"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sábado, 15 de agosto de 2015

As ilusões da senectude...

Sempre que estaciono ali no edifício das clinicas me deparo com um "cuidador de carros" que já "trabalha" lá há uns dez anos e que sempre se dirige a mim com esta frase: e aí garoto! Tudo bem?
E já percebi que não sou o único a receber essa deferência e essa complacência surrealista. Outros velhinhos vaidosos e até mais fodidos do que eu, que descem de seus carros com dificuldade e quase se arrastando para irem fazer exames de sangue, quase sempre com um vidrinho e uma latinha onde levam suas preciosas fezes e sua preciosa urina são chamados de garotos.
Garoto um caralho! - fico pensando. Garotos como?, se já estamos prá lá de Bagdad e com um pé na cova!? Que cinismo e que descaramento o desse cara!
Mas percebo que os velhinhos gostam. Ficam radiantes quando alguém diz que parecem ter menos idade do que têm, que seu Hemograma parece o de um garotão, que sua creatina está mais do que normal, que a pressão arterial está igual à de uma jaguatirica, que vão chegar aos cem anos com todos os dentes no lugar e sem nenhuma dor de cabeça e etc.
É curioso e incompreensível que apesar dos pesares, todos queiram continuar rastejando por este árido e desvairado planeta...

2 comentários:

  1. Já diria Cioran somos viciados nessa vida de merda (ou merda de vida?)

    ResponderExcluir
  2. da uma olhada nesta foto que achei no google:

    http://4.bp.blogspot.com/_yLtgBtA_U2M/TIqGP4D4SqI/AAAAAAAAAgk/TGbH5U8DPX0/S350/humanos+nazi.jpg

    ResponderExcluir