sábado, 30 de abril de 2016

Apesar do velho Niemayer, Brasília não é só concreto...

Para ouvir a música clicar na ponta esquerda da faixa























Psicoterapia do oprimido...

O sangue do mendigo K... e a psicoterapia do oprimido...


Para ouvir a música, de um click na ponta esquerda da faixa



Ontem, sexta-feira, ainda em jejum, encontrei o mendigo K., num dos três laboratórios que monopolizam os exames de sangue da cidade. Estava numa fileira de cadeiras ao lado de outros velhinhos, todos com gestos meio paranóides, uma senha preferencial na trêmula mão esquerda e na direita, ou as bengalas ou as requisições de seus respectivos médicos. Sentei-me na fileira de trás e o ouvi falando (com arrogância e revolta) para alguém, da mesma idade que ele. Deduzi que era seu conhecido de longa data, um velhinho feito quase só ossos e que parecia estar prestes a partir para outro mundo: No passado - dizia - nós nos encontrávamos na madrugada; no Casino Acarai; na porta dos puteiros de Phucket; nos desativados alambiques de cachaça em Pirapora; nos velhos barcos às margens do Rio São Francisco; em tiroteios da periferia; no vale do rio Urubanda, subindo para o topo de Machu Picchu; tomando sopa de batatas ao lado do Lago de Titicaca; num teco-teco aos pedaços sobrevoando o Himalaia e o pântano tibetano; entre os sherpas, nas escadarias para o templo de swayambhunath, em Katmandu; na Livraria Ghandi, na Ciudad de Mejico; nas cachoeiras de Pirinópolis; nos porões da casa de Cora Coralina; nas cavernas de Bom Jesus da Lapa; nas universidades; nos congressos internacionais; nas greves; nas manifestações; nos corredores dos ministérios e nos salões da república... e, de vez em quando, aqui entre nós, até nos pátios improvisados da ditadura militar argentina... Mas hoje, veja que desgraça, só nos encontramos em lugares ccomo este, nas filas de hospitais, na jogatina de dominó com os taxistas
em baixo das árvores, no balcão de farmácias, nas quermesses paroquiais e, com uma certa frequência, até na porta dos cemitérios... Que babaquice, que decadência e que fracasso!
Curiosamente, levava sob o braço um dos mais fascinantes livros que já li: Psicoterapia do oprimido.

sexta-feira, 29 de abril de 2016

Cuidado: resmungar o tempo todo faz mal para a saúde...

ATENÇÃO: queixar-se o tempo todo (como é o viés ou a tendência deste Murro das lamentações) pode causar problemas cardíacos, diabetes, obesidade e outros efeitos nefastos sobre nossa saúde física e mental, afirmam os psiquiatras norte-americanos. De acordo, é evidente que "bem" não nos deve fazer e disso até nossas bisavós e as feiticeiras do século XIV já nos preveniam. Agora, a questão fundamental é: como (não sendo um embusteiro e nem um idiota otimista), conviver com um manicômio desses sem estar permanentemente reclamando? E depois, não se pode esquecer que Schopenhauer, aquele que dizia: "Se você acordar no inferno, vai pensar que simplesmente está levando a vida de sempre", viveu 72 anos; Cioran 84; Max Nordau 74; Unamuno 72; Freud 83 etc, etc., todos eles (que também tinham sinapses) nos intervalos de suas genialidades passaram a vida inteira resmungando e atirando pedras contra o sol... 




A história da riqueza humana...

- "Por dinheiro tudo se compra. As bênçãos das santas e o crânio dos heróis, a camisa de dormir da tua noiva e o rosário do teu confessor. Ciganas e écuyères, saltimbancos e mendigos, fidalgos e aguardente, trapeiros e sacerdotes, coveiros e apóstolos, santos e famintos, sultanas e cadelas, bobos e cortesãs, escravos e libertos, tudo isto é da sua corte. O próprio Deus, o próprio céu rende-se, quando se lhe mostra um punhado de ouro". (Albino Forjaz de Sampaio)




http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2016/04/13/internas_polbraeco,527055/padre-citado-na-lava-jato-constroi-maior-complexo-religioso-do-centro.shtml

quinta-feira, 28 de abril de 2016

O que o mendigo K. espera do "novo" governo...


