"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 1 de junho de 2016

A resistência dos mendigos...



















Batalhões de todas as polícias do GDF tentaram em vão, de manhã à noite, desalojar uma comunidade de mendigos que já há alguns meses ocupou um hotel abandonado aqui no centro da cidade, um hotel de onze/doze andares que, no passado, já foi também um covil de burgueses. Muitos amantes iam passar o fim de ano ali com uma garrafa de Veuve clicquot em baixo do braço e, pela manhã, exaustos, quando o sol despontava lá por sobre o lago, devoravam um suculento breakfast ainda na cama enrolados nos lençóis de algodão egípcio... Depois faliu, entrou em decadência e foi aos poucos transformando-se num cortiço abandonado até que, algum mendigo iluminado deu de cara com aqueles destroços, espalhou a noticia entre seus companheiros de infortúnio e pronto...
Tiros gritos, maldições, ambulâncias, a polícia com seus cacetetes, helicópteros e cachorros e os mendigos com seus trapos, com seus pneus e com seus bujões de gás... Fico impressionado ao ouvir um deles resmungar para si mesmo uma frase de Borges: "Viver é uma perda de tempo!" Uma mulher aparece no alto do prédio, com um pano que lhe  esconde o rosto e com uma criança de uns seis meses no colo. A mídia se acotovela para enquadrá-la. Parece torcer para alguém se jogar lá de cima... Precisam mandar de qualquer jeito uma imagem transcendente para o editor-chefe que aguarda... Bombas, cantorias, gritos e a posição de sentido da tropa...O governador! Queremos o governador! Gritam em coro aqueles miseráveis. Uma policial até sensual, com uma trança que lhe chega até a cintura, descansa a mão direita sobre uma pistola importada.  Ambulâncias, tropa de choque, motocicletas, tambores, apitos, sirenes, tiros, e a mendigada lançando tijolos e entulho lá da cobertura... Foi um show! Quase como aqueles da Idade Média, quando se tentava empurrar os mendigos para fora dos muros das cidades... Alguém empunha uma espécie de lençol numa janela em ruínas do quinto andar com a seguinte inscrição: "Há um remordimento que o criminoso não conhece e que é, sem dúvida, o mais cruel de todos os remordimentos: o de haver feito o bem, quando este bem nos foi fatal..."

8 comentários:

  1. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/06/02/interna_cidadesdf,534539/criancas-que-ocupam-hotel-vivem-infancia-em-meio-ao-conflito.shtml

    ResponderExcluir
  2. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/06/02/interna_cidadesdf,534592/pelo-segundo-dia-consecutivo-pm-negocia-saida-de-sem-teto-do-torre-pa.shtml

    ResponderExcluir
  3. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/06/03/interna_cidadesdf,534721/operacao-no-torre-palace-entra-no-terceiro-dia-nesta-sexta-feira.shtml

    ResponderExcluir
  4. tudo com camiseta do MST, militantes de esquerda disfarçado de mendigos, celular na mão e filho pendurado no colo. Pra fuder esses "mendigos" sabem, trabalhar e pagar aluguel ou comprar casa, nada.
    O unico mendigo aqui sou eu, o Mendigo K, que não quero casa, o viaduto é minha mansão, o céu é meu teto , a lua meu abajur.
    MENDIGO K.

    ResponderExcluir
  5. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/06/03/interna_cidadesdf,534798/ex-deputado-tenta-levar-alimentos-para-invasores-do-torre-palace-e-e-d.shtml

    ResponderExcluir
  6. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/06/04/interna_cidadesdf,534951/negociacoes-para-desocupacao-do-torre-palace-hotel-continuam-neste-sab.shtml

    ResponderExcluir
  7. http://www.correiobraziliense.com.br

    ResponderExcluir
  8. http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/cidades/2016/06/06/interna_cidadesdf,535066/muro-comeca-a-ser-erguido-no-primeiro-andar-do-torre-palace-hotel.shtml

    ResponderExcluir