"Meus textos são como o pão do Egito, a noite passa sobre eles e já não podes mais comê-los" (Rumi)

quinta-feira, 22 de agosto de 2013

200 milhões de brasileiros.... et moi... et moi... et moi...

Enquanto os ideólogos, os marqueteiros e os administradores das cidades  perdiam seu tempo com reuniões estéreis, intermináveis e inúteis a turba se esfregava, sarreava, copulava e se engravidava. Resultado! Rebanhos aflitos e filas para todos os lados.  Os estacionamentos estão repletos, há carros até em cima das árvores. Nas bibliotecas não cabe mais ninguém. Os hospitais têm macas e doentes até nos banheiros. Os restaurantes parecem velórios de pai de santo. Há filas para abastecer, para pagar impostos, para comprar remédios, para fazer passaporte, para marcar consultas, para entrar nos ônibus e nos elevadores, para ir à toalete, para  entrar nos motéis, para comungar-se, para ser velado nas capelas do Campo da Esperança e para absolutamente tudo. E não são filinhas. São filas indianas que dobram as esquinas e que não acabam. Todo mundo lá, com cara de vaca mal humorada, ouvindo passivamente um otário qualquer mandando dar um passinho para o lado ou um passinho para trás... Que atestado de idiotice para a espécie! Que estranha obsessão de, como ratos ou gafanhotos, superpovoar e pisotear o planeta! E ninguém dá um pio sobre controle de natalidade. É pecado, tabu, desumanidade, politicamente incorreto! Nos anos 70, mesmo timidamente, se falava sobre o assunto, até que a Santa Madre Igreja resolveu obrigar os mocorongos de turno a substituir a ideia de "controle de natalidade" pela de "planejamento familiar". E aí.., irmandade universal.., o mundo ficou inflacionado do jeito que está.  
Se por um lado, o crescimento vertiginoso do homossexualismo (tanto masculino como feminino) nos da uma esperança de que haja um descenso nas estatísticas e taxas de natalidade, por outro, a ignorância generalizada e o fácil acesso ao viagra representam perigos reais e ameaças concretas ao bom senso e ao oxigênio do mundo...

3 comentários:

  1. Talvez o crescimento vertiginoso do homossexualismo seja uma vingança da própria natureza que agoniza com o crescimento dessa nossa espécie tão contraditória...

    ResponderExcluir
  2. Solução :O Movimento de Extinção Humana Voluntária.
    “Que possamos viver muito, e desaparecer”
    Suprimir a raça humana ao, voluntariamente, deixar de procriar, permitirá à biosfera terrestre retornar à boa saúde. Condições sufocadas e escassez de recursos apresentarão melhora à medida que nos tornarmos menos densos. ( VHEMT)

    ResponderExcluir