"Não me venham gritar, fazer teatro 
e pantomima de liberdade 
arrastando exaustos vossas correntes... "Vargas Villa




Hoje encontrei o mendigo K em frente a uma igrejinha grega que existe ali na Asa Norte. Confessou-me estar buscando uma seita para filiar-se. Falou alguma coisa rápida sobre o impeachment da presidente, sobre o caos da política nacional e me confidenciou: a única coisa que espero do "novo"governo (novo entre aspas) é que construa uma ferrovia em zigue-zague que vá do Rio Grande do Sul até Roraima. Uma ferrovia mais ou menos nos moldes daquela chinesa que vai de Pequim a Xangai, ou mesmo da Transiberiana, cruzando pelas montanhas catarinenses, pelos antigos cafezais de SP, pelos pântanos de Mato Grosso, que margeie o Rio São Francisco de Minas Gerais até Alagoas, que faça uma parada em Goiás Velho, que cruze pelas ruínas dos antigos garimpos no Pará, que diminua a velocidade no litoral baiano e que faça um stop de quatro horas em Bom Jesus da Lapa. Um trem que disponibilize um vagão especial no trecho João Pessoa/Roraima, que faça uma parada estratégica quando cruzar a linha do Equador, etc, etc. E que a volta possa ser feita pelo interior da selva Amazônica, no meio de tigres, serpentes, jacarés, setas envenenadas, morcegos, mosquitos, nativos enfurecidos e por sobre as águas do Rio Solimões...
Só isso já seria uma maravilha, uma fonte inesgotável de alegrias e até de felicidade. Que o euro continue nas nuvens, que o preço dos remédios tenha mais um aumento de 60%, que os assaltos e os homicídios tripliquem, que as escolinhas continuem aos pedaços e como pequenas penitenciárias, que as macas nos corredores dos hospitais lembrem a Idade Média, que os pimentões e as  batatas continuem envenenados, que o desemprego atinja níveis nunca vistos (ver O direito à preguiça, de Paul Lafargue; A arte dos ociosos, de Hermann Hesse ou o Elogio ao ócio, de B. Russel)... tudo isso será secundário...
Enquanto falava, com a ponta do sapato ia traçando o mapa do Brasil na poeira da rua e marcando cada uma das paradas principais dessa ferrovia imaginária. E concluiu: um povo que não tem ferrovias é um povo condenado à tristeza e à miséria...



terça-feira, 26 de abril de 2016

A esposa do ministro - Viva a república!!!


[... Se as mulheres são a classe parasita e estão à margem da economia, também é verdade que a cultura (masculina) foi (e é) parasita; se alimenta da força emocional da mulher e não há reciprocidade...]
Shulamith Firestone (Ni diosa ni mártir... Colección: los muros tienen la palabra, extemporáneos, p. 82, México 1971)




sábado, 23 de abril de 2016

A queda da ciclovia do Rio, Poincaré e a matemática...

Uma acumulação de fatos não faz uma ciência, tal como um conjunto de pedras não faz uma casa. (Henri Poincaré)

A queda frequente de prédios, de barreiras, de estádios, de telhados e, a mais recente, a Ciclovia do Rio de Janeiro sugerem algo evidente: 98% dos brasileiros, inclusive os engenheiros, não sabem quanto é 2 + 2 e confundem Poincaré com pangaré. 
A matemática - todos sabemos - com a cumplicidade dos professores, das escolas e das universidades foi demonizada há mais de um século no Brasil... e sem matemática (quem é que não sabe?), um país está literalmente condenado à ruína. Não é difícil compreender porquê em cada esquina nos espia uma esfinge e uma tragédia... E mais, porquê atravessar uma ponte ou um viaduto por aí, nessas circunstâncias, é quase uma tentativa de suicídio...

A era do cuspe - Ou o que diria Platão de nossos "revolucionários", de nossos cuspidores e de nossa república?






Vejam como somos pacíficos & cordiais até com os mortos...




_____________________________________________________Ou, como escreveu Eça de Queiroz sobre Portugal, há uns cem anos atrás:  
"O país perdeu a inteligência e a consciência moral. A classe média abate-se progressivamente na imbecilidade e na inércia. O povo está na miséria. Os serviços públicos estão abandonados a uma rotina dormente. O desprezo pelas idéias aumenta a cada dia e vivemos todos ao acaso. O tédio invadiu as almas e há uma perfeita e absoluta indiferença de cima a baixo..."

sexta-feira, 22 de abril de 2016

A vergonha e o terror... (Um artigo de Callegari). Vale pelo poema de Piero Calamandrei)

