"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

domingo, 3 de maio de 2015

A monarquia e seus pobres súditos...

É quase patético e mais do que cretino o teatro que  a mídia, principalmente a brasileira e a "terceiro mundista" vem fazendo ao redor do nascimento de uma criança na casa real britânica. Realmente fomos ingênuos ao acreditar que todos os movimentos sociais dos anos 60, 70, 80 e etc, pretendiam superar a alienação, a submissão e a escravidão. Tudo mentira. Sempre fomos reacionários, vassalos, subservientes e monarquistas até a raiz das unhas dos pés e sempre adoramos fazer genuflexão diante  da gerontocracia rica, principalmente ficar de joelhos diante de qualquer impostor, basta que ele leve sobre o crânio uma coroa, (que seja de ouro ou de espinhos, dá no mesmo...) 
Bah! Que fiasco! E que espécie sem caráter e vagabunda!
E depois, quem é que não se lembra que foi justamente na Inglaterra que, nos últimos tempos, o judiciário mandou para a forca o maior número de crianças? E, para não parecer demagogo, nem vou falar das nossas que morrem por aí todos os dias, de fome ou com tiros na cabeça.




Um comentário:

  1. Outra coisa bizarra da monarquia inglesa é que a Inglaterra teoricamente é uma teocracia, pois o monarca é o representante de deus na terra, chefe da igreja anglicana; os bispos desta igreja tem representação cativa no parlamento, existe uma cota para essa igreja. Apesar da sociedade inglesa estar cheia de ateus, seu estado tem estrutura teocrática.

    ResponderExcluir