazzo, o ano novo começou bem aqui no DF, só ontem à noite, quatro mortes brutais.

    ResponderExcluir
  3. FELIZ ANO NOVO
    http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2018/01/1947519-feriado-de-ano-novo-termina-com-67-mortos-nas-estradas-federais-diz-prf.shtml

    ResponderExcluir
  4. Hoje é um novo dia
    De um novo tempo
    Que começou

    Nesses novos dias
    As alegrias
    Serão de todos
    É só querer

    Esses nossos sonhos
    Serão verdade
    O futuro já começou

    Hoje a festa é sua
    Hoje a festa é nossa
    É de quem quiser
    Quem vier

    A festa é sua
    Hoje a festa é nossa
    É de quem quiser
    Quem vier

    De quem quiser

    Hoje é um novo dia
    De um novo tempo
    Que começou

    Nesses novos dias
    As alegrias
    Serão de todos
    É só querer

    Todos os nossos sonhos
    Serão verdade
    E o futuro já começou

    Hoje a festa é sua
    Hoje a festa é nossa
    É de quem quiser
    Quem vier

    A festa é sua
    Hoje a festa é nossa
    É de quem quiser
    Quem vier

    De quem quiser

    Hoje é um novo dia
    De um novo tempo
    Que começou

    Nesses novos dias
    As alegrias
    Serão de todos
    É só querer

    Todos os nossos sonhos
    Serão verdade
    O futuro já começou

    Hoje a festa é sua
    Hoje a festa é nossa
    É de quem quiser
    Quem vier

    Hoje a festa é sua
    Hoje a festa é nossa
    É de quem quiser
    Quem vier

    A festa é sua
    Hoje a festa é nossa
    É de quem quiser
    Quem vier

    ResponderExcluir