A vergonha e o terror
21/04/2016 02h01   Folha de sao paulo

Contardo Callegari
Italiano, é psicanalista, doutor em psicologia clínica e escritor.
________________________________________________________________________
Em 1992, na votação do impeachment de Collor, suspendi o consultório e me instalei na frente da televisão. Na minha lembrança, os pronunciamentos dos deputados de 1992 não foram muito melhores dos de domingo passado, mas dava para tolerar tudo porque o espírito era diferente: havia no ar um gosto de liberdade conquistada.
Hoje, penso assim: caso uma votação desse tipo volte a acontecer, peço encarecidamente que o regulamento da Câmera exija o voto sem pronunciamento: o deputado leu o relatório da Comissão Especial de impeachment, formou sua opinião e anuncia: "voto sim" ou "voto não". Pronto.
Desta vez, só se salvou da depressão quem passou a tarde nas concentrações: exultaram ou choraram, mas pela boa razão que ganharam ou perderam. Para os que encararam o espetáculo da votação na televisão, sobrou uma depressão que ainda dura, tanto nos que perderam quanto nos que eram a favor do sim. É uma sensação de desamparo absoluto: duvidando de quem nos governa, recorremos a quem nos representa. E, diante da tela de TV, surgiu a pergunta: são estes, então, que nos representam?
O UOL fez a conta: dos 367 sim, apenas 16 falaram dos crimes que o voto deles queria castigar. O resto invocou sua família, seu quintal eleitoral, a netinha que fazia aniversário, os filhos dormindo, o velho pai, deus, deus de novo (outro ou o mesmo, tanto faz), posicionou-se contra a proposta de que crianças troquem de sexo, pelos moradores de rua ou por você mamãe.
Em sua grandíssima maioria, os representantes invocavam seus afetos familiares e sua escolha religiosa na hora de cumprir seu dever republicano. Essa confusão do privado com o público é a própria praga que alimenta a corrupção: a vida pública é parasitada por afetos privados que nem precisam ser escusos porque, "afinal", a família é o que mais importa aos "homens de bem". Não é?
Tudo isso era triste. E chegou a vez do deputado Jair Bolsonaro, que disse: "Pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff''.
Ustra foi chefe do DOI-CODI de 1970 a 1974. Agitando o espantalho de um sociopata torturador, Bolsonaro quis apavorar Dilma Rousseff, a torturada que resistiu à tortura.
Bolsonaro se confundiu. O grito do torturado já vale mais do que a palavra e o ato de qualquer torturador. E o silêncio do torturado é a vitória final sobre o torturador. Ustra não ó o pavor de Dilma. Dilma é o pavor de Ustra.
Bolsonaro deve ter pensado que um bom número de deputados achariam graça. A única reação será a de Jean Wyllys? Noemi Jaffe tuitou: Bolsonaro homenagear Ustra é como um neonazista homenagear Mengele, que torturou minha mãe.
No domingo, consternado pela explosão de afetos privados dos deputados, eu era indeciso entre a decepção com os anos de PT e a perplexidade diante do que seria, como disse o ministro Barroso, a "alternativa".
Não mudou nada. Mas sei reconhecer o fascismo quando ele tenta falar alto. E essa é uma feiura contra a qual, desde pequeno, aprendi que é preciso resistir.
Em 1947, Albert Kesselring, comandante das forças nazistas de ocupação na Itália, foi condenado à morte por crimes de guerra. A sentença foi transformada em prisão perpétua. Em 1952, Kesselring, doente, saiu da prisão. Foi celebrado como herói pelos neonazistas e declarou que ele tinha sido tão bom com os italianos que eles deveriam lhe erigir um monumento.

Piero Calamandrei, resistente, jurista, escritor, um dos fundadores do Partido de Ação (não comunista), escreveu um poema, que dedico agora a Bolsonaro:

"Você o terá, camarada Kesselring, / o monumento que você pede de nós, italianos. / Mas com qual material será construído, / isso a gente decidirá. / Não será com as pedras chamuscadas / das aldeias que foram supliciadas por teus exterminadores. / Não será com a terra dos cemitérios / onde nossos jovens companheiros / descansam serenos. / Não será com a neve inviolada das montanhas / que durante dois invernos te desafiaram. / Não será com a primavera destes vales / que te viram fugir. / Mas será com o silêncio dos torturados, / mais duro que qualquer pedregulho; / será com a rocha deste pacto / jurado entre homens livres / que voluntários se reuniram, / por dignidade e não por ódio, / decididos a redimir a vergonha e o terror do mundo."

quinta-feira, 21 de abril de 2016

As novelas turcas, o estupro e o silêncio das moralistas...

