"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Em memória do Dr. Alzheimer... Ou, como diria Novalis: "Mentre stavo contemplando l'aurora, si è fatta sera..."

Num desses mercados que normalmente existem próximos aos terminais de ônibus ou das estações de trens, havia nesta tarde quase chuvosa de Padova um cartaz com uma fita lilás em alto relevo e um pequeno texto que fazia referência ao mal de Alzheimer. Prestei atenção, ao que uma moça dizia a respeito, mas não consegui entender a finalidade da tal fita, se era para os que sofrem da doença amarrarem em seus braços, no carrinho das compras, no pescoço do cachorro ou em outro lugar...
Uma boa parte do mundo, da medicina, dos negócios, das confrarias e até dos oportunistas está, neste momento, extremamente preocupada com o envelhecimento e com a demência que ameaça implodir não só o raciocinio mas inclusive a memória do mundo... Aqueles que já estão na ante-sala desse infortunio, estão além de apavorados, bastante curiosos para saber quê outras desgraças, além das já catalogadas, a velhice ainda lhes reserva...


Um comentário:

  1. Enquanto isso o Brasil sendo cada vez mais surreal ! Seria um ato falho ?!
    https://www.youtube.com/watch?v=9SuOMGswTpY

    ResponderExcluir