"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 15 de julho de 2016

os faróis e o admirável gado novo...


Para ouvir a música clicar no canto esquerdo da faixa...


A última novidade estatal e de seus lacáios diz respeito à obrigatoriedade de usar faróis acesos durante o dia. E o rebanho, ávido por cumprir ordens, passou a cumprir a lei imediatamente, como se fosse uma ordem divina ou como se essa  babaquice, além de ser um bom negócio para os fabricantes de baterias e de faroletes, viesse diminuir o genocídio anual nas estradas e até mesmo salvar a pátria do caos. Basta sair para as ruas para deparar-se com um bando de energúmenos felizes, orgulhosos, ruminando alguma coisa e agarrados ao volante... e todos, claro, com as luzes acesas ou até piscando... 
O argumento das "autoridades" é que com as luzes acesas a visão do OUTRO fica melhorada, diminuindo assim a carnificina e as tragédias diárias... Ah, bom! Mas que tal diminuir o roubo na venda de óculos ou melhorar a qualidade dos exames oftalmológicos antes de expedir as licenças para dirigir? - me lembrava o mendigo K. 
Enfim, sempre que saio dirigindo por aí admito a possibilidade de não voltar para casa respirando e, ao deparar-me com o rebanho com os faróis ligados penso naquele anônimo pensador que dizia: "Se um homem quer estar seguro de seu caminho, que feche os olhos e caminhe na escuridão..."



Nenhum comentário:

Postar um comentário