Sempre que passeio com meu Lhasa aproveito para, indiscretamente, ouvir os papos dos outros "passeadores" de cachorros que, na atualidade, não são poucos. Hoje, dia do aniversário de Brasília, tive a oportunidade de ouvir duas verdadeiras matronas, excessivamente perfumadas, que comentavam com entusiasmo trechos das duas últimas novelas turcas que uma TV brasileira vem exibindo. Pelo que ouvi, o eixo central das duas narrativas é o estupro, isto é, quase uma apologia ou um elogio ao estupro. Meninas que foram estupradas e que se apaixonaram por seus estupradores, outras que casaram e que foram estupradas por seus maridos após o casamento, mas que, assim mesmo, "foram felizes para sempre" etc, etc... Claro que tem o víes da cultura, da religião e etc, mas o que é curioso é! E curioso também que essas novelas estejam sendo exibidas aqui no Brasil, pelo visto, com um sucesso estrondoso. E mais: com o silêncio absoluto das ditas feministas, das ditas senhoras decentes e da turba moralista que está sempre de plantão... 
Enfim, não adianta escamotear, espernear e nem simular uma crise de histeria: a pergunta de Freud, feita lá no século XIX, pelo menos para os homens, ainda não foi respondida: (Afinal, o que querem as mulheres?) Ou, será que para Nelson Rodrigues, muito mais  antenado que Freud, realmente não havia dúvida alguma?

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Voltando a mencionar Claude Lévi Strauss...



A repercussão daquela noite de domingo parece não ter fim. Todo mundo ficou abismado, enojado, envergonhado e paralisado diante das imagens que emergiram daquele imenso espelho, porque, por mais ignorante que o sujeito seja, ele intui que, como dizia Borges "Las mínimas cosas del universo pueden ser espejos secretos de las mayores... 
Entretanto, algo parece ter passado desapercebido pela grande maioria: A cretina e incestuosa sucessão hereditária que acontece na política do Brasil. 
Sem grandes escândalos, como nas monarquias mais abjetas, aqui também o poder permanece durante décadas no interior das mesmas castas e das mesmas famílias e vai passando de pai para filho, de avô para neto, de neto para primo etc, etc. 
Quem prestou atenção na cara e na fala  de vários daqueles senhores identificou não só os traços físicos, mas  o antigo fio-da-meada das velhas e abomináveis hienas que sempre mandaram na  política nacional. O pai foi senador, o filho é prefeito; o pai é ministro o filho é deputado; o pai é deputado federal, o filho é deputado estadual; o tio é senador o sobrinho é governador, secretário de Estado, juiz, promotor, diretor de uma estatal, chefe de uma gang, etc. Daí o ceticismo e até o niilismo dos mais lúcidos quanto ao porvir tipicamente mafioso do Estado e dos eleitores.  Semelhante àquelas monarquias tradicionais onde um monarca (quando está cansado ou prestes a morrer) passa a coroa para um membro da família, aqui o parlamentar, descaradamente, passa a um de seus descendentes o "caminho das pedras" e, claro,  os números das contas e suas correspondentes senhas...
Lembrando a Lévi Strauss: 
Apesar dos ingênuos e tolos chauvinistas é evidente que não há outro caminho: saltaremos da barbárie para a decadência (e vice-versa), sem conhecer a civilização!

Darwin e o terremoto no Equador: e se as Ilhas Galápagos desaparecerem?


"Considero que tudo que aprendi, de qualquer valor, foi de uma forma autodidata..."
Charles Darwin


segunda-feira, 18 de abril de 2016

Do Circo de Soleil ao Congresso Nacional...


