quinta-feira, 3 de setembro de 2015

"Por orientação de meus advogados, permanecerei em silêncio"... Ou: a cópia do lixo do Direito Romano...


Mesmo sendo radicalmente contra a cadeia, os presídios, as 
penitenciárias e outras sádicas anomalias sociais, estou convicto de que não existe nada mais cretino do que essa história de, num tribunal, por "orientação" de um bacharelzinho, o suspeito ficar em silêncio. Dá até para dizer que foram essas canalhas "orientações" que forjaram todos os tipos de tortura e até mesmo a inesquecível inquisição. Se tivéssemos um Ministério pensante de verdade e se fossemos realmente uma pátria educadora, hoje pela manhã essas escolinhas de Direito seriam todas lacradas e esse tipo de advogado banido do mapa. 
Mas não sou ingênuo e nem romântico a tal ponto. Já ouvi por aí  até o mendigo K. extremamente indignado, lembrando a máxima, segundo a qual, "pelas leis naturais, todo ser já nasce sob segredo de justiça e sentenciado à pena de morte"... 
Enfim: que cretinice abominável a do demiurgo! (as ilustrações são todas do genial Daumier)






Um comentário:

  1. MÔNICA PRADO TORRES8 de setembro de 2015 10:02

    Pois é, essas "articulações" são antigas na administração pública... Eu mesma presenciei várias delas quando estava na Presidência da República na década de 90, e acabei sendo perseguida e exilada por ter rejeitado participar dos esquemas... Na época eu registrei o caso em todos os órgãos jurídicos e foi tudo engavetado... Fico feliz de estar vendo pela primeira vez o desvendamento desses esquemas, e mais uma vez parabenizo o Juiz Sergio Moro pelo o seu trabalho... Só espero que as investigações cheguem nas empreiteiras contratadas pela Petrobras que financiaram todo o aparato do meu monitoramento/exílio em troca de favores políticos... Na época alguns diretores e gerentes executivos receberam imóveis, viagens, veículos..

    ResponderExcluir