"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Uma exaltação à rabeca... O cego rabequista, de José Rodrigues e a rabequista árabe, de Pedro Américo.










Nenhum comentário:

Postar um comentário