Clicar no canto esquerdo da faixa para ouvir a música




Depois do Circo de Soleil instalado ali na entrada da cidade, há uns cinco anos atrás, o espetáculo de ontem à noite no Congresso Nacional foi o mais emocionante, divertido e surpreendente que já se viu. Mesmo sem a pipoca e sem os corajosos  trapezistas, palhaços e os costumazes motoqueiros do Globo da Morte havia de tudo lá. As fantasias eram as mais improvisadas e bizarras. Entre os quinhentos e tantos votantes havia gente de todo tipo, uns que haviam tomado uns tragos e que não conseguiam sequer completar uma frase, outros que gritavam, resmungavam, amaldiçoavam, faziam juras de amor... havia quem lembrava a Mussolini, a Lênin, a trotski, a caserna, a igreja, ao papa, a Madame Satã, a Churchil, ao Mazaropi, a Bakunin, a xangô... e quase todos mencionavam de forma quase patológica tanto à família como a Deus, todos viciados e psiquicamente dependentes do poder mas, misteriosamente, ninguém se atreveu a fazer apologia da profissão mais antiga do mundo... Quem assistia atentamente àquele espetáculo de vez em quando ficava em dúvida se estava no Congresso Nacional, no programa do Gugu ou na Casa D'Irene. Se alguém resolvesse jogar dinheiro para o alto derrubaria imediatamente a audiência do Silvio Santos... Era o Estado dando seu espetáculo, era a mídia improvisando mais um capítulo das novelas burlescas de todos os dias... com uns travestidos de heróis e outros de miseráveis...  Prestem atenção como daqui a alguns meses estes episódios surrealistas aparecerão disfarçados de cinema nos documentários de algum revolucionário cineasta ou de algum padre dissidente...
Houve quem, com dedo em riste, acusasse o presidente da mesa de ser um gangster e de sua cadeira levitar cheiro de enxofre. E ele, como se estivesse representando o papel de algum psicopata, não movia nem sequer uma pálpebra. Um outro, meio histérico, profetizou com sonoridade mística que, pelo poder de deus, uma determinada rede de televisão haveria de ser fulminada. Houve quem chorou, quem gargalhou, quem descreveu o país como um paraíso e quem o retratou como um verdadeiro inferno. Não tenho dúvidas de que havia meia dúzia de bruxas por lá, um homem de chapéu preto lembrava a Adoniran Barboza e, segundo a verve inflamada e os discursos desvairados podia-se facilmente deduzir que no meio daquela legião havia tanto torturadores como torturados. Muita gente de uma seita quadrangular, muitos evangélicos, católicos, muitos ateus, muitos oportunistas e agnósticos... Houve até quem citasse a Xico Xavier. Um homem bradava coisas do além exibindo sua bíblia novinha em folha e  todo mundo, sempre que se lhe truncava a linguagem incluía imediatamente deus, a mãe e os netos em sua falação. Deus isso e deus aquilo. Muitos tiveram até o descaro e o cinismo de pedir a deus que tivesse misericórdia de nosso país e de nossa gente... E deus? Ora, não foi tolo em manifestar-se. Assistiu a todo aquele funambulesco espetáculo e a toda aquela baboseira no mais absoluto silêncio. Em outras palavras: deu uma banana para seus exaustos, engravatados e patriotas servos... O jornal de hoje diz até que nos bastidores, fora do picadeiro, dois deputados que votaram de maneiras opostas chegaram a agredir-se: que um acusou o outro de ser boióla (sic) e de queimar rosca (sic) e este, como resposta, lhe teria lançado uma certeira cusparada. 
Em síntese: quem sobreviveu até aqui e tem alguma sobra de amor próprio e bons níveis de testosterona é bom ir vendo o preço da passagem para Pasargada...

domingo, 17 de abril de 2016

Me llaman calle...

Um povo de frases estéreis...

"Nada é mais funesto a um país que o império das frases; por isso, os governos dos grandes oradores têm sido sempre tão fatalmente estéreis. Não existe piores homens de governo que os homens de frases... As grandes frases têm sido tão fatais aos povos como os grandes crimes..." Vargas Villa

sábado, 16 de abril de 2016

política: Sem tesão não há solução!

Hoje encontrei o Mendigo K. em frente ao Congresso Nacional onde centenas de políticos (velhos caquéticos e jovens delirantes) passaram a noite (e ainda estão lá) cacarejando sobre ética, moral, ladroagem, contabilidade, Carta Magna, muito dinheiro, impeachment, lei disso e lei daquilo... um tal de novo governo & de um novo pacto, redenção da pátria!, novos programas sociais (programas sociais?! para mim, ironizou, são só aqueles que as meninas e os travestis fazem ali ao redor do Hotel Nacional lá pelas duas da madrugada)... 
Estava no meio de fanáticos de todos os naipes, de uma esquerda (que não era esquerda, de uma direita que não era direita, de revolucionários que não eram revolucionários, de fascistas que não eram fascistas e etc., e levava um cartaz que dizia: Abaixo esse sistema de merda! 
- "Passei a noite inteira ouvindo os discursos desses  lunáticos e já tenho um diagnóstico pronto: "sem tesão não há solução!" Me disse. Sem tesão não adianta ficar falando em Constituição, em Democracia, em liberdade de expressão, em distribuição de rendas, em acabar com a fome, com a miséria, com o capitalismo...  em um porvir próspero, em fazer estradas, em construir hospitais, retomar os valores da família e de cristo, (e, se for o caso, até de Confúcio!). Manter os alunos dez horas por dia enjaulados em escolinhas de merda, queimar a obra de Bakunin e rever as teses de Platão. Sem tesão é ridículo fazer todo esse espetáculo estatal, essa demagogia partidária, esse burburinho de cinismo maníaco... Ah, agora reequilibraremos as contas! Amanhã tudo voltará ao normal e seremos felizes outra vez! Balelas! Pura e conhecida demagogia! Sem tesão é inútil exigir o impossível dessa turma! Inútil sacralizar os votos, os eleitores, as urnas, o discurso político/religioso! Sem tesão o cara irremediavelmente vira fanático, ingressa numa seita, engorda, lhe cresce a barriga, cai em depressão, se candidata a vereador, depois a senador, reproduz a putaria monárquica em todos os seus atos, passa a vida a mexericar, fica diabético, neurótico, invejoso, surdo, cego, com colesterol alto, com dores nas juntas, com os genitais congelados, com delírios de santidade, começa a emprestar dinheiro à juros, e a propagar que, assim mesmo, a vida é um dom de deus...
Em outras palavras: a fazer parte do rebanho que passa a vida inteira fazendo apologia da servidão voluntária...

