"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sábado, 27 de agosto de 2016

O senado: imoral ou hospício? Ou um hospício imoral?


Para ouvir a música clicar no canto esquerdo da faixa...



"Devorar ou ser devorado, eis aí a lei da selva. Diagnosticar ou ser diagnosticado, eis aí a lei dos homens..."
T. Szasz
(Le péché second)

Ontem, nos penúltimos atos da novela do impeachment uma senadora acusa o Senado de ser um lugar IMORAL. Mais tarde, o próprio presidente daquela casa se refere a ela (a casa) como sendo um HOSPÍCIO. Qual deles, afinal, estaria com a razão? Ou a impressão/intenção dos dois seria a exatamente a mesma: falar de um hospício imoral? Lembro que já passaram por lá outros homens ilustres e até mais libertinos que os atuais que a chamaram inclusive de lupanar. O que é um lupanar? Originalmente (do latim) um covil de lobas mas, com a evolução da linguagem, simplesmente puteiro. Pompéia, todos se lembram, estava muito bem servida desses antros. Curiosamente, tanto o senado como os lupanares tiveram suas origens e seus aposentos na velha Roma. Um bom pretexto para voltar a ler AS MISÉRIAS DO PROCESSO PENAL, também compiladas por um italiano com um sobrenome até inspirador: Carnelutti. (E por quê não, ouvindo La reginella campagnola?)

Nenhum comentário:

Postar um comentário