"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

terça-feira, 10 de novembro de 2015

O silêncio feminino sobre a pesquisa inglesa que diz que todas as mulheres são lésbicas ou bissexuais...

Talvez seja meu "machismo" ou minha ignorância, mas confesso que depois da notícia de sábado de que uma pesquisa realizada na Universidade de Essex (na Inglaterra e não em Pirenópolis) havia comprovado que não existem mulheres heterossexuais e que todas são ou gays ou bissexuais (ver artigo neste blog, post de sábado), achei que haveria naturalmente nas ruas, na cobertura dos prédios e na porta dos jornais uma enxurrada de manifestações femininas a respeito (pelo menos das fiéis e sóbrias donas de casa). Umas, naturalmente felizes, outras mais ou menos, outras muito pelo contrário etc. Mas nada. Silêncio total. Os protocolos do tabu! Até a mídia ficou surpresa. Nos botecos e na portaria dos prédios apenas alguns homens, uns cretinos, outros nem tanto, de todas as idades estes sim boquiabertos e desesperados com a "novidade", mais ou menos como se de uma hora para outra alguém lhes dissesse que a terra é triangular... e nada mais. 
A partir dessa pesquisa, tanto a peça de Aristófanes: Lisístrata, a greve do sexo, como o livro de Gaby Hauptmann: Cherche homme impuissante pour relation longue durée (procura-se homem impotente para relação duradoura), podem ser agora melhor interpretados e compreendidos. Sem falar da clássica e polêmica pergunta de Freud:  "O que quer uma mulher?" 
  

    "A grande questão que resta sem resposta - escreve Freud a uma colega psicanalista - à qual eu mesmo jamais pude responder malgrado meus trinta anos de estudos da alma feminina: o que quer uma mulher?"  

Pergunta que agora, depois da pesquisa inglesa, quem sabe?, possa até ser facilmente respondida:

3 comentários:

  1. http://veja.abril.com.br/noticia/mundo/inglesa-que-fingiu-ser-homem-para-ter-relacoes-sexuais-com-outra-mulher-e-sentenciada-a-8-anos-de-prisao

    ResponderExcluir
  2. Nada que a Ana Carolina já não tenha romantizado... "Toda mulher gosta de rosas." Em breve ficará claro que tecnicamente todo homem é hibrido. Não romantizaram Gregor Mendel e no entanto não fosse pelo esforço civilizatório "todo homem gostaria de espada".

    ResponderExcluir
  3. Agora se pode entender a obsessão e a preferência das mulheres pelas tais PRELIMINARES.

    ResponderExcluir