Argentina - outra república de mierda! - Corrupção envolve túmulo de Néstor Kirchner no cemitério Río Gallegos... (Clarin de hoje)



Clicar na ponta esquerda da faixa para ouvir a música...



[A morte tem isso de enigmático e de pavoroso: conserva as máscaras sobre os rostos dos mortos. Respeito essas máscaras, pois são as únicas que não me atrevo a chutar para longe, as deixo inanimadas sobre os rostos que já não podem ruborizar-se de sua ficção...] (Vargas Vila)




Allanan la gobernación de Santa Cruz por el mausoleo de Néstor Kirchner

Allanamiento en la gobernación de Santa Cruz. (Karina Taberne/Twitter)
La Justicia ordenó este viernes el allanamiento de la gobernación de la provincia de Santa Cruz por orden del juez federal Sergio Torres.
Es por la causa que instruye para concocer si en la construcción del mausoleo de Néstor Kirchner, en la ciudad de Rio Gallegos, se usaron fondos públicos.
La semana pasada 24 horas después que Lázaro Báez fue detenido, la Policía Federal entregó un oficio del Juez Sergio Torres a la gobernación de Santa Cruz para conocer si la Provincia colaboró con fondos en la construcción del Mausoleo donde descansan los restos de Néstor Kirchner.
El imponente edificio fue construido por Austral Construcciones y el empresario K en su momento, informó que era un regalo para el ex familia presidencial. Según señalaron fuentes oficiales, el gobierno de Santa Cruz no había respondido el oficio del Magistrado y se procedió al allanamiento en busca de información. 
Este mediodía, los efectivos de la Policia de Seguridad Aeroportuaria se presentaron en la casa de Gobierno de Santa Cruz, ubicada en Río Gallegos para comenzar un allanamiento que se está realizando en este momento a través del juzgado de Marta Yañez. Es el segundo allanamiento en la provincia en menos de una semana.
Allanamiento en la gobernación de Santa Cruz. (Karina Taberne/Twitter)
En medio de la tensión política que vive la provincia gobernadora por Alicia Kirchner, diez efectivos de las fuerzas federales ingresaron con una orden de allanamiento a la casa de Gobierno ubicada sobre la calle Alcorta, a metros del centro de la capital santacruceña.  
El personal de la PSA ingresó con cajas a la sede gubernamental y se dirigieron en primer lugar a las oficinas de la secretaría Legal y Técnica, y después siguieron por el área que dependen del ministerio de la secretaría general de Gobierno.

Parte de los efectivos federales se trasladaron a las oficinas de la Administración de la casa de Gobierno, ubicada en frente a la sede gubernamental. La gobernadora y cuñada de Cristina Kirchner, se encuentra en la Provincia en medio de un paro de trabajadores estatales y un fuerte reclamo salarial.

quinta-feira, 14 de abril de 2016

"PODEMOS ATACAR ESSE PAÍS DE MERDA!" (Ameaçam os militantes do Estado Islâmico)...

 Enquanto os Ministros do STF perdem 5 ou 6 horas entre blá blá blás e lero-leros discutindo se a votação do impeachment de amanhã começará pelos estados do norte ou do sul, se será ascendente ou descendente, se começará pelos estados mais próximos da linha do Equador ou pelos que ficam na direção da patagônia, se é bom consultar os astros ou algum pai de santo etc, etc...  enquanto isso (digo), a ABIN libera uma informação meia humilhante e meia cômica: "Podemos atacar esse país de merda!" Ameaçam os militantes do Estado Islâmico...  referindo-se ao Brasil... Era só o que faltava!... Mas a frase é perfeita...


 postado em 14/04/2016 19:58 / atualizado em 14/04/2016 20:03
 Estado de Minas


A Agência Brasileira de Inteligência (Abin) confirmou nesta quinta-feira (14/04) a existência de uma ameaça de terrorismo ao país. “Brasil, vocês são nosso próximo alvo. Podemos atacar esse país de merda” – foi a mensagem postada, em novembro do ano passado, em um perfil do Twitter, que tinha como dono Maxime Hauchard, de 22 anos. A Abin informou que o perfil pertence ao terrorista francês, integrante do Estado Islâmico (EI).

Segundo a agência, o diretor do Departamento de Contraterrorismo (DCT), Luiz Alberto Sallaberry, participou na quarta-feira (13/04) da Feira Internacional de Segurança Pública e Corporativa (LAAD Security, no Rio de Janeiro (RJ). Em sua apresentação sobre ameaças terroristas aos Jogos Olímpicos Rio 2016, ele contou que a Abin já havia confirmado, em novembro de 2015, a autenticidade do perfil do Twitter em que Maxime Hauchard, afirmava que o Brasil seria o próximo alvo.

Leia mais notícias em Brasil

O diretor também informou que a probabilidade de o país ser alvo de ataques terroristas foi elevada nos últimos meses, devido aos recentes eventos ocorridos em outros países e ao aumento do número de adesões de brasileiros à ideologia do Estado Islâmico.

Sallaberry ainda listou ações executadas pela Abin para evitar possíveis ataques, como intercâmbio de informações com serviços estrangeiros, capacitação de profissionais de setores estratégicos e trabalhos com órgãos integrantes do Sistema Brasileiro de Inteligência (Sisbin), em especial com os eixos de Segurança Pública e Defesa. 

Feira do livro...


Clicar no canto esquerdo da faixa para ouvir a música





SANTIAGO DE CUBA.—Des­pués de un largo periplo a lo largo del país, iniciado el pasado 11 de febrero en la Fortaleza de San Carlos de La Ca­ba­ña (La Habana), la 25 Feria del Libro 2016 cerrará sus páginas con la escala santiaguera, prevista del 20 al 24 del presente abril, en el Com­plejo Cul­tural Heredia, de esta ciudad.
Yannielis Montero Sánchez, di­rec­tora del Centro Provincial del Li­bro, señaló que para satisfacción de los santiagueros todos estos días contarán con la presencia de Lina de Feria y Rogelio Martínez Furé, escritores a quienes ha estado dedicada la edición, junto a la República Oriental del Uruguay, como país invitado de honor.
Además, debido a que para cumplir los compromisos editoriales han continuado imprimiéndose libros, significó que a diferencia de aquellos territorios que ya celebraron su feria, el público dispondrá de un mayor número de títulos (podrían ascender a 600), así como de ejemplares en el tradicional recinto ferial Heredia.
Según fue adelantado, ya se cuenta con alrededor de 80 títulos de li­teratura infantil, 25 dedicados a la co­­cina, y otros textos de autoayuda y li­teratura universal de diversos géneros, los libros más pequeños del m­un­do, revistas especializadas, y un nú­me­­­ro importante de tomos en forma­to digital, que continuará elevándose.
Por su parte la directora del Cen­tro de Promoción Literaria, Reina Gret­chen Menéndez, explicó que el am­plio programa concebido prevé un homenaje al escritor santiague­ro Jo­sé Soler Puig por los 100 años de su nacimiento, y el reconocimiento a la Editorial Oriente, que celebra el aniversario 45 de su fundación con más de 50 libros en la Feria.
De igual forma habrá sesiones de­dicadas a revistas literarias cubanas, las nuevas reflexiones sobre li­ teratura infantil, y la poesía cubana contemporánea. Se sostendrán en­cuen­tros con historiadores, niños y jóvenes escritores, e integrantes de la Asocia­ción Hermanos Saíz, festejarán el aniversario 30 de la organización.
Mediante el programa los Libros Andan, la fiesta de la lectura se ex­tenderá a poblados santiagueros, la Universidad de Oriente, la Facultad de Ciencias Médicas No.1, la escuela para niños ciegos y débiles visuales, y en el Minint al Instituto de En­se­ñanza Superior Hermanos Marañón y el centro educativo para jóvenes, en­tre otros.
Como evento cultural integral, co­lateralmente podrán apreciarse presentaciones artísticas de la música, la danza, el teatro, las artes plásticas y el cine, para niños y adultos, mientras que en la culminación del do­min­go 24 tendrá lugar el encuentro con Lina de Feria y Martínez Furé, así como la valoración final de esta edición.





Psicóloga americana fala do Templo Satânico dos EEUU... (Enquanto na Bíblia há 2,5 milhões de assassinatos em nome de Deus, Satã seria responsável apenas pela morte de 9 ou 10 pessoas...)

Princípios satânicos têm moral superior a dos 10 Mandamentos

A americana Valerie Tarico, psicóloga e autora de livros sobre religião, concluiu que os 7 Princípios Fundamentais do Templo Satânico, com sede em Massachusetts (EUA), são moralmente superiores aos Dez Mandamentos.

Templo de Satanás tem
mais compaixão do que
igreja do deus abraâmico
Os princípios satânicos são os seguintes:

1 – Esforce-se para agir com compaixão e empatia para com todas as criaturas, em conformidade com a razão.

