"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Lobão e o esotérico Campo de Libra...

Hoje ouvi acidentalmente o ministro de Minas e Energia falando sobre o tal Campo de Libra, aquele que será leiloado na segunda-feira. Falava da quantidade astronômica de petróleo que há por lá e nos 900 bilhões que renderá ao país nos próximos 30 anos, e claro, concluiu o papo com a clássica frase que é patrimônio nacional: dinheiro que será investido na Educação e na Saúde. Quem é que ainda consegue ouvir essa gente falar sobre estas temáticas sem sentir ânsia de vômito? Se os governantes do último século tivessem se interessado pela educação e pela saúde como propagandeavam, os pirralhos de hoje em dia já nasceriam falando cinco seis idiomas, recitando Homero, resolvendo as maiores dúvidas de Poincaré e tocando Schubert no violino. Puro papo furado! Desde criança, lá no meio da solidão paradisíaca daqueles cafezais paranaenses já ouvia dizer que o roubo tributário sobre o café era para, mais tarde, investir na Educação e na Saúde. Também os impostos sobre a fibra do rami, sobre os remédios, sobre os caminhões, sobre as terras, sobre os revólveres e sobre a munição teriam o mesmo destino... Ouvia dizer que o desmatamento insensato de toda aquela região era para, no futuro, com o dinheiro da madeira, garantir uma boa educação e uma boa saúde. Que naquela terra devastada por jagunços, grileiros e por posseiros se plantaria soja e se criaria vacas, muitas vacas.., para quê? Para no porvir, construir bons hospitais para desintoxicar os corpos e boas escolas para desobstruir os cérebros! 
Tudo mentira! 64 anos de mentiras e de imposturas! Querem a prova? Visitem a escola mais próxima e o posto de saúde da esquina lá pelas oito e meia da manhã... 
E o pior, é que a todos esses mentirosos impostores se garantiu um funeral com tiros de canhão e com honras de Estado, e mais, se lhes construiu singelamente mausoléus de luxo, quase monárquicos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário