"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Asi nooo!!!..., carajo!!! Na terra dos astecas e de Moctezuma, o argentino, representante de deus, se irrita com a plebe... E isto que ele ainda não sentiu os efeitos da pimenta...

2 comentários:

  1. que sarro ahahahaha ezio aqui é Mendigo K, estou REVOLTADO ! Não consigo achar editor pra minha AUTOPIROGRAFIA, mas ELA conseguiu e com VERBA PÚBLICA, dá uma olhadela no link, "brow" !

    http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2016/02/1740352-minc-autoriza-claudia-leitte-a-captar-r-356-mil-para-publicar-biografia.shtml

    ResponderExcluir
  2. Teve um padre aqui no Brasil que falou no ar e foi demitido, pesquisem "Padre Alessandro Campos fala palavrão ao vivo e é demitido "...não sei se estou errado no que penso, mas assistindo vários canais de tv da argentina, venezuela, colombia e mexico (pela internet), é bem comum se dizer ao vivo "carajo" como se fosse normal e realmente é, inclusive num telejornal argentino eu já vi, sem falar no finado Hugo Chaves e o famoso "Alca? Ao carajo!" parece que nesses outros países , diferente daqui, não soa como palavrão.Eu sou a favor do uso palavrão inclusive na escola. Merda e caralho eu até já vi num dicionário escolar...Aqui no Brasil não se tolera palavrões mas se tolera roubalheira e matança, somos um país hipócrita e nenhum gênio da sociologia ou filosofia vai entender esse país...
    ROGÉRIO.

    ResponderExcluir