"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Le monde est tout oubliance (L. Cohen)

Para ouvir a música clicar no canto esquerdo da faixa




2 comentários:

  1. Amanhã, e amanhã, e ainda outro amanhã arrastam-se nessa passada trivial do dia para a noite, da noite para o dia, até a última sílaba do registro dos tempos. E todos os nossos ontens não fizeram mais que iluminar para os tolos o caminho que leva ao pó da morte. Apaga-te, apaga-te, chama breve! A vida é apenas uma sombra ambulante, um pobre palhaço que por uma hora se espavona e se agita no palco, sem que depois seja ouvido; é uma história contada por idiotas, cheia de fúria e muito barulho, que nada significa.
    Macbeth, Ato 5, Cena 5, linhas 22-31

    ResponderExcluir
  2. As cinzas de Fidel Castro repousam em Santiago de Cuba
    http://brasil.elpais.com/brasil/2016/12/04/album/1480872786_879977.html#1480872786_879977_1480872845
    "A condição dos homens é a mesma dos animais. O que sucede aos homens e aos animais é a mesma coisa. Tal é a morte para uns e para outros. Todos respiram igualmente; e o homem não tem vantagem sobre os animais, porque tudo é vaidade, tudo vai para o mesmo lugar, tudo foi feito do pó e ao pó retornará.'' (Eclesiastes, Cap. III, v 18, 19 e20).

    ResponderExcluir