"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sábado, 17 de dezembro de 2016

Vargas Vila e os cachorros de Caracas...

Por problemas econômicos os venezuelanos estão abandonando seus cães na rua amarrados em postes ou em cercas. Já são milhares na mais estranha penúria. Duvido que Marx, Bakunin ou Bolivar admitissem tamanha cretinice. 
Vargas Vila, que nasceu no outro lado da fronteira aproveitaria para afirmar: "O sentido trágico da vida só nos é revelado ao final da tragédia. Se não fosse assim, como consentiríamos em atuar em um drama tão miserável, sob o despotismo de deuses tão miseráveis como nós e tão inconscientes como nós de seu trágico destino?"

















Nenhum comentário:

Postar um comentário