2 – A luta pela justiça é uma busca constante e necessária que deve prevalecer sobre as leis e instituições.

3 – O corpo é inviolável, sujeito somente à vontade de sua pessoa.

4 – As liberdades de outros devem ser respeitadas, incluindo a liberdade de ofender. Quem usurpar as liberdades de outra pessoa estará renunciando a sua própria liberdade.

5 – As crenças devem estar de acordo com o melhor conhecimento científico do mundo. Deve-se tomar cuidado para nunca distorcer fatos científicos para não adequá-los às nossas crenças.

6 – As pessoas são falíveis. Se cometerem erro, devemos fazer o nosso melhor para corrigi-las e resolver qualquer mal que elas podem ter causado.

7 – Cada princípio é um princípio orientador criado para inspirar nobreza na ação e pensamento. O espírito de compaixão, sabedoria e justiça devem sempre prevalecer sobre a palavra escrita ou falada.

Tarico escreveu que quem for intelectualmente honesto perceberá de imediato que os princípios da Igreja Satânica são mais equânimes e justos do que os Dez Mandamentos.

São princípios que seguidores da seita têm procurado colocar em prática. Tanto que, diferentemente de cristãos, os satanistas dos Estados Unidos estão na vanguarda da luta pelos direitos da mulher ao aborto e pela igualdade da aplicação de leis aos homossexuais.

Os satanistas são aliados dos ateus, agnósticos e livre pensadores na defesa da separação entre Estado e Igreja.

Percebe-se, nos princípios, que a Igreja Satânica não tem nada a ver com a figura de Satã construída por cristãos e muçulmanos.

Para uma comparação, seguem os Dez Mandamentos:

1 - Amar a Deus sobre todas as coisas.

2 - Não tomar seu santo nome em vão.

3 - Guardar domingos e festas de guarda

4 - Honrar Pai e Mãe

5 - Não matar

6 - Não pecar contra a castidade

7 - Não roubar

8 - Não levantar falso testemunho

9 - Não desejar a mulher do próximo

10 - Não cobiçar as coisas alheias

Tarico é
estudiosa das
religiões
Tarico (foto) observou que os três primeiros mandamentos não se referem à moralidade humana, mas sobre como adorar a Deus.

Além disso, os princípios satânicos são mais otimistas, expressando compaixão quando evitam as negativas dos mandamentos bíblicos, como “’não’ tomar seu santo nome em vão” e “’não’ pecar contra a castidade”.

Os princípios satânicos expressam valores igualitários que vão além de fronteiras tribais, diferentemente dos Dez Mandamentos, que endossam a visão de que mulheres, como os escravos, são propriedade dos homens.

Além disso, no contexto bíblico, os Mandamentos não têm nenhuma credibilidade.

O 5º Mandamento, por exemplo, diz “não matar”, mas há na Bíblia cerca de 2,5 milhões de assassinatos em nome de Deus.

Christopher Hitchens (1949-2011), em seu livro “Deus não é Grande, como a religião envenena tudo”, observou que os Dez Mandamentos mostram a índole do tempo em que foram escritos pelo que eles não dizem.

Não há nada, escreveu ele, sobre proteção das crianças, contra a crueldade, contra o estupro, nada sobre escravidão e nada sobre genocídio.

E por quê?

Porque tudo isso era permitido aos escolhidos por Deus. O próprio Moisés, que teria recebido os Mandamentos de Deus, foi um crápula, em assassino em massa.

A ironia é que, pelo relatos bíblicos, Satã é o responsável pela morte de apenas 9 ou 10 pessoas.

Com informação de Salon e de outras fontes e fotos de divulgação.




Trechos bíblicos cuja existência crentes fingem desconhecer



Leia mais em http://www.paulopes.com.br/2016/01/principios-satanicos-tem-moral-superior-a-dos-dez-mandamentos.html#ixzz45oNxHA00
Paulopes informa que reprodução deste texto só poderá ser feita com o CRÉDITO e LINK da origem.  

E o day after? - Decididamente, a crença no progresso é a mais ingênua e a mais estúpida de todas as crenças... (Cioran)




Deus & o dinheiro...



"Patíbulos, calabouços e masmorras prosperam sempre à sombra de uma fé
dessa necessidade de acreditar em algo que infestou o espírito para sempre..."
E.M.Cioran




http://oglobo.globo.com/brasil/paroquia-citada-na-lava-jato-recebeu-doacao-de-outras-empreiteiras-19074170

quarta-feira, 13 de abril de 2016

O porvir de uma ilusão...

Como diria Freud, citando a Heine: "O céu o abandonamos aos pardais e aos anjos"(p. 2988 - El porvenir de una ilusión).