quarta-feira, 1 de outubro de 2014

JESUS CRISTO NUNCA EXISTIU - Garante novamente um historiador americano...

"Jesus Cristo não existiu", garante historiador americano

Segundo o americano, 126 escritores da época e de séculos seguintes após a crucificação não o mencionam nas obras
O historiador Michael Paulkovich afirmou em entrevista ao Jornal Daily Mail que Jesus Cristo não existiu e que ele foi uma lenda urbana ou do deserto. De acordo com o americano, 126 escritores da época e de séculos seguintes após a crucificação de Cristo não o mencionam nas obras. 
O historiador afirma que estudou autores ente o primeiro e o terceiro século e que a falta de conhecimento ou menção de Jesus supõe que ele nunca tenha existido. A ideia é que a figura de Cristo tenha sido inventada por rabinos que queriam um líder para seguir. 
Estas pesquisas resultaram em um livro que foi publicado recentemente, intitulado No Meek Messiah. Nele, o pesquisador afirma que é estranho que Jesus não tenha sido mencionado por tantos escritores da época, e que detalhes da vida dele nunca tenham sido revelados nem pelos discípulos. “Paulo não sabe nem onde, nem quando Jesus viveu e considera a crucificação como uma metáfora”, disparou.
No livro Michael Paulkovich aborda que apenas um livro havia menção de Jesus, o ‘As Guerras Judaicas’, escrito pelo historiador romano Flávio Josefo, 95 depois de Cristo. Mas segundo contesta, a citação pode ter sido acrescentada pela editora em uma reedição.
Outra controvérsia de Paulkovich se refere ao livro de Marcos, na Bíblia, onde diz que a história da ressureição também teria sido editada. “Falsificadores acrescentaram depois o conto da ressurreição fantasiosa”, finalizou.

9 comentários:

  1. Acredito que será difícil uma tradução em português deste livro, infelizmente.

    ResponderExcluir
  2. é o INRI CRISTO de Indaial (SC) kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  3. "Soy un profanador
    estoy desafiando al tiempo
    ya ves mi transgresion
    es procurar tenerte
    el cielo entiende de mi obsesion
    esta llegando a un limite
    el desierto, al menos hoy
    no parece, no parece tan...
    Sueles encontrarme en cualquier lugar
    y ya lo sabes nada es casualidad
    tu misteriosa forma me lastimara
    pero a cada segundo estare mas cerca
    Paralizandome
    jamas podre esperarte
    y no tengo porque esperar
    en un altar de sacrificios
    solo meterme en tu ritual
    y descifrar tu enigma
    tal vez no hablar de mas (shhh)
    el silencio no es tiempo perdido
    Sueles encontrarme en cualquier lugar
    y ya lo sabes nada es casualidad
    tu misteriosa forma me lastimara
    pero a cada segundo estare mas cerca
    Desafiando al rito
    destruyendo mitos
    Sueles encontrarme en cualquier lugar
    y ya lo sabes nada es casualidad
    tu misteriosa forma me lastimara
    pero a cada segundo estare mas cerca
    Y desafiando al rito
    destruyendo mitos
    desafiando al rito
    destruyendo mitos"

    (El Rito - Soda Stereo)

    www.youtube.com/watch?v=PzB16cBy9CA

    ResponderExcluir
  4. Boto fé ! A religião continua sendo o ócio da galera.
    Há quem defenda com unhas e dentes barbaridades recorrentes fundamentadas em nome de deus... ufff, que preguiça! Como diria o Nietzsche - "Gott ist tot"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ups... era pra ser: A religião continua sendo o ÓPIO da galera... mas do jeito q ta acima tb vale.
      Flw, valeu

      Excluir
  5. Saudações
    O principal problema na biografia de Jesus e da história do cristianismo é que o apóstolo Paulo, o grande divulgador do cristianismo, não menciona nas suas cartas (escritas entre 45 e 60 E.C.):
    - que Jesus nasceu de uma Virgem chamada Maria (independentemente de essa informação ser falsa;
    - que Jesus tinha vivido, uma ou duas décadas antes, na Galiléia;
    - que Jesus foi baptizado por João Baptista;
    - os discursos de Jesus;
    - os milagres de Jesus (independentemente de serem falsos);
    - os distúrbios que Jesus causou no Templo de Jerusalém;
    - que Jesus foi traído por um discípulo/apóstolo


    As cartas de Paulo parecem ser sobre um filho do Deus dos judeus. Este filho de Yahveh teria alegadamente revelado a Paulo (e a outros antes dele) que iria proceder muito brevemente a uma salvação dos judeus. Nada transparece que Paulo referir-se-ia a um homem da Galiléia chamado Jesus da Nazaré. Mas Paulo teria todo o interesse em convencer a sua audiência (os seus leitores) que o Jesus da Nazaré era o filho de Yahveh, caso tivesse conhecimento da história de Jesus da Nazaré).

    http://quem-escreveu-torto.blogspot.pt/2013/06/paulo-sumario-sobre-cristo.html

    ResponderExcluir
  6. deem uma olhada no link

    http://galileu.globo.com/edic/115/livros.htm

    ResponderExcluir
  7. “A verdade histórica é a mais ideológica de todas as verdades científicas [...]Os termos de subjetivo e de objetivo já não significam nada de preciso desde o triunfo da consciência aberta [...]. A verdade histórica não é uma verdade subjetiva, mas sim uma verdade ideológica, ligada a um conhecimento partidário”. (ARON cit. por Marrou, s/ data, p. 269)

    Se a fé nunca dependeu da história, porque fazem tanta questão desta última? Por que insistem em preservar essa bruma que envolve os primeiros séculos do cristianismo? Não devia ser assim. No entanto, quando fazemos uma aproximação dos fatos com fatos e não com ideias, é possível outra conclusão.

    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

    ResponderExcluir
  8. “A verdade histórica é a mais ideológica de todas as verdades científicas [...]Os termos de subjetivo e de objetivo já não significam nada de preciso desde o triunfo da consciência aberta [...]. A verdade histórica não é uma verdade subjetiva, mas sim uma verdade ideológica, ligada a um conhecimento partidário”. (ARON cit. por Marrou, s/ data, p. 269)

    Se a fé nunca dependeu da história, porque fazem tanta questão desta última? Por que insistem em preservar essa bruma que envolve os primeiros séculos do cristianismo? Não devia ser assim. No entanto, quando fazemos uma aproximação dos fatos com fatos e não com ideias, é possível outra conclusão.

    http://cafehistoria.ning.com/profiles/blogs/paguei-pra-ver

    ResponderExcluir