"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Notícias para combater a letargia e o sono...

Ontem e hoje os noticiários políticos estão um luxo e uma maravilha, chamando atenção e sutilmente insinuando que não falta muito para a desintegração total do país. 
Dizem, por exemplo, que o ex-presidente da república (não o metalúrgico, mas o sociólogo) em sua época, também embolsou uns 100 milhões de dólares numa transação com a República Argentina. Dizem que outro ex-presidente da república (não o metalúrgico e nem o sociólogo, mas aquele da Capitania do Maranhão, passando uns dias numa ilha teria sofrido uma queda e fraturado um dos ombros. Dizem ainda que outro ex-presidente da república (nem o metalúrgico, nem o sociólogo, nem o da capitania do Maranhão, nem o Marechal Deodoro da Fonseca mas o caçador de marajas) teria lavado toneladas de dólares com obras de arte, inclusive com um Di Cavalcanti...  
Ora, mas aqui é necessário, pelo menos, reconhecer o bom gosto do ex-presidente já que só um demente não gostaria de ter um Di Cavalcanti 
de um milhão de reais pendurado ao lado de uma lareira numa noite de inverno, com umas lascas de roquefort e uma veuve clicquot estourando... 
E tem mais, o surrealismo não acabou: o atual ministro da saúde, no meio da inércia daquele ministério diante da epidemia de dengue que arruina e "devasta" o país, proferiu esta brilhante confissão: torceria para que mulheres se contaminem pelo zika vírus antes da idade fértil. 
Em síntese, é bom reconhecer: em lugar nenhum do planeta se conheceu um período tão pródigo em picaretas e em vivaldinos como aqui... E mais: que minha suposta e beata indignação vem se convertendo dia-a-dia na mais pura, descarada e legítima inveja desses honoráveis estadistas...

Clique no lado esquerdo da faixa para ouvir a música (Aliás, como se pode ver, o acesso a este vídeo foi bloqueado pela infantilidade, mesquinharia e idiotice dos direitos autorais)

Nenhum comentário:

Postar um comentário