"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Saneamento básico...

"A abnegação e o sacrifício são da mesma essência que a crueldade"
F. Nietzsche

"Já nos primeiros dias de vida - lembro-me bem - ouvia além dos padres, o Duce de plantão, Eurico Gaspar Dutra, falando na urgência e na importância do saneamento básico para as "famiglias" e para o país. Só que até agora, quase cem anos depois, NADA, e praticamente 90% da população ainda vive mais do que promiscua e intimamente com suas cloacas e com seus dejetos... 
Nas cidades e vilarejos do interior e das periferias, para não falar das grandes cidades, - façam uma experiência - se é obrigado a ir sempre em ziguezague se não se quer atolar os pés (as patas) nas águas que correm pelas ruas, águas provenientes das pias, dos tanques, dos banheiros e até das fossas, oferecendo ao caminhante a síntese daquele perfume familiar de sabonete gessy lever e de mierda... E todo mundo resignado. Tranquilo. Sereno, quase zen, meditando nas janelas e no meio daquela porcaria liquefeita, louco para ir votar novamente e, claro, nos mesmos crápulas (ou em seus descendentes). 
Não é apenas indecente, mas curiosa essa característica de nossa gente! Talvez até acredite que seu karma, seu destino, a forma de expiar seu pecado venial seja esta: esquiar sobre sua própria merda por toda a existência (e, quem sabe - para os espíritas - até por toda eternidade!)... Mas, não esqueçam e não desanimem, há um candelabro, aliás, uma vela, no fim do túnel: está novamente em pauta a Campanha da fraternidade! 
Enfim, plagiando novamente o escritor romeno: "Só se vive por falta de saber. Desde que se sabe, já não se compactua mais com nada..."

Um comentário: