"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Entre patos e aves de rapina...



Dizem os historiadores que a expressão PAGAR O PATO pode ter sua origem numa velha história do século XV que é mais ou menos assim: um vendedor de patos passou em frente à casa de uma mulher casada com vários patos numa pequena carroça. A mulher ficou interessada em comprar uma daquelas aves e propôs ao camponês pagá-la com favores sexuais. A proposta foi aceita, só que como o homem queria seguir bolinando mais do que o tempo que a mulher achava que o pato valia, entraram numa discussão interminável até que o marido chegou. Preocupado, quis saber o motivo daquela discussão. A desavença - explicou-lhe a mulher - era em função do preço do pato, já que ela não dispunha de dinheiro suficiente para pagá-lo. Querendo por um fim àquela discussão "insana", o marido abriu a pequena bolsa de couro que levava amarrada à cintura e pagou o camponês. Literalmente - dizem - pagou o pato!

Um comentário:

  1. No caso do Brasil, não adianta pagar uma só vez, é preciso pagar a vida inteira (rsrsrrs). Abçs

    ResponderExcluir