"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sábado, 12 de dezembro de 2015

Brasília, sexta-feira, 11-12, 16:00 horas - A greve dos garis e os pernilongos...
























































"Sentia-me tão pouco atraído pela América Latina, que sempre dizia a meus amigos: 'Se algum dia desaparecer, procurem-me em qualquer parte do mundo, exceto lá...'" (L. Buñuel)

2 comentários:

  1. Plano de combate ao 'Aedes' será concluído nesta quinta-feira

    BRASÍLIA — O ministro da Saúde, Marcelo Castro, informou nesta quarta-feira que o governo deve concluir amanhã o plano nacional de combate ao mosquito Aedes aegypti e outras medidas relacionadas à epidemia de microcefalia que atinge estados do Nordeste. O mosquito transmite três doenças diferentes: dengue, chicungunha e zika. No sábado passado, o Ministério da Saúde confirmou que o vírus zika está ligado ao aumento do número de casos de microcefalia. O ministro informou ainda que, dos 646 casos suspeitos de microcefalia em Pernambuco, cerca de 150 estão confirmados.

    — Estamos dando os ajustes finais, combinando com a Casa Civil, com a comunicação do governo federal, para fazer tudo conjugado. Já discutimos com os secretários estaduais, os secretários municipais — disse Marcelo Castro.

    A microcefalia é uma malformação em que a criança nasce com a cabeça pequena, com um perímetro de até 33 cm. Em 90% dos casos, está associada ao retardo mental.Segundo o último boletim do Ministério da Saúde, divulgado na segunda-feira, foram registrados 1.248 casos suspeitos de microcefalia, distribuídos por 311 cidades de 13 estados mais o Distrito Federal. Em 2014, foram 147 em todo o país.

    — Esses 1.248 casos são casos notificados, suspeitos. Não são casos comprovados. Eles vão ter de passar por uma bateria de teste, vão fazer tomografia. Só depois o diagnóstico em definitivo será dado. Mas de uma forma ou de outra, são casos muito além do normal, do esperado epidemiologicamente — disse Castro.

    Segundo o último boletim, também foi confirmado que um recém-nascido com microcefalia morto no Ceará teve resultado positivo para zika vírus. Outras cinco mortes no Rio Grande do Norte e uma no Piauí estão sendo investigadas. O ministério também já confirmou as mortes de um adulto e de uma adolescente provocadas pelo vírus zika. A febre zika tem como sintomas manchas vermelhas na pele, febre intermitente, conjuntivite, dores nas articulações, nos músculos e de cabeça. Mas em alguns casos, ela é assintomática, ou seja, a pessoa infectada não apresenta sintomas.

    O ministro participou nesta quarta-feira de cerimônia na Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) em que recebeu da Organização Mundial da Saúde (OMS) o Certificado de Eliminação da Rubéola no Brasil. O último caso da doença no país ocorreu em 2008. Já o último registro da síndrome da rubéola congênita (SRC) — que atinge bebês de mães infectadas durante a gestação — foi em 2009. A América como um todo também não tem registrado casos. A rubéola é uma das doenças que podem levar à microcefalia, caso a grávida esteja infectada, mas não está ligada à epidemia do Nordeste.

    Segundo o Ministério da Saúde, o Brasil desenvolveu várias ações para eliminar a rubéola, como campanhas de prevenção e intensificação da vacinação. O ano de 2008 foi o último a registrar casos de transmissão interna. Foram 2.201. Em 2014, houve uma pessoa que contraiu a doença fora do país, mas foi diagnosticada no Brasil. Há três vacinas contra a rubéola no Sistema Único de Saúde (SUS): a dupla viral (sarampo e rubéola), tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba), e tetra viral (sarampo, rubéola, caxumba e catapora).

    Newsletter

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por que não deixar para o ano que vem? Ou para o século XXII?

      Excluir