"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

O pudor e a malicia dos verbos...

Até a semana passada, em qualquer mercado que se fosse, na hora de pagar sempre se ouvia as moças dos caixas ordenando, umas maliciosas outras com ar de verdadeiras santas: - Por favor, pode introduzir ou então por - favor, pode botar! E, uns instantes depois, num verdadeiro e malicioso murmúrio: pode tirar! - referindo-se ao cartão de crédito claro.
De uns dias para cá, não sei o que aconteceu, todas substituíram o verbo introduzir e o verbo botar pelo verbo inserir e retirar: - Por favor, pode inserir seu cartão! Por favor, pode retirar seu cartão!
Seriam os sinais de uma tola dessexualização? De uma revolução sexual às avessas? O eco do pudor e do moralismo que galopam nas curvas fervilhantes das esquinas?

Nenhum comentário:

Postar um comentário