"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

sábado, 14 de junho de 2014

Por que Platão queria expulsar os poetas de sua cidade ideal? Eis aí a possível resposta...

A primeira coisa que fiz ao ver essa foto aí do Nicolas Behr, (meu conhecido e o mais badalado poeta de Brasília, autor de Farinha com Iogurt, e apelidado até de poeta marginal e a quem os jornais da cidade concedem praticamente uma manchete por mês), a primeira coisa que fiz quando o vi - repito -  grudado à traseira dos ônibus fazendo apologia dos impostos e ainda por cima do IPTU, foi voltar a ler o Livro X da República, onde Platão defende a expulsão dos poetas e da poesia de sua cidade ideal. 
Não entendi grande coisa do lero-lero platônico e voltei para a rua para ver os rebanhos em fila indiana diante das estações, aqueles ônibus aos pedaços indo e vindo com o lupemproletariado caindo pelas janelas e com o poeta sorridente na traseira repetindo: EU PAGO IPTU PORQUE QUERO VER UMA BRASÍLIA CADA VEZ MELHOR. 
Qualquer um que não tivesse bebido meia garrafa de Nega Fulô em jejum teria dificuldade para acreditar! 
E os ônibus subiam e desciam em direção à Universidade sempre entulhada de mestres e de doutores leninistas-marxistas com aquele "poeta marginal" dizendo descaradamente aos pobres e quase mendigos estudantes que pagava impostos porque queria o bem da cidade! Inacreditável!
Observe - me dizia um outro poeta mais velho e movido muito mais por inveja do que por ética ou outra coisa -  que ele diz "uma Brasília cada vez melhor" e não simplesmente "uma Brasília melhor". E aí está a prova de que é propaganda vagabunda e de que como tantos outros, foi cooptado pelo Estado e pelas "autoridades". Aliás, o Birô Central das Musas Canônicas do Planalto ainda vai se reunir para saber se convoca o Poeta do IPTU para uma audiência pública. Parece que querem excluí-lo do bando a não ser que ele mude a frase para: Sou poeta mas não sou retardado! Não pagarei IPTU nem no inferno! Duvido que a coisa chegue a tanto!
Nas horas que permaneci lá naquela parada de ônibus em patética reflexão não consegui me livrar daquela conhecida frase de Gunter Wallraff o autor do livro FÁBRICA DE MENTIRAS: "Para desmascarar a sociedade é preciso mascarar-se".

18 comentários:

  1. Já que estamos falando de putas

    http://esportes.terra.com.br/futebol/copa-2014/prostitutas-protestam-com-pelada-em-belo-horizonte,306b254f17c96410VgnVCM3000009af154d0RCRD.html

    ResponderExcluir
  2. EZIO, ASSIM, EU MORRO DE RIR!! ACESSE...http://letrastaquarenses.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. kkkkkkkk eu odeio os poetas, são todos uns MENTIROSOS kkkk

    ResponderExcluir
  4. olha o principal poema desse poeta, sua obra prima: "ninguém me ama/ninguém me quer/ninguém me chama/nicolas behr"....
    é um JÊNIO, nunca ninguém foi tão original rss rss rsss

    ResponderExcluir
  5. Era uma vez um idiota que se fantasiou de poeta e o pior é que muita gente acreditou (rsrsrrs). Abraços poéticos Ezio Fávio Bazzo.(rsrsrs).

    ResponderExcluir
  6. A fórmula é sempre a mesma: algumas pessoas colocam quando querem as outras em um pedestal e aí passam a fiscalizar o exercício de vida daquelas que "pedestalizaram" - em um nítido papel de um estado moderno. Muitos gostariam de terem sido convidados a reaver parte do dinheiro pago em IPTUs da vida. "O próprio Deus, o próprio céu rende-se, quando se lhe mostra um punhado de ouro."
    Poucos sabem dizer não às máscaras oferecidas, mas muito poucos mesmo... e entre quatro paredes acho que nem um.

    ResponderExcluir
  7. É compreensível sua indignação ao poeta, mas pessoas que se vendem existem em qualquer lugar...

    ResponderExcluir
  8. foda-se o nicolar behr... mas esse texto tá uma bosta muito fedorenta...
    escola djavanística de escrita obtusa é isso aí.

    ResponderExcluir
  9. Foda-se o Nicolas Behr, não. Devemos impedir que o Estado prostitua as melhores cabeças. Quanto ao texto do Bazzo, é sempre uma beleza. Escola djavanística de escrita obtusa? O anonimo das 17:55, que não é tão anonimo como pensa, poderia explicar? Volto amanhã porque minha vovó já está tossindo.

    ResponderExcluir
  10. Eu sei que a imagem é de Nicolas Behr. Já o texto (Eu pago IPTU porque quero ver uma Brasília cada vez melhor), não sei se é. Vai saber... Com a corda no pescoço muita cabeça boa faria o mesmo, uma vez impresso o poeta é quem paga o preço. De antemão peço desculpas por minha interferência vã. Não me levem a sério. Eu gosto de Djavan.

    Atenciosamente... Anônimo das 4:52

    ResponderExcluir
  11. Nicolas Behr: além de ser gente fina, é um grande poeta...E ele também tem que pagar contas, como todo mundo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que grande poeta o que , olhei o site oficial do cara só tem poeminha sem valor, é só olhar. Quem paga a conta mesmo é quem paga o IPTU. Poetastro...mas o bicho é esperto kkkkkk

      Excluir
  12. Meu pecado é desejá-la. Minha penitência é não tê-la. Frase do poeta no site Pensador. Que profundo, toca uma que já passa essa penitencia. Rapaz eu odeio todos os poetas e nao sou invejoso nao porra

    ResponderExcluir
  13. Lembrando o que é lupemproletariado

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Lumpemproletariado

    ResponderExcluir
  14. vou me embora pra Pa$$árgada,que comedia

    ResponderExcluir
  15. RESPEITEM O MAIOR PUETA INCOMPREENDIDO DO CERRADO SEUS INVEJOSOS !!!! EU FICO COM A PUREZA DA RESPOSTA DA CRIANÇA CHILENA, XUPA ESSE VIDEO FANTÁSTIGO ASSISTAM:

    http://www.youtube.com/watch?v=7ExViTm9JvA

    ResponderExcluir
  16. isso me fez lembrar duma coisa, não lembro se era o arcadismo, escola literária que assumia um fingir poetico como normal, e os poetas eram todos burguesões, no arcadismo era normal a aplicação da simulação de sentimentos fictícios.

    ResponderExcluir