"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

ALGO PIOR QUE AS PRISÕES DO MARANHÃO... OU: EM DEFESA DAS CRIANÇAS...

5 comentários:

  1. Muito interessante, mas aqueles que estão já a muito tempo submetidos a uma crença religiosa, estão impossibilitados de compreender o que está sendo dito neste vídeo. Seria preciso conhecer mais sobre o funcionamento da mente, do psiquismo humano, para que as pessoas tivessem alguma chance de refletirem claramente sobre a vida humana, sobre as questões da religiosidade, a apreciação do sagrado e seus mistérios, suas vulnerabilidades... Sim, deveríamos ser mais cuidadosos com nossas crianças no sentido de deixar que elas façam suas próprias escolhas. Psicologia deveria ser uma disciplina obrigatória para todos em todos os níveis de educação.

    ResponderExcluir
  2. Já que se trata de escolha a psicologia podia ser opcional e não obrigatória. Se, segundo suas palavras Maria Helena: "aqueles que estão já a muito tempo submetidos a uma crença religiosa, estão impossibilitados de compreender o que está sendo dito neste vídeo", logo não compreenderão sobre "o funcionamento da mente, do psiquismo humano", etc. E clareza de vida humana? A "vida", dita, "humana" é tão contraditória (alias, será que há contradição em minhas palavras até aqui?), enfim... Apreciação do sagrado e seus mistérios?: Como disse um tal sujeito aí: "A religião? O 1º "dever" do homem é esquecê-la". Abraços.

    ResponderExcluir
  3. A coisa não vai melhorar!

    http://www.youtube.com/watch?feature=player_embedded&v=ZrVT6CultgY

    ResponderExcluir
  4. Quando uma pessoa tem um amigo imaginário é chamada de esquizofrênica. Quando várias pessoas tem um amigo imaginário, chamam de religião!

    ResponderExcluir
  5. Excelente! Escutem aqui seus covardes!( a carapuça sempre "cabe" na cabeça ) deixem as crianças em paz! isto significa simplesmente: deixem elas serem elas mesmo; e claro que não estou falando de licenciosidade, estou falando de LIBERDADE!

    ResponderExcluir